Subsidios EFF - Adolecentes



ESCOLA DE FORMAÇÃO NA FÉ - EFF
NIVEL 7 -12 ANOS
(SUBSÍDIO PARA O CATEQUISTA)

INDICE
APRESENTAÇÃO................................................................................3
TEMÁRIO.............................................................................................4
TEMA 1 “Quem sou eu?”......................................................................5
TEMA 2 “Minha realidade”..................................................................6
TEMA 3 “Auto aceitação”....................................................................7
TEMA 4 “O que é a Bíblia?”..............................................................14
TEMA 5 “Antigo Testamento”...........................................................16
TEMA 6 “Novo Testamento”.............................................................18
TEMA 7 “Celebrar a Eucaristia”........................................................20
TEMA 8 “Celebrar a Palavra”......................................................... ..22
TEMA 9 “Celebrar na Oração”..........................................................25
TEMA 10 “Como é minha família?”.................................................27
TEMA 11 “Minha família e eu”........................................................30
TEMA 12 “Direitos e obrigações”.....................................................33
TEMA 13 “Conceito de amor”...........................................................35
TEMA 14 “Valorização do amor”......................................................37
TEMA 15 “O amor, meus pais e eu”..................................................38
TEMA 16 “A promessa do Messias....................................................40
TEMA 17 “O amor de Jesus”..............................................................41
TEMA 18 “Jesus é meu Deus”............................................................46
TEMA 19 “Seu valor”.........................................................................48
TEMA 20 “Suas características”.........................................................50
TEMA 21 “Problemática”...................................................................54
TEMA 22 “Mensagens subliminares”................................................ 56
TEMA 23 “A depressão”.....................................................................64
TEMA 24 “A compreensão equivocada das coisas”...........................67
TEMA ESPECIAL: “Campanha da Fraternidade”..............................72
TEMA ESPECIAL: “Quaresma”.........................................................74
TEMA ESPECIAL: “Semana Santa”...................................................76
TEMA ESPECIAL: “Nossa Senhora”................................................. 78
TEMA ESPECIAL: “Pentecostes”.......................................................80
TEMA ESPECIAL: “Advento”............................................................82
TEMA ESPECIAL: “Natal”................................................................ 84
TEMA ESPECIAL: “Festa do Padroeiro.............................................86

                                                                                                                                                                                
                              
APRESENTAÇÃO
       A adolescência é um período de profundas mudanças, ocasionadas por inúmeras descobertas: o adolescente aprofunda os conhecimentos sobre seu corpo, sua sexualidade, aprofunda suas convivências sociais, conhece mais o contexto em que vive. Nesse período o adolescente descobre que o mundo é muito mais do que sua família. Seu amadurecimento físico e psicológico garante maior sensação de segurança para enfrentar a realidade que se lhe abre diante dos olhos.
      Porém, a maior e mais fundamental descoberta que o adolescente faz é da “consciência do seu eu”, aprofundando, assim sua interioridade. È exatamente por isso que esse período do desenvolvimento humano é profundamente marcado pela crise. Toda descoberta provoca mudança, desinstala e leva ao questionamento: “é assim que deve ser ou será possível a mudança?” Nesse momento de incerteza, o adolescente tem a tendência a auto afirmar-se, desabrochando, assim um maior espírito de independência.
     A descoberta do “eu” não se encerra na adolescência, mas continua por toda a vida da pessoa. Porém, o bom desenvolvimento do restante da vida depende profundamente das descobertas e opções feitas nesse período.
    
Objetivos da EFF para 12,13 anos- Adolescentes
• Apresentar os valores e doutrina cristã de modo a serem a referência na descoberta do adolescente como pessoa, facilitando a projeção do seu futuro;
• Auxiliar o bom desenvolvimento da personalidade dos adolescentes, garantindo-lhes a descoberta dos valores  cristãos fundamentais para toda a vida, levando em consideração todas as transformações e descobertas desta fase;
• Favorecer o adolescente na descoberta do seu intimo, onde Deus faz habitação, percebendo que o seu coração é o templo sublime do Senhor;
• Levar o adolescente a voltar-se para dentro de si, descobrindo-se como pessoa criada à imagem e semelhança de Deus, portadora da luz de Cristo, instrumento do Seu Amor;
• Despertar no adolescente o reconhecimento de Deus como Pai que o acolhe do jeito que é, com defeitos e qualidades e o ajuda a descobrir quem de fato é, para poder  realizar-se como cristão autêntico.
Aos Evangelizadores
           Devemos desejar como evangelizadores de adolescentes, que estes perseverem no crescimento integral, tendo em vista o amadurecimento na direção do projeto de vida plena, como nos oferece Jesus.
          É importante que saibamos que na fase da adolescência há a procura da descoberta do sentido da vida, pois até o momento era a família que acompanhava a criança em todas as situações, porém a partir de agora o adolescente buscará decisões por conta própria, desejando conquistar sua autonomia. Isso não significa ruptura com o mundo dos adultos, porém surgirá a necessidade de se apoiar nas próprias motivações e experiências. Aos evangelizadores cabe a belíssima missão de colaborar com o adolescente para a conquista, aos poucos, de um espírito critico corajoso e determinado no seguimento das pegadas de Jesus, capaz de renunciar aos modismos que coloca a vida em segundo plano.
          Aproveitem os temas, as dinâmicas, cantem com o amor as musicas do CD, memorizem e vivam as passagens da Palavra de Deus, partilhem as historias e vida dos santos que foram gravadas com tanto carinho pelos missionários da Paróquia São Judas Tadeu. Deus abençoe cada encontro do Nível 7 (12 anos), com certeza momentos de crescimento na fé, no amor, na fraternidade.
         Abençoado seja você, evangelizador de adolescentes pela decisão de acompanhá-los nessa linda fase de suas vidas! Com certeza, você também aprenderá muito com essa nova realidade! Deus fortaleça você nessa caminhada, pois sua presença, sua companhia, seu testemunho, serão força para que os adolescentes possam enfrentar todas as situações com responsabilidade e competência, com olhos e coração voltados para o Mestre que se coloca como Caminho, Verdade e Vida.



TEMA CENTRAL: IDENTIDADE (CONHECENDO-ME)
1. Quem sou eu?
2. Minha realidade
3. Auto-aceitação
TEMA CENTRAL: BIBLIA (CONHECENDO A BÍBLIA)
4. O que é a Bíblia?
5. Antigo Testamento
6. Novo Testamento
TEMA CENTRAL: CELEBRAÇÃO DA FÉ (IMPORTÂNCIA DE CELEBRAR)
7 Celebrar a Eucaristia
8. Celebrar a Palavra
9. Celebrar na Oração
TEMA CENTRAL: FAMILIA (MINHA FAMÍLIA)
10. Como é minha família?
11. Minha família e eu
12. Direitos e obrigações
TEMA CENTRAL: AMOR (O QUE É O AMOR?)
13. Conceito de amor
14. Valorização do amor
15. O amor, meus pais e eu
TEMA CENTRAL: JESUS (DEUS CONOSCO)
16. A promessa do Messias
17. O amor de Jesus
18. Jesus é meu Deus
TEMA CENTRAL: ADOLESCÊNCIA (ADOLESCÊNCIA)
19. Seu valor
20. Suas características
21. Problemática
TEMA CENTRAL: FALSAS SAÍDAS (PORTAS EQUIVOCADAS)
22 Mensagens subliminares
23 A depressão
24. A compreensão equivocada das coisas
TEMAS ESPECIAIS:
* CAMPANHA DA FRATERNIADE
* SEMANA SANTA/PÁSCOA
* NOSSA SENHORA
* PENTECOSTES
* ADVENTO
* NATAL
* FESTA DO PADROEIRO

TEMA CENTRAL: IDENTIDADE (CONHECENDO-ME)
1. Quem sou eu?
OBJETIVO: descobrir-me como ser humano
- Centro e ápice da criação
- Suas capacidades como ser humano
- Filho (a) de Deus 
MATERIAL:
- Bíblia;
- Catecismo da Igreja Católica;
- crachás;
- folhas de sulfite;
- lápis, lápis de cor;
- fita adesiva;
- aparelho de CD
-após o louvor inicial, ressaltar que somos amigos, irmãos pela fé, Deus nos escolheu e nos trouxe até esta turma da EFF, nível 7. A partir de agora somos responsáveis uns pelos outros, é preciso ter cuidado, telefonar, manter contato, ajudar no que for preciso para que todos cresçam na fé e caminhem juntos com os irmãos pela fé, unidos no amor de Cristo.
HISTÓRIAS QUE EVANGELIZAM
“O VASO VELHO E O VASO NOVO”  (FAIXA 1 CD/VOLUME I)
ROTEIRO DO ENCONTRO
(EXPERIÊNCIA/DIÁLOGO/ APROFUNDAMENTO/ATIVIDADES)
-Você está crescendo tanto fisicamente, quanto psicologicamente.
Perceba: você já não é mais uma criança. Por isso surgem muitos questionamentos sobre o corpo, sobre o mundo, sobre Deus e principalmente sobre seu interior. Você já parou para pensar sobre quem é você? Você já perguntou para você mesmo: “QUEM SOU EU?” ‘QUEM É VOCÊ?”
-Para melhor conhecer, que tal realizar a dinâmica do autoconhecimento, com seriedade? Durante a dinâmica, no momento oportuno, responda as questões.
     Colocar uma música suave para que o adolescente possa começar a refletir, sem responder em voz alta:
• Quem sou eu?
• Como é meu nome completo?
• Quem escolheu esse nome?
• Que dia eu nasci?
• Em que hospital eu nasci?
• Como foram meus primeiros dias de vida?
• O que eu gosto de fazer?
• O que eu não gosto de fazer?
• Quais são minhas principais qualidades?
• Quais são meus limites a serem superados?
• Quais são meus defeitos a serem corrigidos?
• O que é preciso melhorar nos relacionamentos com as pessoas da minha casa? E da minha escola? E com as outras pessoas que conheço?
• Qual a pessoa que eu mais admiro? Por quê?
• Qual é a parte do corpo que mais gosto em mim? Por quê?
• O que pretendo ser no futuro?
• Copiar na folha de atividade o trecho do CIC 357;
• Distribuir uma folha de sulfite para cada adolescente, pedir que desenhe uma arvore bem grande, com raiz, tronco, muitas folhas, muitas flores e muitos frutos; depois que todos terminarem o desenho, explicar que essa arvore simboliza a vida de cada um; pedir que na raiz escreva a data do nascimento, o nome dos pais e o nome dos avós; aguardar que todos tenham terminado a orientação anterior para passar para a próxima, quando todos farão ao mesmo tempo, cada um em sua folha; no tronco escreva acontecimentos marcantes d seu passado; novamente esperar que todos terminem essa parte e pedir que
nas folhas escrevam os seus limites e suas dificuldades atuais, quando todos terminarem, escrevam dentro das flores as suas qualidades; esperar que todos finalizem essa parte e pedir que nos frutos escrevam seus sonhos e suas esperanças; no final pedir que seja dado um título ao desenho e escreva na parte superior da folha.
• Fazer um painel na parede com todos os desenhos e pedir que cada  um explique o significado do titulo, partilhando um pouco da sua história de vida;
• Ler o trecho de Mt 25,14-29 e organizar uma pequena e rápida dramatização;
• Sobre a leitura acima o catequista deverá ajudar seus adolescentes sobre as seguintes perguntas:
* os três empregados da parábola receberam talentos. Existem pessoas que não possuem qualidades?
* o ultimo empregado possuía também o seu talento. Por que ele foi repreendido pelo patrão?
* o que significa enterra o talento?
* de que forma podemos relacionar a parábola com a nossa vida?
* nossas qualidades existem para que fiquemos convencidos? Ou existem para que outras pessoas possam também crescer com elas?
* CIC 357: pedir que um adolescente procure e leia esse trecho e escolha um amigo que explicará o que foi lido;
VIDA DE SANTIDADE:
SÃO JUDAS TADEU (FAIXA 2 DO CD/VOLUME I)
ORAÇÃO/CANTO;
-”Sonda-me” (Eliana) (FAIXA 3 DO CD/ VOLUME I)
-“Amigos pela fé” (FAIXA 4 DO CD/ VOLUME I)
REFLEXÃO/ RESPOSTA/COMPROMISSO DA SEMANA
--leitura e comentários do texto:
“HOSPITAL DO AMOR”
    Um homem sentiu-se doente e procurou a emergência do Hospital do Amor. Para sua surpresa, o medico de plantão chamava-se Jesus Cristo. Ao medir a pressão, Dr. Jesus Cristo viu que havia uma perigosa baixa de ternura. A temperatura, ao contrário,mostrava 39º de egoísmo.
      O eletrocardiograma revelou a necessidade de uma ponte de amor entre o coração do paciente e as pessoas que o amavam. O exame ortopédico mostrou dois braços atrofiados, porque não abraçavam ninguém. Havia neles fraturas, desde que o paciente tropeçara na própria vaidade.
      A miopia do pobre homem permitia-lhe ver só as aparências. E os ouvidos estavam fechados, porque não estavam sendo usados, pois ninguém lhe dirigia uma só palavra, há muito tempo, nem lhe dava atenção. O motivo era o vazio e a insignificância de suas conversas.
    Terminada a consulta, o paciente agradeceu: “Obrigado, doutor! Não pensei que existisse alguém como o Senhor!” Imediatamente o home foi medicado e internado por alguns dias no hospital, sob os cuidados do Dr. Jesus. Recebeu alta do hospital do amor e decidiu tratar-se com os medicamentos naturais, que constavam no receituário da Bíblia:
       - ao levantar-me, vou tomar um chá de “Obrigado, Senhor!”;
       - ao chegar do trabalho tomarei uma colher de “Bom Dia, pessoal!”;
       - de hora em hora, tomarei um comprimido de paciência dissolvido em meio copo de humildade;
       - antes de chegar em casa e rever a família, vou tomar um injeção de amor e, ao deitar-me, uma cápsula de consciência em paz.
    Ao voltar ao consultório do Dr. Jesus o home mostrou a lesta de cuidados que estava tendo com sua saúde física, psíquica e espiritual. Ao ver o sorriso amigo do médico, o homem mais uma vez agradeceu e disse:
        -“Muito obrigado pelo cuidado e pelas recomendações, prometo prolongar esse tratamento por toda a vida e assim sei que viverei feliz.”
    -sobre o tema de hoje “Quem sou eu?”, faça sua oração agradecendo a Deus por ser filho (a) amado (a) e pelas qualidades que Ele lhe deu.
  - ler o trecho Is 43, 1 (no encontro e em casa) para memorizar e viver;
  -observe com atenção durante esta semana vários acontecimentos na sua vida (na família, na escola, com vizinhos, ou com colegas) e perceba como foi sua reação com cada um deles; atrás desta folha registre os dias em que aconteceram, as suas qualidades e os seus limites em cada situação, fazendo uma proposta de desenvolver melhor suas qualidades e também de superar os seus limites.

TEMA CENTRAL: IDENTIDADE (CONHECENDO-ME)
2. Minha realidade
OBJETIVO: descobrir-me em minha realidade
- Onde estou?
- Com quem estou?
- Como sou?
MATERIAL:
- Bíblia
- uma caixa de papelão com tampa fechada e um espelho dentro;
- uma cartolina dividida em duas partes. Na parte da esquerda deverá ter o titulo: “Minhas reclamações” e na parte direita: “Posso agradecer a Deus por isso”
- aparelho de CD
-CIC
HISTÓRIAS QUE EVANGELIZAM
-“OS DOIS PEREGRINOS” (FAIXA 5 DO CD/VOLUME I)
(EXPERIÊNCIA/DIÁLOGO/APROFUNDAMENTO/ATIVIDADES)
-resgatar o tema anterior, fazendo um  breve resumo com a ajuda dos adolescentes e verificar como desenvolveram a atividade proposta para a semana: quem não escreveu na folha poderá também partilhar sua experiência; o mais importante será destacar que temos qualidades que devem ser ainda mais desenvolvidas em beneficio do próximo e temos limites e dificuldades, que poderão ser superadas;
- verificar se memorizaram a Palavra de Deus da semana anterior (Is 43,1);
-Você conhece o ditado popular: “Não sou dono do mundo, mas sou filho do dono?” É uma grande verdade. O universo e nosso planeta são a casa paterna que Deus preparou para todos os seres vivos. E nós somos responsáveis por ela. Infelizmente, a sociedade é ainda desigual: poucos vivem com muito, e muitos vivem com pouco. Essa realidade nos impulsiona a mudar o mundo e colaborar para que todos se sintam filhos e filhas, irmãos e irmãs.
   Somos seres dotados de inteligência, liberdade, responsabilidade, capacidade de amar, qualidades que nos tornam semelhantes a Deus e nos capacitam a agir e transformar. Todos nascemos com o desejo de felicidade. Para isso fomos chamados ao mundo. Mas a nossa felicidade surge à medida que nos preocupamos com a de quem nos rodeia e com quem nos unimos para superar as situações difíceis que impedem as pessoas de ter uma vida digna e feliz.
- organizar duplas: cada adolescente fará uma entrevista com o amigo para conhecê-lo melhor e depois o apresentará para a turma, com as respostas obtidas;
- qual é o seu nome completo?
 - que dia você nasceu?
- com quem você mora?
- em qual escola você estuda?
_ como é sua escola?
- como é seu relacionamento com os colegas de escola?
- você tem outros amigos além dos da sua escola?
- o que você faz no dia-aa-dia?
- explicar que agora prestem muita atenção, pois é uma atividade em que ninguém pode falar ou comentar, apenas deverão escutar o que o catequista lerá:
- Esta é a pessoa mais especial que há, foi criada por Deus, à sua imagem e semelhança, portanto, é a mais bonita pessoa, inteligente, tem um coração bondoso de cheio de amor, porque se foi feito à imagem e semelhança de Deus que é puro amor, esta pessoa é repleta de amor e ternura. Ela é tão preciosa que Deus é capaz de trocar reinos e terras por ela, porque ela é a mais valiosa obra de Deus. Ela é tão importante que Deus tem até ciúmes dela e fica protegendo e amando dia e noite sem parar. Ele vai à frente para defendê-la e mesmo quando ela erra, Deus continua amando muito essa pessoa, porque é a mais amada por Deus, e Ele a defendeu e a tirou do pecado. Essa pessoa vale mais que todos os anjos juntos. Ela é a mais especial para Deus, vale mais que o ouro, prata a perola juntos, ela é preciosa aos olhos de Deus. Ela é a pessoa mais amada por Deus. Ela é a escolhida, a protegida por Deus. E Deus diz a cada segundo para ela: “Eu te amo, Eu te amo, Eu te amos!”
- em seguida pedir que não fale, não façam comentários, e que consigam ficar em silêncio, respeitando muito a pessoa amada de Deus, que será mostrada a todos. Enfatizar que consigam ficar em silêncio absoluto diante da imagem que será mostrada. Então o catequista (com cuidado) abre a caixa e mostra para cada adolescente o espelho, para que reflita a sua própria imagem. Cuidado para que o adolescente que está ao lado não descubra o segredo antes da hora.; fazer a dinâmica com cada um vagarosamente para que se apreciem como filho (a) amado (a) de Deus, independente da condição que vivem, da realidade, de como são.
- ler Lc 2, 41,52, ressaltando
* o que o texto nos fala sobre Jesus em relação aos seus pais?
* quais atitudes percebemos de Jesus em relação aos seus pais?
* o que podemos trazer do jeito de ser de Jesus para nossa vida?
* aos 12 anos< Jesus deu em “show” de amor a Deus e sabedoria no templo de Jerusalém; era a idade em que os meninos adquiriam o direito de ler a Sagrada Escritura em público, porque já não eram considerando mais como crianças. E você: é considerado criança ou adolescente em sua casa? Como você tem sido com seu pai? E com sua mãe? Você pode melhorar no relacionamento com seus pais?
-ler a história em quadrinho, em seguida fazer uma breve dramatização;
- usando a cartolina previamente preparada, fazer um painel coletivo onde os adolescentes ajudarão a completar. Ex.: O que você costuma reclamar no seu dia-a-dia: Se a resposta for: “tenho que acordar cedo”. Então o catequista pede que outro adolescente ajude a formular um agradecimento a Deus, como por exemplo: “Obrigado, Senhor, porque posso acordar cedo para ir à escola e aprender tantas coisas novas, enquanto tantos estão doentes nos hospitais”. A cada “reclamação” e a cada “resposta de oração”, o catequista ou os próprios adolescentes escreverão na cartolina, completando o painel. Concluir a atividade propondo-se a reclamar menos e a agradecer mais a Deus nesta semana.
VID DE SANTIDADE:
- SÃO CAMILO DE LÉLIS (FAIXA 6 DO CD/ VOLUME I)
ORAÇÃO/CANTO
-“Ainda se eu falasse a língua dos homens” (FAIXA 7 DO CD/ VOLUME I)
-“Essa galera”- Pe. Cleidemaar Moreira (FAIXA 8 DO CD/ VOLUME I)
REFLEXÃO/ RESPOSTA/ COMPROMISSO DA SEMANA
-fazer a oração juntos:
“Querido Jesus, sei que o Senhor me compreende, porque também foi adolescente. Vivo uma fase muito bonita da minha vida, mas muitas vezes me perco entre as coisas novas que me acontecem. Às vezes não sei se estou certo ou errado, se sou criança ou jovem... Magôo as pessoas sem querer, e isto me dói. Ajude-me a ter paciência comigo, com os outros e com minhas mudanças. Ajude-me para que minha vida seja útil aos irmãos e que eu leve amor e paz a quem eu encontrar. Amém!”
- ler I Cor 13, 1-8 e fazer uma avaliação da sua maneira de ser e agir em relação a si e aos outros;
- para memorizar (no encontro e em caswa):
I Cor 13,4-7 

TEMA CENTRAL: IDENTIDADE (CONHECENDO-ME)
3. Auto-aceitação
OBJETIVO: Aceitar-me como sou
- Valorizar-me a mim mesmo (a)
- descobrir-me como criação de Deus
-Assim Deus me ama
MATERIAL;
-recortes coloridos de revistas com comerciais de carros, motos, computadores, celulares, jogos eletrônicos, roupas de marcas famosas e outros produtos que fascinam os adolescentes;
- um vidro bem grande e de boca bem larga;
- pedras grandes que entrem pela boca do vidro;
- pedregulhos pequenos;
- areia fina;
- água;
- CIC
- grâos de feijão para o bingo dos Salmos;
- preparar folhinhas com a citação de cada Salmo abaixo;
Sl 8,5                    Sl 17, 33        Sl 26, 10     Sl 31, 8   
Sl 32, 13-15          Sl 59, 14        Sl 67 20     Sl 90,11
Sl 117,14              Sl 144, 9        Sl 144, 18   Sl 149, 4
HISTÓRIAS QUE EVANGELIZAM
“DEDICAR-SE TOTALMENTE” (FAIXA 9 DO CD/VOLUME I)
ROTEIRO DO ENCONTRO
(EXPERIÊNCIA/DIÁLOGO/APROFUNDAMENTO/ ATIVIDADES)
-resgatar o tema anterior, fazendo um breve resumo com a ajuda dos adolescentes e verificar como desenvolveram a atividade proposta para a semana;
- verificar se memorizaram o texto bíblico, com a citação
- Todos somos filhos e filhas de Deus e valemos para Ele pelo que somos, não pela nossa aparência ou pelos bens que temos ou compramos. Os verdadeiros valores da vida: o amor, a amizade, o relacionamento, a justiça, a verdade, a solidariedade, são mais duradouros e mais preciosos que os bens materiais. Na sociedade atual há muitas injustiças, sofrimento, violência, falta de esperança. Isso ocorre porque os valores permanentes da pessoa humana são esquecidos ou desrespeitados. Às vezes até mesmo em nossa casa acontecem situações tristes  porque esquecemos que são os valores que devem estar em primeiro lugar. É preciso conhecer a si mesmo para compreender as pessoas, sem julgar nem condenar.
     Você já imaginou como seria maravilhoso viver numa sociedade na qual om amor, a solidariedade e a amizade fossem os valores mais cultivados? Isso não é impossível! Podemos começar por nós mesmos: em casa, na escola, no grupo de amigos. Já conseguiríamos fazer maravilhas!
   
- pedir que cada adolescente pegue alguns recortes de revistas e explique a utilidade de cada um;
- questionar:
* Deus me ama mais quando tenho esses objetos?
* Para a sociedade eu tenho mais valor se compro esses objetos/
* O que deve ser mais importante para mim: os valores da sociedadeou os valores que Deus me ensina? Quais são os valores de Deus? Quanto estou valendo para Deus?
- fazer a dinâmica com o vidro. Mantenha os materiais dessa dinâmica guardados para que o grupo não os veja antes da hora. Peça que prestem muita atenção para que consigam chegar à uma boa conclusão. Encha o vidro com as pedras grandes e pergunte ao grupo se está cheio; certamente a resposta será afirmativa. Em seguida despeje os pedregulhos e sacuda o vidro para que o espaço entre as pedras seja ocupado e pergunte outra vez se está cheio; provavelmente haverá dúvidas. Com cuidado derrame a areia fina e sacuda o vidro; repita a pergunta e crie suspense. Então, pegue um jarro de água e despeje-o lentamente, para que a areia absorva a umidade, até todo o conteúdo ficar encharcado. Deixe-o em um lugar visível e analise junto com os adolescentes:
* O que significa, em nossa vida, cada um dos elementos utilizados na atividade e os gestos realizados nela/
* se a areia fosse colocada antes no vidro, as pedras grande s caberiam nele?
* * considere que o vidro seja a nossa vida: o que deve ser colocado primeiro? E em seguida? E em último?
* concluir que as pedras grandes representam as coisas mais importante em  nossa vida: conhecer a Deus, seus ensinamentos, viver o Seu amor no relacionamento com nossa família e com as pessoas com as quais convivemos; os pedregulhos, a areia, a água, são coisas pequenas, representam as nossas vontades, os nossos desejos, os bens materiais, que sempre caberão em nossa vida, se primeiro vier o principal; caso contrário, se enchemos nossa vida de coisas pequenas não teremos espaço para as maiores e realmente as importantes.
- ler a história “A Rena Insatisfeita”;
- refletir que o corpo é um presente de Deus e, por meio dele, existimos, convivemos e agimos. Deus nos ama assim, com esse corpo e desse jeito, independente do que temos ou do que fazemos.
- pedir que cada adolescente escolha (ou faça sorteio) uma folhinha e leia um trecho dos Salmos previamente preparados e reflita em sua vida o que o Senhor quer lhe dizer com essa Palavra; o catequista também deverá pegar um e partilhar o que refletiu.:
Sl 8,5                    Sl 17 (18),33   Sl 26 (27), 10     Sl 31 (32), 8
Sl 32(33), 13-15   Sl 59 (60),14   Sl 67 (68), 20     Sl 90 (91),11
Sl 117(118), 14      Sl 144 (145), 9 Sl 144 (145), 18  Sl 149, 4
- jogar o Bingo dos Salmos (preparar as cartelas para DUPLAS; os salmos podem ser lidos na sequência em que estão escritos acima, ou poderão ser recortados (previamente xerocados) para serem sorteados.
VIDA DE SANTIDADE;
SANTA CECÍLIA (FAIXA 10 DO CD/ VOLUME I)
ORAÇÃO/ CANTO:
-“Reina, Senhor”- Pe. Cleidemar Moreira  (FAIXA 11 DO CD/ VOLUME I)
REFLEXÃO/RESPOSTA/COMPROMISSO DA SEMANA:
-memorizar o Salmo que pegou hoje e ficar atento para vivê-lo durante a semana;
- observar como Deus vai amar você nesta semana e registrar atrás da folha alguns fatos que comprovem o amor de Deus agindo em sua vida.
- jogar o bingo de Salmos com sua família e registrar atrás da folha o dia, as pessoas que participaram e os vencedores.

1-Salmo 8, 5: “Que é o homem, diga-me então, para pensardes nele? Que são os filhos de Adão, para que vos ocupeis com..............................................” (O catequista não completa a passagem, esperando que alguém fale; se acertar, todos deverão procurar em sua cartela a palavra correta, marcando com um feijão; o catequista confere com os adolescentes, pesquisando na Bíblia, somente DEPOIS  que alguém falou)
RESPOSTA: (eles)
2-Salmo 32, 13: “O Senhor olha dos céus e vê todos os filhos dos.................................”
RESPOSTA: (homens)
3-Salmo 32,15: “O Senhor, que formou o coração de cada um, está
atento a cada um de suas ...............................”
RESPOSTA: (ações)
4-Salmo 17, 22: “É Deus quem me cinge de coragem e aplana o meu.........”
 RESPOSTA: (caminho)
5-Salmo 26,10: “Se meu pai e minha mãe me abandonarem, o Senhor me
..........................”
RESPOSTA: (acolherá)
6-Salmo 31,8: “Vou te ensinar, dizeis, vou te mostrar o caminho que deves seguir; vou te instruir, fitando em ti os meus .........................................”
RESPOSTA: (olhos)
7-Salmo 59,14: “Com o auxilio de Deus faremos proezas: Ele abaterá nossos .................................”
RESPOSTA: (inimigos)
8-Salmo 67, 20: “Bendito seja o Senhor todos os dias. Deus, nossa salvação, leva nossos................................”
RESPOSTA: (fardos)
9-Salmo 90, 11-12: “Porque aos seus anjos Ele mandou que guardem em todos os teus caminhos. Eles te sustentarão em suas mãos, para não tropeces em alguma ..................”
RESPOSTA: (pedra)
10-Salmo 117,14: “O Senhor é minha força, minha coragem Ele é meu.........”
RESPOSTA: (Salvador)
11-Salmo 144,9: “O Senhor é bom para com todos, e sua misericórdia se estende a todas as suas...............”
RESPOSTA: (obras)
12-Salmo 144, 18: “O Senhor se aproxima dos que O invocam, daqueles que O invocam com .......................................................”
RESPOSTA: (lealdade)
13- Salmo 149 4: “Porque o Senhor ama seu povo e dá aos humildes a honra da ...............................”
RESPOSTA: (vitória)
14- Salmo 15, 1: “Guardai-me, ó Deus, porque é em vida que procuro...........................”
RESPOSTA: (refúgio)
15- Salmo 21,11: “Eu vos fui entregue desde o meu nascer, desde o ventre de minha mãe vós sois o meu.............................”
RESPOSTA: (Deus)
16- Salmo 22, 1 “O Senhor é meu Pastor, nada me ..................................”
RESPOSTA: (faltará)
17- Salmo 29,3: “Senhor, meu Deus, clamei a Vós e fui...........................”
RESPOSTA: (curado)
18- Salmo 32,12: “Feliz a nação que tem o Senhor por seu Deus e o povo que Ele escolheu para sua ...................................”
RESPOSTA: (herança)
19-Salmo 33,16: “Os olhos do Senhor estão voltados para os justos e seus ouvidos atentos aos seus ............................................”
RESPOSTA: (clamores)
20-Salmo 36,4: ”Põe tuas delicias no Senhor, e os desejos do teu coração Ele..................................”
RESPOSTA: (atenderá)
21-Salmo 45,9: “Vinde admirar as obras do Senhor, os prodígios que Ele fez sobre a ............................................”
RESPOSTA: (terra)
22-Salmo 50,12: “Ó meu Deus criai em mim um coração que seja puro, renovai-me o espírito de ...................................”
RESPOSTA: (firmeza)
23- Salmo 67, 29: “Mostrai, ó Deus o vosso poder, esse poder com que atuastes em nosso.........................”
RESPOSTA: (favor)
24- Salmo 71, 18: “Bendito seja o Senhor, Deus de Israel, que, só Ele faz...............................”
RESPOSTA: (maravilhas)
25-Salmo 88,53: “Bendito seja o nome do Senhor eternamente! Amém!..............”
RESPOSTA: (Amém!)

26-Salmo 92,1: ”O Senhor é rei e se revestiu de majestade; Ele se cingiu com um cinto de ..............................”
RESPOSTA: (poder)
27-Salmo 94,6: “Vinde, inclinemo-nos em adoração, de joelhos diante do Senhor que nos ..........................”
RESPOSTA: (criou)
28-Salmo 96,12: “Alegrai-vos, ó justos, no Senhor, e daí glória ao seu Santo ...................................”
RESPOSTA: (Nome)

sinceridade clamores faltará pedra
inimigos fardos olhos refúgio
poder Deus obras Salvador
Salvador criou Nome terra
acolherá refúgio homens herança
atenderá maravilhas clamores favor
firmeza curado ações vitória
homens sinceridade atenderá caminho
favor refúgio Salvador herança
caminho Deus clamores amém
eles sinceridade faltará obras
terra curado atenderá refúgio

TEMA CENTRAL: BIBLIA (CONHECENDO A BÍBLIA)
4. O que é a Bíblia?
OBJETIVO: Compreender que a Bíblia é a Palavra de Deus e que foi escrita para você
- O que é a Bíblia?
- para quem foi escrita?
- por quem foi escrita?
MATERIAL:
-Bíblia
- cartolina com o esboço do mapa em anexo, sem escrever os nomes do livros do AT e do NT
- marcadores de Bíblia (apenas recortados de cartolina de cor clara)
 Obs.: O catequista antecipadamente deverá estudar a parte “Introdução Geral” da Bíblia Ave Maria, o que muito contribuirá com as explicações do tema de hoje.
HISTÓRIAS QUE EVANGELIZAM
“O PÃOZINHO” (FAIXA 12 DO CD/ VOLUME I)
ROTEIRO DO ENCONTRO
(EXPERIÊNCIA/DIÁLOGO/ APROFUNDAMENTO/ATIVIDADES)
- pedir que cada adolescente fale o seu Salmo memorizado da semana passada e explique como viveu esse trecho da Palavra de Deus;
- relatar como Deus o amou na semana que passou.
Dialogar:
* o que você sabe sobre a Bíblia?
* conte um fato bíblico que você conhece ou que gosta muito
*de que assuntos a Bíblia trata?
* você lê a Palavra de Deus/
* de acordo com a carta de São Paulo II Tm 4,1-2, qual a finalidade da Palavra de Deus?
         A Bíblia é a historia da lealdade de Deus para com o povo que Ele escolheu para testemunhar Seu amor (cf. Dt 7, 7-8). Ler esta passagem.
        A Bíblia é uma biblioteca que contém 73 livros, 46 do Antigo Testamento e 27 do Novo Testamento. “Testamento” significa “Aliança”, “Compromisso” “Contrato”. A palavra “BIBLIA” é de origem grega e significa “livros” ou “biblioteca”, afinal é composta de vários livros. Podemos falar “Bíblia”, “Palavra de Deus”, “Sagrada Escritura”. Para facilitar a sua leitura, a Bíblia está dividida em capítulos e versículos.  Você já sabe procura uma passagem na Bíblia? Faremos um exercício: é necessário que vamos aprendendo aos pouquinhos, porém, é necessário fazer esse exercício diariamente. Atualmente, a Bíblia é o livro mais editado no mundo. Já foi traduzida para mais de 1600 línguas. Até quem não tem religião reconhece nela um patrimônio valioso para a humanidade. Foi elaborada por pessoas simples, mas preocupadas em mostrar a presença e a ação de Deus na história. O Antigo Testamento começou a ser escrito aproximadamente 1200 anos a.C.. após a ressurreição de Cristo os livros do Novo testamento começaram a ser escrito pelas comunidades cristãs.
     A Bíblia não fala só de Deus, mas também do Povo de Deus. Ela traz cartas, orações, poesias, discursos, histórias, narrações, fala das alegrias e das tristezas do povo de Deus.
      A Palavra de Deus é vida! Entrando na vida da Bíblia descobrimos o povo de Deus com seu jeito de ser, com sua história, com sua experiência diante do amor de Deus. A Bíblia nos ajuda a entrar também em nossa própria vida e nos faz refletir sobre a nossa história, sobre a nossa identidade de filho e filha de Deus. Vamos pensar um pouquinho: “Como está a nossa vida? “Como está a vida da nossa família?”“ Como está a vida do nosso bairro?”“ Como está a vida de nosso país?”“ Como está a vida do nosso planeta?”“. Com a Bíblia descobrimos que quando somos infiéis à nossa missão, a caminhada se torna mais difícil.
-Deus não quer o sofrimento, nem a miséria dos seus filhos. Por isso declara o Seu amor e dá ensinamentos valiosos para Seu povo, que somos nós.
   Na Bíblia encontramos significado e resposta para nossa vida:
*Deus está conosco
* Deus nos convida a participar de Seu projeto, cuidando do mundo;
* Deus nos acompanha sempre e nos quer felizes, nesta vida e na eternidade.
-Formar dois grupos com os adolescentes: um pesquisará os livros que compõem o Antigo Testamento e o outro pesquisará os nomes dos livros que compõem o Novo Testamento para completar o cartaz previamente preparado pelo catequista.
- Refleti: por que podemos comparar a Bíblia com: luz, água, pão, mel, ouro, fogo, martelo, espada.
-entregar os marcadores previamente recortados para que cada um ilustre em casa e escreva uma mensagem bíblica que goste muito, para oferecer a um amigo da turma na próxima semana (fazer um amigo-secreto de marcador de Bíblia); lembrar que não podem faltar, para que ninguém fique sem seu marcador; o catequista deve participar também, bem como a dona da casa (se o encontro for em casa),
-Is 55, 10-11
-II Tm 3,16-17
VIDA DE SANTIDADE:
-SANTO TOMÁS DE AQUINO (FAIXA 13 DOCD/VOLUME I)
ORAÇÃO/CANTO
“Tua Palavra é luz para meu caminho” (FAIXA 14 DO CD/VOLUME I)
REFLEXÃO/RESPOSTA/COMPROMISSO DA SEMANA
-Ler Ex19,5-8 (no encontro e em casa para memorização). Atrás da folha registre como você conseguiu viver essa palavra.
-II Tm 3,16
       
TEMA CENTRAL: BIBLIA (CONHECENDO A BÍBLIA)
5. Antigo Testamento
OBJETIVO: Ver qual é a importância do Antigo Testamento dentro do Plano de Deus para o homem.
- De que trata o Antigo Testamento?
- Para quem está dirigido?
- Deus espera a minha resposta.
MATERIAL:
-Bíblia
- CD
HISTÓRIAS QUE EVANGELIZAM
“ABRIR A JANELA” (FAIXA 15 DO CD/VOLUME I)
ROTEIRO DO ENCONTRO
(EXPERIÊNCIA/ DIÁLOGO/APROFUNDAMENTO/ATIVIDADES)
-ler novamente a leitura pedida da semana passada (Ex 19, 5-8) e pedir que cada adolescente partilhe como conseguiu viver essa Palavra
- passagem para memorizar: conseguiram?
- O Antigo Testamento narra a aliança que Deus fez com o povo hebreu. É a própria história do povo: com os momentos de fidelidade e infidelidade a Deus, de alegria e sofrimento, sucesso e fracasso, ao longo de quase dois mil anos.
- Vamos observar com atenção alguns fatos do Antigo Testamento, analisando como temos vivido também nós com relação a essas situações,  partilhando como foi a resposta do povo daquela época e como tem sido a nossa resposta a Deus hoje em dia.
- O catequista deve iniciar a conversa perguntando se eles conhecem alguma pessoa, da própria família ou não, que foi morar em outro lugar ou outra cidade, outro estado, para começar uma nova vida.. Depois de ouvir os adolescentes, o catequista pode perguntar novamente: “Conhecem alguma pessoa que deixou tudo para servir a Deus?”. Lembrar então que não são só aquele que vão se dedicar à vida religiosa e sacerdotal, mas também as pessoas na comunidade que deixam o horário do descanso para servir a Deus, ou deixam de passear e viajar para colaborar no Projeto de Deus.
- Abraão era um homem de grande fé. Viveu por volta dos anos 1850 a.C.. Quando Deus o chamou para viajar para uma outra terra., ele deixou sua terra, casa. Abraão era uma pessoa muito boa porque acreditava em Deus, e fez a vontade Dele. Abraão é chamado o homem de fé, ou o Pai da Fé. Por causa de sua fé, Deus fez uma grande nação e deu um filho à sua mulher, Sara. Abraão é amigo de Deus. De fato, a Bíblia tem issoa  dizer sobre esse homem; “Abraão teve fé no Senhor, e por isso o Senhor o considerou justo” (Gn15,6)
-Formar três grupos entre os adolescentes; cada grupo ficará encarregado de ler e apresentar uma breve explicação sobre cada passagem: Gn 12, 1-10; Gn 17,1-9; Gn 22, 1-19
-Mais um fato importante do Antigo Testamento é sobre Moisés. Mas antes temos que lembrar que os descendentes de Abraão sofreram muito por causa do Faraó. Hoje vemos sofrimentos do povo de Deus? Como são esses sofrimento atualmente? 
  -Deus ajuda os lideres que lutam pelo interesse da comunidade. Então um dos lideres que Deus escolheu e enviou para salvar o povo de Israel foi Moisés. No tempo de Moisés, o povo hebreu vivia na escravidão do Egito. Os egípcios começaram a ter medo do povo hebreu, quem aumentava rapidamente. O faraó ordenou então que todos os filhos homens nascidos dos judeus deveriam ser mortos. O povo de Deus estava sofrendo muito no Egito, trabalhando como escravo, produzindo grandes monumentos para o faraó. Moisés nasceu nesse tempo sofrimento do povo.
-Formar novamente três grupos com os adolescentes, onde cada grupo lerá uma passagem e fará uma breve apresentação. Ex 2,1-10; Ex 3, 1-8; Ex 12, 1-14
- Alguns meses após terem saído do Egito, Moisés, o grande líder dos judeus, subiu sozinho à montanha do Sinai. Lá, Deus falou com Moisés e deu para o povo uma Lei: “Os Dez Mandamentos”
-Leitura partilhada: Ex 20, 1-21
-ao fazer a cruzadinha, deve ser feita a explicação completa de cada palavra; dessa forma surgirão  novos conhecimentos com relação a cada livro do Antigo Testamento:
OBS.: resposta da cruzadinha (só para o catequista)
1-JEREMIAS                              9-MALAQUIAS
2-JÓ                                      10-ZACARIAS
3-JUDITE                                11-GÊNESIS
4-DEUTERONÔMIO                     12-LAMENTAÇÕES
5-ECLESIÁSTICO                       13-AGEU
6-JOSUÉ                                 14-JOEL
7-SABEDORIA                           15-DANIEL
8-ISAÍAS
-fazer o amigo-secreto de marcador de Bíblia
-Gn 12,1-10
-Gn 17, 1-9
-Gn 22, 1-19
VIDA DE SANTIDADE:
-SÃO JERÔNIMO (FAIXA 16 DO CD/VOLUME I)

ORAÇÃO/CANTO
-“Liberta o meu povo”- Adriana 9FAIXA 17 DO CD/VOLUME I)
REFLEXÃO/RESPOSTA/COMPROMISSO DA SEMANA:
-Deus confiou em muitas pessoas no Antigo Testamento, para colaborar com plano de amor e salvação para seu povo que estava escravo...
Hoje é em você que Deus confia. Qual é a sua resposta?
-1-Perceba se conseguirá nesta semana fazer o que fez Abraão, a pedido de Deus: “deixar alguma coisa sua, ou um pouco do seu tempo, para se colocar a serviço do próximo”. Registre atrás da folha.
-Moisés defendeu o povo de Deus. Como você pode se comprometer a colaborar com Deus defendendo e ajudando o povo de Deus nesta semana? Registre se você conseguiu atingir esse propósito.

-Para memorizar: Gn 12,1

TEMA CENTRAL: BIBLIA (CONHECENDO A BÍBLIA)
6. Novo Testamento
OBJETIVO: descobrir no NT a presença de Jesus no mundo e como se cumpre o plano de salvação de Deus.
- O que é o Novo Testamento?
- Como se cumpre o Plano de Salvação?
- Qual é minha resposta diante do NT?
MATERIAL:
-joguinho dos Atos dos Apóstolos;
- um dado;
Quatro fichas com os nomes dos Apóstolos, conforme mostra a folha do joguinho (é importante que estejam escritos os nomes dos apóstolos)
HISTÓRIAS QUE EVANGELIZAM
-“O ESPECIALISTA” (FAIXA 18 DO CD/ VOLUME I)
ROTEIRO DO ENCONTRO
-EXPERIÊNCIA/DIÁLOGO/ APROFUNDAMENTO/ATIVIDADES)
-resgatar o tema anterior e verificar como foram vividas as questões propostas para esta semana;
-fazer uma revisão dos temas 4 e 5;
-passagem para memorizar: conseguiram?
-Toda a família fica feliz com o nascimento de uma criança. Quanto carinho, quanta preparação!. Também o nascimento de Jesus foi preparado com muito carinho por Deus. A partir do nascimento de Jesus, tudo Oe está escrito na Bíblia chamamos de “Novo Testamento”, ou “Nova Aliança”.
  Desde os tempos do profeta Isaias, no Antigo Testamento, o povo de Israel esperava a chegada do messias. Muitos pensavam que ele se manifestaria como um poderoso e forte líder que iria libertar o povo hebreu do poder dos romanos. Mas não! Jesus nasceu pequenino, filho de uma moça humilde, num lugar muito simples. E as primeiras pessoas que receberam a noticia do nascimento de Jesus foram um grupo de pastores- pessoas simples e generosas.
- Jesus nasceu numa família como a nossa; viveu no meio do seu povo. Aprendeu a trabalhar como carpinteiro; aprendeu a ler e escrever; frequentou a sinagoga. Vamos ler uma passagem de quando Jesus tinha 12 anos: Lc 2,41-51
- O Novo Testamento contém os quatro Evangelhos, os quais foram escritos por homens que estiveram entre os primeiro a ter fé e que queriam compartilhá-la com os outros. Nos Evangelhos conhecemos a vida de Jesus, seus gestos, seus milagres, suas palavras, sua morte, sua ressurreição, sua missão redentora.
- Também no Novo Testamento conhecemos os amigos de Jesus. Ele escolheu 12 apóstolos (apostolo significa “enviado”) e formou-os na mente e no coração com sua Boa Nova e enviou-os para continuar a obra que Ele começou.
- Encontramos também no Novo Testamento varias cartas dirigidas às comunidades cristãs.
-Ler Lc 5,1-11
-ao fazer a cruzadinha, deve ser lida em voz alta a explicação completa de cada palavra: dessa forma surgirão novos conhecimentos com relação a cad livro do Novo Testamento.
-“Senhor, mostra-nos os teus caminhos e ensina-me as Tuas veredas. Guia-me em Tua verdade, ensina-me, pois Tu és o meu Deus Salvador. Espero em Ti o dia todo por causa da Tua bondade e do Teu amor que existem desde sempre e para sempre. Não recordes meus desvios da juventude, mas lembra-Te de mim, conforme o Teu amor” (Sl 25,4-7)
-ressaltar que no Novo Testamento aparece o nome de Maria, sua história, a escolha como Mãe de Jesus e nossa Mãe
-leitura de Lc 1,26-56
VIDA DE SANTIDADE:
-SANTO ANTONIO (FAIXA 19 DO CD/VOLUMR I)
ORAÇÃO/CANTO
-“Te amarei” (FAIXA 20 DO CD/VOLUME I)
-“Santo”- Pe. Cleidemar Moreira (FAIXA 21 DO CD/VOLUME I)
REFLEXÃO/ RESPOSTA/ COMPROMISSO DA SEMANA:
-Os apóstolos ajudavam a Jesus na pregação da Boa Nova. Ainda hoje Jesus chama outros amigos que devem proclamar a salvação e o amor de Deus. Como você poderá fazer isso nesta semana?
-Jesus perdoava os pecados: o amigo de Jesus deve estar sempre pronto para perdoar. Observe se você é capaz de cumprir essa proposta!
- Jesus curava os doentes: o amigo de Jesus ajuda todos os doentes e todos os pobres da sua comunidade. Emprenhe-se nesta semana para fazer isso!
- Jesus ensinou a Boa Nova: o amigo verdadeiro de Jesus fala em nome de seu Mestre. Preste atenção quando será o momento de falar “em nome de Jesus”
-Quando Jesus estava no mundo, formou um grupo de pessoas para continuar o Seu trabalho: hoje nós, cristãos, fazemos parte deste grande grupo. Nós também podemos ser chamados amigos e colaboradores de Jesus
Oração: ”Senhor Jesus hoje continuas chamando colaboradores para a missão de evangelizar. Jesus, me chamaste no dia do meu Batismo. Ajuda-me a perseverar e faz de mim um bom apostolo. Amém”
-para memorizar: Lc 2,52

TEMA CENTRAL: CELEBRAÇÃO DA FÉ (IMPORTÂNCIA DE CELEBRAR)
7 Celebrar a Eucaristia
OBJETIVO: compreender que sua participação é importante na Eucaristia
-Como você celebra a sua fé na Eucaristia?
-A Eucaristia é Jesus vivo
- Como viver a Eucaristia para reviver a comunhão com a Igreja e com Deus?
MATERIAL:
-solicitar cartolina para o próximo encontro
-Bíblia
-CD
HISTÓRIAS QUE EVANGELIZAM
-“UM COPO DE LEITE” (FAIXA 1 DO CD/VOLUME 2)
ROTEIRO DO ENCONTRO
(EXPEIRÊNCIA/ DIÁLOGO/APROFUNDAMENTO/ATIVIDADES)
-resgatar o tema anterior e verificar se foram vividas as questões propostas para esta semana;
-passagem para memorizar: conseguiram?
-Antes de Jesus morre na cruz, Ele nos deixou um presente: a Celebração da Missa. Se é presente de Jesus, como poderíamos recusar? Através da Missa, Jesus se torna presente no meio de nós. Como então desprezar um presente tão maravilhoso?
-A comunhão no Corpo e no Sangue de Cristo é tão necessária para a nossa vida, como ao alimento que comemos todos os dias é indispensável para a saúde do nosso corpo. O que acontece quando você fica sem almoçar: Ou sem tomar água por muito tempo? O que acontece conosco se não nos alimentamos do Corpo e Sangue de Jesus?
-Ler Jo6,54-58
-na Missa (ou Celebração Eucarística ou da Eucaristia):
* a comunidade revive a paixão, morte e ressurreição de Jesus;
* a comunidade celebra a sua caminhada libertadora;
*  a comunidade partilha a sua fé.
-A Eucaristia é “fonte e ápice da vida cristã”. A mesa da comunhão resume a vida cristã e nos traz a presença do próprio Cristo, nossa força. A seguir encontram-se as principais idéias que expressam o sentido do Sacramento da Eucaristia;
1-Memorial do sacrifício de Cristo: Toda a vida de Jesus foi dom. A sua morte nos revela que Ele veio para doar sua vida por nós. Antes, porém, Ele realizou uma ceia., dano sentido à sua morte: deixou-nos um sacramento que faz memória de sua vida oferecida em sacrifício por toda a humanidade. Na Bíblia, a palavra memorial significa uma mera recordação dos fatos passado, mas se entende que as realizações de Deus em favor de seu povo são atuais. A Páscoa dos judeus, quando celebrada, significava a libertação para todos os descendentes dos que estavam sob a escravidão no Egito. A Eucaristia é um sacrifício: Cristo é o Cordeiro imolado sobre o altar (a exemplo dos sacrifícios do Antigo Testamento). Contudo, Jesus realizou um sacrifício definitivo que nos traz a salvação- a participação da vida divina. Na celebração da Eucaristia, tal fato torna-se presente e atuante.
-Ler CIC 1364 e I Cor 11,23-25
2-Presença real de Cristo: Pelas palavras pronunciadas na consagração, Cristo se torna verdadeiramente presente sob as espécies do pão e do vinho, Chamamos tal mistério de “transubstanciação” (a substância se transforma): o pão e o vinho se tornam outra realidade- o corpo e o sangue do Senhor. A presença eucarística do Senhor é claramente expressa no discurso do pão da vida.
- Ler Jo 6,22-59 ou verificar de 51 a 57
-Comunhão com Deus e com os irmãos: A Eucaristia nos une a Cristo, dando-nos a graça de progredirmos na santidade, apagando os pecados veniais. Quem comunga pode dizer como São Paulo: “Eu vivo, mas já não sou eu- é Cristo que vive em mim” (Gl 2,20). A Missa é a mesa da partilha, no qual comemos do mesmo pão e nos unimos ao Corpo Místico de Cristo. Portanto, a Eucaristia é o Sacramento da unidade dos cristãos.
-Ler I Cor 10, 16-17
-Antecipação da Glória futura: Na Eucaristia antecipamos a glória celeste, quando estaremos em plena e definitiva comunhão com Deus e com nossos irmãos, pois Deus será “tudo em todos” (I Cor 15,28). Enquanto o Reino definitivo não acontece, participamos da mesa que antecipa o banquete eterno e aguardamos a vida do Senhor. Por isso, exclamamos com ansiedade: ”Maranatha´” “Vem, Senhor Jesus!” A Eucaristia nos convida à prática cristã. Quem participa do banquete eucarístico é convidado a unir os sofrimentos e Cristo e imitá-Lo. A nossa vida deve ser doada (um morre continuo), para que morrendo com Ele, participemos da Sua ressurreição. Animados pela presença de Cristo em nós, somos chamados a antecipar o Reino definitivo aqui, fazendo acontecer a mesa da união, da justiça e da paz.
-Ler I Cor 11,26
VIDA DE SANTIDADE:
-SÃO TARCISIO (FAIXA 2 DOCD/VOLUME 2)
ORAÇÃO/CANTO
-“Majestosa Eucaristia”-Anjos de Resgate (FAIXA 3 DO CD/VOLUME2)
-“Em teu altar” ¬Walmir Alencar (FAIXA 4 DO CD/VOLUME 2)
REFLEXÃO/RESPOSTA/COMPROMISSO DA SEMANA
-Por que é importante a participação semanal na Missa? Alguém já consegue participar todos os dias da Santa Missa e receber a Eucaristia? Quais os horários das Missas em nossa Paróquia? Qual horário você escolhe?
- Há dificuldades nestes adolescentes para a participação da Eucaristia?
Quais são? Como enfrentá-las (partilhar com todos e também levar esta
reflexão para casa, trazendo a resposta para o próximo encontro).
-Na Missa desta semana, viver com intenso amor todas as partes e em
Especial o momento da Comunhão Eucarística.
-Anotar atrás da folha alguma observação, dúvidas que você teve ou
alguma pergunta que queira fazer sobre a Missa.
-Após a Eucaristia de domingo, como fez comunhão de vida com as pessoas
de sua casa, de sua escola, da vizinhança... registre suas experiências
atrás da folha.
-Para memorizar: Jo 6,35
 
TEMA CENTRAL: CELEBRAÇÃO DA FÉ (IMPORTÂNCIA DE CELEBRAR)
8. Celebrar a Palavra
OBJETIVO: Descobrir na bíblia como minha vida pode ser uma festa com Deus.
-Uma vida sem Deus
-A felicidade e crer
-Viver em Jesus
MATERIAL:
-três jarras
-três envelopes de refresco em pó
-copinhos descartáveis
-aparelho de CD
-jogo das parábolas
HISTÓRIAS QUE EVANGELIZAM
-“O HOMEM QUE NÃO SE IRRITAVA” (FAIXA 5 DO CD/VOLUME 2)
ROTEIRO DO ENCONTRO
(EXPERIÊNCIA/ DIÁLOGO/APROFUNDAMNETEO/ ATIVIDADES)
-resgatar o tema anterior e verificar como foram vividas as questões propostas para esta semana;
- A fé é um dom, é um presente que só De4us pode nos dar. É a identidade testemunhada publicamente. A força da fé transforma a sociedade, porque torna as pessoas corajosas para assumir compromisso em favor da justiça, da partilha, do amor e da vida de todos.
- A quem O segue Jesus dá coragem de testemunhar a fé. Aquela fé espiritualista que não vai além da aparência da piedade, não se compromete com as necessidades dos irmãos, nem se solidariza com ninguém, pode ser uma fuga da realidade e um refúgio para a acomodação.
-Viver a fé é um desafio. No início da Igreja, os cristãos- nomeados mártires- isto é testemunhas eram perseguidas, torturadas e mortas. No decorrer da história, a Igreja sempre teve homens e mulheres que viveram a fé em alto grau, no seu dia-a-dia.
Ou em circunstâncias extraordinárias de perseguição e de martírio. Atualmente o desafio continua, porque a maioria das pessoas se preocupa muito com o “ter mais” e “ser mais” na escala social. Esses passam a ser os valores mais importantes. Assim, aumentam as frustrações, os vícios, a violência e a falta de amor e respeito pela vida.
-Quem deseja seguir Jesus precisa ter uma espiritualidade alimentada pela oração e pela Palavra de Deus. É preciso ter Cristo no coração, para que Ele se comunique com as pessoas por meio de suas atitudes e palavras. A fé é necessária para podermos entrar na vida eterna e é indispensável para a vida terrena, pois dela vem a graça de Deus, que nos dá força para viver a cada dia, mesmo com dificuldades. Nos Evangelhos, vemos que Jesus tinha compaixão das pessoas que sofriam e as libertava quando elas lhe suplicavam com fé.
- Uma vida com Deus garante força sempre. Vamos conhecer algumas passagens onde Jesus trouxe vida e alegria para as pessoas e verifique enquanto faz a leitura, como Jesus pode agir em sua vida também.

Dinâmica: Coloque sobre a mesa três jarras com água; ao lado da primeira jarra coloque um envelope de refresco fechado; dentro da segunda jarra outro envelope de refresco, porém fechado; com a terceira jarra de água derrame o pó de refresco e adoce. Sirva suco a todos e depois partilhem as conclusões. Que tipo de relacionamento queremos ter com Deus:
*fora do seu amor;
*próximo do seu amor, porém sem se deixar envolver;
*imerso em seu amo, deixando sua vida repleta da graça divina.
-Jogo das Parábolas:
-Antes de iniciar o jogo, as cartelas deverão ser coladas em cartolina pata que fiquem mais resistentes.
Este jogo é o jogo da memória, porém serão necessárias três cartelas que se relacionem com: mensagem, ilustração e passagem bíblica para que sejam feitos os “pares”, ou seja, os “trios” de cartelas. De um lado da mesa ficarão viradas para baixo as cartelas menores, que trazem uma mensagem; no centro das mesa ficarão as cartelas com as ilustrações, também, viradas para baixo; do outro lado da mesa ficarão as cartelas que trazem as passagens bíblicas, viradas para baixo também. Antes de começar, as cartelas devem ser embaralhadas, evitando que sejam vistas de inicio as cartelas. O objetivo é fazer o “trio” de cartelas, associando a mensagem da cartela menor com a ilustração e a passagem bíblica correspondente. É importante que todas as leituras sejam feitas; se não se faz a leitura, não ganha pontos. Para verificar se as cartelas são correspondentes verificar-se a pontuação de cada trio, que deve ser a mesma. Quem consegue fazer um trio correto (o catequista deve confirmar) ano0ta a pontuação na folha. Ao final soma-se a pontuação, verificando qual o grupo vencedor.
VIDA DE SANTIDADE:
-“SANTO AGOSTINHO” (FAIXA 6 DO CD/ VOLUME 2)
ORAÇÃO/CANTO
“Em tua presença”- Pe. Cleidimar Moreira (FAXAI 7 DO CD/ VOLUME 2)
REFLEXÃO/RESPOSTA/COMPROMISSO DA SEMANA
-Observe esta semana algumas situações com você e com outras pessoas que revelam:
*um, vida com Deus e com fé;
*uma vida sem Deus e sem fé.
-para memorizar: II Tm 3,16-17 
        

TEMA CENTRAL: CELEBRAÇÃO DA FÉ (IMPORTÂNCIA DE CELEBRAR)
 9. Celebrar na Oração
OBJETIVO: Descobrir que a intimidade com Deus na oração é uma celebração
-O que é oração/
-Como fazer de sua oração vida?
-Sua vida é oração.
MATERIAL:
-aparelho de Cd
-Música instrumental religiosa
HISTÓRIAS QUE EVANGELIZAM
-“A PORTA” (FAIXA 8 DO CD/ VOLUME 2)
-ROTEIRO DO ENCONTRO
(EXPERIÊNCIA/ DIÁLOGO/APROFUNDAMENTO/ATIVIDADES)
-resgatar o tema anterior e verificar como foram vividas as questões propostas para esta semana;
-frase para memorizar: cada um fala a sua.
-O deserto é o,local de despojamento. Quando o povo de Israel andava no deserto, estava sob a providência divina, sem muitas posses, procurando água e comida. É nessa situação que Deus fez aliança com seu povo.
-Por outro lado, quando o povo de Deus se estabeleceu na cidade, ficou fascinado com seus atrativos e muitos s esqueceram da mão de Deus que os conduzia até a terra prometida; esqueceram a experiência do deserto. Por isso, Deus convida seu povo para que retorne ao deserto: “por isso a atrairei, conduzi-la-ei ao deserto e falar-lhe-ei ao coração” (Os 2,16). Deus quer restituir a aliança do Sinai, considerando o povo como sua esposa, estabelecendo uma aliança de amor de amor e fidelidade.
-Na nossa relação com Deus, somos convidados a repetir constantemente a experiência do Povo de Israel, ou seja, somos convidados a fazer a experiência de aliança no deserto do nosso interior, despojando-nos de nossas posses, da que obscurece nossa vista e do que nos fascina, para nos colocarmos na presença do Senhor.
-No deserto de nossa interioridade, podemos escutar a voz de Deus e cultivar a união com Ele, nunca esquecendo que é Deus quem tem a iniciativa, enquanto nós respondemos ao chamado divino.
-Um bom modo de cultivarmos o encontro com o Senhor e de renovarmos aliança com Ele é a oração mental. A oração mental é a modalidade de oração em que ficamos na presença do Senhor, de modo espontâneo, sem ritos, nem formulas. É o “comercio intimo de amizade em que conversamos muitas vezes com Deus por quem nos sabemos amados”. Difere das demais formas de oração porque é mais espontânea. É a modalidade de oração que expressa melhor o encontro de relação entre Deus e o ser humano. O Santo Cura D’Ars nos diz que a oração é uma troca de olhares com o Senhor: “Eu olho para Ele e Ele olha para mim”.
-Existem muitas maneiras de orar. A Sagrada Escritura e as fórmulas da Tradição da Igreja são excelentes fontes de oração. Contudo, é muito importante que exercitemos momentos de espontaneidade diante de Deus, quando abrimos nosso coração e falamos de nossa vida do que fazemos e  sentimos.
- A comunhão com Jesus conduz os discípulos (nós) a assumirem uma atitude operante e contemplativa, assim fez o Mestre. A comunhão com Jesus nos ensina a rezar com os mesmos sentimentos com os quais Ele se dirigia ao Pai.
-Quanto mais nos aproximamos de Deus com nossa oração, mais vamos descobrindo admirados, a ação de Deus em nossa vida. N osso coração tem necessidade de renovar a nossa aliança com o verdadeiro Deus que nos ama. Na verdade, o nosso deserto acontece no nosso interior, no nosso coração. Para chegarmos, precisamos nos despojar de todas as barreiras que atrapalham a oração. Na sua vida, o que quer atrapalhar a sua oração, o seu encontro intimo com Deus que tanto o ama?
-Vamos fazer uma experiência de deserto. A oração proposta é chamada por alguns autores de oração contemplativa. Na verdade, trata-se de uma experiência simples que procura fazer o uso das imagens, valorizando a espontaneidade. Nesta oração, serão trabalhadas duas imagens: o deserto e o santuário.
*no deserto caminhamos rumo ao Senhor, despojando-nos do que nos pode atrapalhar;
*no santuário (Igreja) fazemos nosso encontro com o Senhor diante do sacrário.
-Dinâmica:
*Rezar com os adolescentes uma oração pedindo que o Espírito Santo ilumine este momento de oração;
*colocar uma música instrumental;
*pedir que os adolescentes fiquem em uma posição confortável, relaxados e de olhos fechados. Conduzir tudo lentamente, a te perceber que todos estão preparados para a oração;
*os membros do grupo são conduzidos à oração por meio de ima narrativa no qual s descreve o ambiente:
“Imagine-se em um deserto. Tudo está vazio e você apenas percebe o céu azul e as dunas de areia. Você caminha, sentindo o calor da areia e, ao longo da caminhada vai se despojando de suas distrações e de suas resistências. Enquanto caminha você se esquece deste local e se aprofunda no mistério e Deus que fala no silêncio do seu coração (deixar momentos de silêncio, valorizando a imagem do deserto como imagem do nosso interior, insistindo na idéia de voltar-se para o interior de si mesmo)
De repente você avista uma grande construção- é uma Igreja. Você entra vagarosamente e se surpreende com a beleza do Templo (descrever o interior da Igreja). Você caminha até o presbitério, faz uma reverência e se põe de joelhos em frente ao sacrário. De repente, a imagem do próprio Cristo aparece diante de ocê: Jesus vem se aproximando, sorri para você, ama-o silenciosamente com olhos fixos nos seus olhos e lhe dá a mão. Diante de Jesus agradeça e louve a Deus pela vida (deixe alguns instantes para que cada um faça sua própria oração em silêncio). Depois faça uma oração de súplica, pedindo aquelas coisas que você julga necessárias (dar um tempinho para a oração se feita no silêncio do coração). Agora você se despede de Jesus e retorna com muita alegria, feliz por ter se encontrado com próprio Cristo. Você retorna até a porta da igreja e avista novamente o deserto: porém se Deus o deixou feliz, leve essa felicidade às pessoas que for encontrando. Como pode acontecer isso?        
    
-Leitura (ler, partilhar o que Deus nos ensina com essas passagens e usá-las para o “Caça-Palavra”
 *I RS 19,1-18
*Salmo 138
*Mt 14,23
-É importante ressaltar o sentido da oração em comunidade e a importância do Dia do Senhor, o domingo dedicado ao Senhor, especialmente a participação à Santa Missa.
-Leituras com reflexão:
Mt 26,36-44; Lc 11,1; Mc 1,35; Lc 9,28-29; Jo 17
*Jesus ensina uma oração: Mt 6,7-13
*Como rezar: Mt 6, 5-8; 7,7-11; Mc 11,24-25
*Comparações: Lc 11, 5-13; Lc 18,10-14
*Os apóstolos e os primeiros cristãos também rezam: At 1,14; 1,24; 2,46-47; 3,1; 4,24 e 31; 12,5 e 12; Tg 1,5-8; 5, 13-16
VIDA DE SANTIDADE:
-SANTA MÔNICA (FAIXA 9 DO CD/VOLUME 2)
ORAÇÃO/CANTO
-“Senhor, tu me sondas”- Adriana (FAIXA 10 DO CD/VOLUME 2)
REFLEXÃO/RESPOSTA/COMPROMISSO DA SEMANA:
-O catequista deve ensinar aos adolescentes a orar nos momentos importantes do dia e de preferência que seja com seus pais. Fazer o propósito de oração ao longo do dia, nos diversos momentos e trazer para o encontro seguinte a resposta como tudo aconteceu.
-marcar um dia desta semana para a visita ao Santíssimo Sacramento, de preferência 5ª feira, ou quando há exposição para criar cada vez mais o habito da oração; repetir essa experiência e sugerir que façam com seus pais também em outros momentos.
-para memorizar: Eclo 18,22

TEMA CENTRAL: FAMÍLIA (MINHA FAMÍLIA)
10. Como é minha família?
OBJETIVO: Descobrir como é a relação em minha família
-Como é a relação com meus pais?
- Como é a relação com meus irmãos?
- Apesar de tudo é minha família
MATERIAL:
-aparelho de CD
HISTÓRIAS QUE EVANGELIZAM
-“MIOLO DE PÃO” (FAIXA 11 DO CD/ VOLUME 2)
ROTEIRO DO ENCONTRO
(EXPERIÊNCIA/ DIÁLOGO/ APROFUNDAMENTO/ATIVIDADES)
-resgatar o tema anterior e verificar se forma vividas as questões propostas para esta semana;
-frase para memorizar: conseguiram?
-Todos fazemos parte de uma família, algumas grandes, outras pequenas. Cada família com suas características, com seus desentendimentos, suas separações, suas mágoas, mas também com suas alegrias, seus começos, seus gestos de amor. Cada um tem  sua história,. E nós carregamos algumas marcas, alguns traços que nos fazem semelhantes à nossa família, que fazem com que outros reconheçam que pertencemos a ela. Na família humana, a exemplo da família trinitária cada um tem papel definido. Na Trindade, o Pai cria, o Filho salva e conduz, o Espírito Santo transforma e fortalece. Em nossa realidade, o pai, a mãe e os filhos têm seu papel a cumprir. Cada um amando, busca a felicidade dos outros. A razão de se família é amar e servir.
-Solicitar que respondam individualmente as questões seguintes. Depois formar grupos de partilha:
*conheço bem minha família?
*de onde vieram meus antepassados?
*qual minha origem: negra, branca, indígena, mestiça?
*assumo minha origem e cultura?
*quais costumes gostamos de viver em nossa família?
*algum fato marcou muito minha família? Foi um fato positivo ou negativo? Por quê? O que vocês aprenderam com esse fato?
*em minha família há coisas de que gosto e outras de que não gosto? Quais? Por quê?
-Proclamar I Cor12,12-27 e refletir, dialogando:
*que papel cada um de nós tem na família: o pai, a mãe, os filhos?
*por que ocorrem tantos desencontros nos nossos relacionamentos?
*o que podemos fazer para que cada um assuma seu papel familiar?
*por que hoje existem tantas famílias incompletas? Analisar as respostas e apresentar o modelo evangélico
-Ef 5, 25-33
-Dependemos uns dos outros para viver! Ninguém é feliz sozinho. Quem não encontra felicidade em casa, busca a companhia de outras pessoas.
No intimo todos desejamos estar em companhia com nossa família para conviver com harmonia e felicidade. Precisamos uns dos outros para repartirmos nossas alegrias, tristezas e esperanças; sabemos que os outros também contam conosco para fazer essa experiência de falar sobre a vida, suas dificuldades e conquistas. Isso é solidariedade. Será que temos sido solidários, companheiros dos demais membros do nosso ambiente familiar? Para que isso aconteça, é preciso lembrar:
*esposo precisa da esposa; pais precisam dos filhos;
*vizinhos precisam uns dos outros;
*uma família precisa das outras famílias, para não se fechar em si mesma.
O QUARTO MANDAMENTO DA LEI DE DEUS ensina a amar e a respeitar os pais, ou as pessoas que nos criaram. Deus quer que depois Dele amemos aqueles que nos eram a vida: “Honra teu pai e tua mãe para que teus dias se prolonguem sobre a terra que te dá o Senhor, teu Deus” (Ex 20,12)
LER CIC 2200
-Porém a vida em família não é um “mar de rosas”, temos problemas com nossos pais, nosso irmãos, nossos parentes...
-Os pré-adolescentes e adolescentes têm a tendência a entrar em conflito com seus pais, ou com as pessoas que exercem o papel deles. “!Querem liberdade de ação, pois aqui já se inicia um certo ensaio para a independência. Na verdade querem libertar-se da autoridade instituída pelos adultos no lar, na escola e na Igreja. Por isso o risco é muito grande: ao tentar maior autonomia podem entra em contato com drogas, conquistar uma independência para a qual ainda não estão preparados, envolver-se com grupos e amizades não muitos saudáveis, entre outros. A catequese deve orientar para que esses adolescentes cristãos e seus pais possam enfrentar essas dificuldades com equilíbrio e sem demasiado desgaste familiar. É preciso educá-los para o verdadeiro amor em família desejado por Deus.
-A família é uma comunidade de fé, de esperança e de caridade; é uma comunhão de pessoas, vestígio e imagem da comunhão do Pai, do Filho e do Espírito Santo. É com razão que o Concilio Vaticano II chamou essa pequena comunidade de “Igreja doméstica”. E se é comunhão, o que une os seus membros é o amor mútuo, como nos ensina São Paulo (ler Ef 5,33-6,1)
-Nos pais, o amor se reflete pela educação que oferecem aos filhos. É seu dever educá-los como filhos de Deus e respeitá-los como pessoas humanas. Educam seus filhos no cumprimento da Lei de Deus mostrando-se eles mesmos obedientes à vontade do Pai dos Céus.
-Nos filhos, o amor familiar reflete-se pelo respeito e obediência a seus pais, ou aqueles que fazem suas vezes. Esse respeito deve ser fruto não apenas de uma obediência cega, mas do amor que brota naturalmente no coração daquele que se sente amado pelas pessoas que lhe deram a vida, amor, dedicação e trabalho por longos anos a fim de que pudesse crescer em estatura, em sabedoria e em graça.
-Por isso, “enquanto o filho viver na casa dos pais deve obedecer a toda solicitação dos pais que vise ao seu bem ou ao da família”. Essa obediência se faz com amor, sem revoltas. Porém não pode ser cega: se o filho tiver plena convicção de que é moralmente mau obedecer as ordens dos pais, ele não deverá segui-las.
-O dever da obediência cessa na idade adulta, porém o respeito e gratidão aos pais jamais deve acabar. “Enquanto puderem, os filhos devem dar-lhes ajuda material e mora, nos anos da velhice, e durante o tempo da doença, da solidão ou da angústia”.
 _Apesar disso, não é raro ver filhos, sejam eles adultos, adolescentes e até mesmo crianças que destratam seus pais ou aquelas pessoas que os criaram. Este ato é um grande erro diante de Deus e dos homens, pois reflete uma grande ingratidão diante de tamanho amor doado. Destratar os pais é desrespeitar o próprio Deus, fonte e origem de toda paternidade, de todo amor e dedicação.
-Converse sem medo com seu grupo de catequese sobre como é sua vida em família, quais os problemas que você tem e quais as alegrias que você sente em família.
-Agora é hora de você olhar para si e perceber como está sua vida em sua casa. Cante com seu grupo de catequese a seguinte música que poderá ajudar muito a entender como é o relacionamento entre pais e filhos:  
  
PAIS E FILHOS
Estátuas e cofres e paredes pintadas
Ninguém sabe o que aconteceu.
Ela se jogou da janela do quinto andar
Nada é fácil de entender.
Dorme agora,
é só o vento lá fora.
Quero colo! Vou fugir de casa!
Posso dormir aqui com vocês?
Estou com medo, tive um pesadelo
Só vou voltar depois das três.
Meu filho vai ter nome de santo
Quero o nome mais bonito.
É preciso amar as pessoas
Como se não houvesse amanhã
Porque se você parar pra pensar
Na verdade não há (...)
Me diz, por que que o céu é azul?
Explica a grande fúria do mundo
São meus filhos
Que tomam conta de mim.
Eu moro com a minha mãe
Mas meu pai vem me visitar
Eu moro na rua, não tenho ninguém
Eu moro em qualquer lugar.
Já morei em tanta casa
Que nem me lembro mais
Eu moro com os meus pais.
É preciso amar as pessoas
Como se não houvesse amanhã
Porque se você parar pra pensar
Na verdade não há (...)
Sou uma gota d'água,
sou um grão de areia
Você me diz que seus pais não te entendem,
Mas você não entende seus pais.
Você culpa seus pais por tudo, isso é absurdo
São crianças como você
O que você vai ser,
Quando você crescer
*Depois de cantar, leia individualmente a letra da musica, tentando entender seu significado.
*A musica retrata inúmeros acontecimentos em família. Você poderá identificá-los. Leia as partes transcritas e tente identificar as diversas situações em família que a canção retrata.
-VIDA DE SANTIDADE:
-SANTA RITA DE CÁSSIA (FAIXA 13 DO CD/VOLUME 2)
ORAÇÃO/CANTO
-“Pais e filhos” (FAIXA 13 DO CD/VOLUME 2)
-“Oração pela família (FAIXA 14 DO CD/VOLUME 2)
-“Quando Ele ressurgiu” (FAIXA 15 DO CD/ VOLUME 2)
REFLEXÃO/RESPOSTA/COMPROMISSO DA SEMANA:
-Ler e refletir: Eclo 3,1-19 no encontro e mais uma vez em casa
-Avalie como tem sido seu modo de viver em sua família. Faça um propósito  de melhorar. Registre atrás da folha.
-para memorizar: Eclo 3, 8
  
  TEMA CENTRAL: FAMILIA (MINHA FAMILIA)
11. Minha família e eu
OBJETIVO: Descobrir qual é minha relação em minha família.
-Meus pais e eu
-Meus irmãos e eu
-Como estou contribuindo em minha família?
MATERIAL
-pedras grandes, cada uma com um nome de pecado relacionado à vida familiar previamente colado embaixo da pedra- de modo que o adolescente não veja qual é a palavra. Exemplo de palavras: egoísmo, ciúme, desprezo, desamor, condenação, fofoca, traição, gritaria, pancada, agressividade, palavrão, raiva, inveja (considerar a quantidade de adolescentes, para que cada um receba uma pedra)
HISTÓRIAS QUE EVANGELIZAM
-“ASSEMBLÉIA NA CARPINTARIA” (FAIXA 16 DO CD/VOLUME 2)
ROTEIRO DO ENCONTRO
(EXPERIÊNCIA/DIÁLOGO/APROFUNDAMENTO/ATIVIDADES)
-resgatar o tema anterior e verificar como foram vividas as questões propostas para esta semana:
-frase para memorizar: conseguiram?
-Hoje teremos a oportunidade para examinar a nossa vida familiar, nos nossos relacionamentos como nossos pais e com nossos irmãos, aquelas pessoas que, afinal, convivemos de tão perto, e às vezes pelo orgulho e ciúmes, começamos a viver tão longe.
-Deus quer estar sempre conosco. Não é Ele que se afasta de nós, mas nós que nos afastamos Dele. O pecado vai construindo uma barreira que nos separa de Deus, impedindo que possamos viver a verdadeira alegria. Em casa você já viveu algum momento de difícil de relacionamento? Vamos pensar: como está meu relacionamento entre meus pais e eu? E entre meus irmãos e eu? Há ciúmes, egoísmo, competição, desprezo, falta de atenção de minha parte? Quais são as pedras que querem construir uma barreira no meu relacionamento com minha família?
-às vezes atitudes agressivas em relação à minha família tapam meus olhos para o próprio pecado! O adolescente cristão não pode considerar-se perfeito, sem pecado, sem erros, julgando os membros de sua família como os culpados. É necessário que também os adolescentes examinem a sua vida diariamente. Certamente, Deus está sempre ansioso para transformar o nosso coração repleto de egoísmo, fechamento e agressividade.
-Ler Ez 36, 26

-Pedir que cada adolescente segure uma pedra, pedir que a observem um pouco e reflitam o significado daquela palavra que está colada embaixo: na sua família, com seus pais, com seus irmãos; explicar que cada pedra é um pecado que vai formando uma barreira que nos afasta do amor e dos ensinamentos de Deus e, consequentemente, vai também nos afastando da  graça da vida feliz em família.
- Os adolescentes devem continuar segurando a pedra enquanto o catequista lê Ez 36,24-30. Os adolescentes devem somente escutar e refletir o que a Palavra de Deus quer revelar a cada um e para seus relacionamentos familiares.
-O adolescente de olhos fechados, pensando em sua família, vai escutando a oração que o catequista realizará pausadamente, de forma clara e segura: “Senhor, derrama tua água pura e purifica-me de todo pecado cometido contra meus familiares, meus pai, minha mãe, meus irmãos e minhas irmãs. Retira com tua mão as pedras que bloqueiam a luz do teu amor entrar em meu coração para entender como posso amar que mora em minha casa, comigo. Retira do meu peito o coração de pedra e coloca um coração de carne, conforme disseste para mim em tua Palavra; um coração que pulse a alegria de ter Deus que me ama e que dá verdadeira vida! Desejo, Senhor, levar essa alegria ao meu pai, minha mãe, meus irmãos. Derrama o teu Espírito, Senhor, para que eu possa ter forças para evitar o pecado nos meus relacionamentos com minha família. Quero, Senhor, viver reconciliado com todos lá de casa, como portador do teu Espírito, como apóstolos do teu Reino, colaborando com a felicidade da minha família. Obrigado, Senhor!”
-Convidar os adolescentes para levarem as suas pedras até um lugar previamente preparado, oferecendo o seu coração de pedra e jogando fora seu pecado. Enquanto todos depositam as pedras colocar o CD na faixa 18 e cantar junto “Conheço um coração”

“O verdadeiro vencedor”
Nas Olimpíadas Especiais de Seatle- Estados Unidos – nove participantes, todos com necessidades especiais físicas ou mentais alinharam- se para a largada da corrida dos cem metros rasos.
Ao sinal partiram cada com vontade de dar o melhor de si, e ganhar a corrida.
Todos largaram, com exceção de um garoto que tropeçou no asfalto, caiu e começou a chorar. Os demais participantes ouviram o choro, diminuíram o passo, olharam para trás, viram o competidor ao chão, deram meia volta e foram ao encontro dele. Uma das meninas que participava da corrida, portadora de síndrome do Down, ajoelhou-se, eu um beijo no garoto caído e disse: “Pronto, agora vai sarar”.
Em seguida, todos os participantes deram-se as mãos e caminharam até a linha de chegada. O estádio inteiro se levantou e aplaudiu durante vários minutos a cena que comoveu a todos que lá estavam. Eles ensinaram o que realmente importa é ajudar o outro a vencer, mesmo que isso signifique diminuir o passo e mudar o curso.

-Partilhar: estamos colaborando com as pessoas mais próximas, que estão em nossa casa, moram conosco? Como podemos ajudá-las? Do que cad um precisa?

-Contar a história para ajudar na realização da atividade escrita. O catequista também deve motivar os adolescentes para uma breve dramatização:
“Beth esperou o pai sair para o trabalho, levando seu irmão Vando para a o colégio. Então procurou a mãe e disse:
-“Mamãe está chegando o Dia dos Pais e eu queria que você me ajudasse a escolher o presente do papai. Eu fiz umas economias da minha mesada. Não é muito, mas a senhora completa, se precisar? Eu quero dar ao papai um presente muito bom. Ele merece, não acha? Ele gosta tanto de mim!
-Gosta sim, minha filha, mas e você tem sido uma boa filha para ele?
-Claro, mamãe! Eu gosto tanto dele!
-E aquela conversa que seu pai teve com você na semana passada? Já esqueceu o que você fez para seu irmão?Seu pai está chateado por você não estar conversando com seu irmão. Seu pai não gosta de ver vocês brigados. Afinal, todos os dois são filhos queridos!
-Vando também vive mexendo nos meus objetos, estragando-os e sempre me xinga com aqueles apelidos que eu detesto. Agora vou dar um “gelo” nele, até ele aprender a me respeitar. Ele pensa que só por que ser mulher pode me diminuir e passar para trás?
-E você acha que seu pai vai receber bem o seu presente, vendo-a “de mal” com o Vando? Vocês sempre lhe deram juntos o presente do Dia dos pais...É bom você pensar que presente “muito bom” um pai quer receber de seus filhos... E como mãe, eu também gostaria que vocês fossem mais amigos.
Quem levou uma “fria” foi a Beth. As palavras de sua mãe, com calma e firmeza mexeram com seus sentimentos. Desapontada e pensativa, foi para seu quarto e ficou pensando e resolvendo o que fazer!
-O que faltava era apenas “completar” o valor do presente? (comentar com os adolescentes)
 -Isso acontece também com vocês, em suas famílias? (ouvir). Seus pais tomam partido nas brigas ou tentam conversar com vocês para que exista verdadeira união e amor nas famílias? (ouvir). Vocês acham que filhos brigados, desunidos, se agredindo por qualquer coisa agradam seus pais, mesmo se vocês os bajulem, se lhe dão presentes? (ouvir) Vocês conhecem casos semelhantes? Como melhorar nossos relacionamentos familiares?

VIDA DE SANTIDADE
-SANTA ISABEL (FAIXA 17 DO CD/VOLUME 2)
-ORAÇÃO/ CANTO
“Conheço um coração” (FAIXA 18 DO CD/ VOLUME 2)
“Tua família” – Anjos de Resgate (FAIXA 19 DO CD/VOLUME 2)
REFLEXÃO/RESPOSTA/COMPROMISSO DA SEMANA:
-Você pode muito contribuir com sua família no dia-a-dia. Pode também conhecendo Jesus e seu amor por nós, clamar o seu amor, a sua presença, a sua alegria para cada pessoa da sua família. Afinal você os conhece muito bem. Com muito amor ofereça sua intercessão para cada um e registre atrás da folha. Lembre-se que cada um receberá uma oração especial da sua parte!
-Converse com seus pais sobre o tempo que você estava sendo esperado, sobre o dia do seus nascimento, a escolha do seu nome e como foram os primeiros anos de sua vida. Anote atrás da folha.

-Para memorizar: Eclo 3,14
                   
TEMA CENTRAL: FAMÍLIA (MINHA FAMÍLIA)
12. Direitos e obrigações
OBJETIVO: Entender que como membro de uma família tenho direitos e obrigações que devo assumir
-Quais são meus direitos?
-Quais são minhas obrigações?
- Tenho correspondido como filho (a)?
MATERIAL:
-Bíblia
-Folha de atividade
- papeizinhos com o nome dos adolescentes e do catequista para fazer o “amigo secreto de orações”, intercedendo pela família de uma pessoa da turma da EFF
(pedir tesourinha e cola para o próximo encontro para o tema 13)
HISTÓRIAS QUE EVANGELIZAM
-“ESTAR PREPARADO” (FAIXA 20 DO CD/VOLUME 2)
ROTEIRO DO ENCONTRO
(EXPERIENCIA/DIÁLOGO/APROFUNDAMENTO/ATIVIDADES)
-resgatar o tema anterior e verificar como foram vividas as questões propostas para esta semana

-HISTÓRIA PARA REFLETIR: “A Conta”
Uma tarde enquanto a mãe preparava o jantar, o filho de doze anos entregou-lhe um pedaço de papel. A mãe enxugou as mãos com o avental e leu o que estava escrito:
“Por ter arrancado os matinhos do caminho da entrada, cinco reais. Por ter arrumado meu quarto dez reais. Por ter ido comprar o leite e pão, um real. Por ter tomado conta do irmãozinho, quinze reais. Por ter lavado a louça, dez reais. Por ter levado o lixo até lá fora, sete reais. Por te recebido dois “ótimos” na escola, dez reais. Total: cinquenta e oito reais”.
A mãe fixou o olhar no filho com muita ternura. Pegou uma caneta e escreveu atrás do bilhete:
“Por trazer-te no ventre nove meses: nenhum real. Poe todas as noites que passei cuidando de você quando estava doente: nenhum real. Por todas as vezes que te embalei: nenhum real. Por todas as vezes que te ninei: nenhum real. Por todas as fraldas que te troquei: nenhum real. Por todas as refeições que te preparei e dei-te na boca: nenhum real. Por todos os curativos que te fiz quando caíste: nenhum real. Por todas as vezes que enxuguei tuas lagrimas: nenhum real. Total: nenhum real”
Quando terminou, sorrindo, a mãe devolveu o folheto ao filho.
*Partilhar com os adolescentes: qual será a reação do filho?
*Prosseguir a história depois da reflexão:
 “Ao acabar de ler o filho emocionado, virou a página e escreveu muito mais do que pago! Depois, pulou nos braços da mãe e a beijou.

Refletir:
*quais são meus direitos dentro de minha família?
*quais são minhas obrigações dentro da minha família?
*o que posso fazer a mais para contribuir com minha família?
*tenho correspondido como filho?
*tenho correspondido como irmãos?

-Ler Jo 2,1-12

-Oração: Senhor Jesus, quando moravas em companhia de seus pais na pequena casa de Nazaré, vivias as dificuldades enfrentadas daquele tempo, e sabes também hoje o que minha família e eu passamos. Por isso peço-te: ajude meus pais, abençoando-os, fortalecendo-os na fé, no respeito mútuo, no carinho entre si e com os filhos. Assim como fizeste o milagre nas Bodas de Caná, transformando água em vinho para que a festa não acabasse, permita existir sempre o amor e a paz em nosso lar, lembrando-nos de dialogar, de nos ajudar, de nos amar. Obrigado, Jesus. Amém”
VIDA DE SANTIDADE
-SANTA LUZIA (FAIXA 21 DO CD/VOLUME 2)
ORAÇÃO/CANTO
“Coração adorador” – Flavinho (NFAIXA 22 DO CD/ VOLUME 2)
  
REFLEXÃO/RESPOSTA/COMPROMISSO DA SEMANA:
-Colaborar de maneira especial com cada membro de sua família nesta semana e registrar na folha como isso aconteceu e a reação de cada um.
-para memorizar: Eclo 3,18

TEMA CENTRAL- AMOR (O QUE É O AMOR?)
13. Conceito de amor
OBJETIVO: Analisar e descobrir o verdadeiro sentido da palavra Amor.
-O que é o amor para você?
-Como você demonstra amor?
-O verdadeiro conceito de amor

-MATERIAL:
-Bíblia
-duas cartolinas
-tesoura
-cola
-(Obs. Para o próximo encontro pedir que cada um traga uma cartolina para o jogo de memória)
HISTÓRIAS QUE EVANGELIZAM
-“RACISMO” (FAIXA 1 DO CD/VOLUME 3)

ROTEIRO DO ENCONTRO
(EXPERIÊNCIA/DIÁLOGO/APROFUNDAMENTO/ATIVIDADES)
-resgatar o tema anterior e verificar como foram vividas as questões
propostas para esta semana:
-frase para memorizar: conseguira,?
-Partilhar com os adolescentes:
*o que é amor?
*existe falso amor? O que é o falso amor?
*o que é preciso para viver o verdadeiro amor?
*como você demonstra amor?
*quando gostamos de alguém o que esperamos dessa pesssoa?
*quando alguém gosta de nós, o que essa pessoa espera de nós?
*o que significa amizade?
*qual a diferença entre amor, paixão e sexo?
*que pecados são cometidos contra o amor durante a adolescência?
*resgatar a noção do 6º mandamento, partilhando sobre o amor e a castidade (amor casto=amor puro)

-Refletir:
O amor é doação mútua, é dar e receber. Não explora outra pessoa, ao
Contrário, sente-se feliz coma felicidade, a alegria do outro. Para ser verdadeiro, o amor precisa de carinho, boa vontade e compreensão, às vezes também de renúncia, sacrifício, preocupação, solidariedade, dedicação, tempo, disponibilidade...
Em nossa vida, estão presentes o amor e o egoísmo. É preciso discernir o amor verdadeiro do amor banalizado, confuso e fragmentado que nos é apresentado no dia-a-dia e que nasce do egoísmo.
Os frutos do amor são: bondade, carinho, amor, esperança, amizade, compreensão, ternura, delicadeza, humildade, paciência, compaixão.
-Dialogar:
*como obter esses frutos em nossa vida?
*o que eles trazem de bom para cada um de nós?

-Ler I Cor 13, 4-7
-Conforme o texto lido, pense no que você já tem conseguido e o que você precisa melhorar sobre as conseqüências do amor.
-Dois grupos:
*I Jo 4,7-12
*Eclo 3,1-8
 Após a leitura e reflexão em grupo, elaborar um cartaz com uma lista de necessidades em nossa vida para vivermos o amor e sermos mais felizes.

VIDA DE SANTIDADE;
-SANTA TEREZINHA (FAIXA 2 DO CD/VOLUME 3)
ORAÇÃO/CANTO
-“Amor que não se cansa de amar” – Adriana FAIXA 3 DO CD/VOLUME 3)

“Senhor, peço-te um coração generoso, capaz de intimidade com Deus Pai, Deus Filho e Deus Espírito Santo. Que o seu amor me ajude a amar de verdade, levando ternura, afeto, compreensão e confiança no meu relacionamento Convosco e com as pessoas. Domina meus sentimentos nas minhas amizades e no futuro em um namoro santo e honesto. Quero amar sinceramente, mas também desejo ser amado. Sei que amizade e namoro são como um tesouro escondido e por isso, peço-Vos, Senhor, ajuda-me a cultivá-lo com calma, esperando tudo certo do jeito certo. Creio no Vosso amor, que é verdadeiro e infinito, que nunca morre, que salva, que liberta, que garante vida plena. Desejo, Senhor, que meu coração tenha a disponibilidade para renunciar, perdoar sempre e amar verdadeiramente. Amém. Obrigado, Senhor!”

REFLEXÃO/RESPOSTA/COMPROMISSO DA SEMANA:
-Observar como você conseguiu demonstrar amor verdadeiro nesta semana nas diversas situações para partilhar a semana que vem.

-para memorizar: Jo 3, 16

TEMA CENTRAL; AMOR (O QUE É O AMOR?)
14. Valorização do amor
OBJETIVO: Aprender a valorizar o amor em suas diferentes expressões
-Quais você acredita serem, as  diferentes expressões de amor?
-De que forma  você acredita que Deus o (a) ama?
-Experiências em que se recebe e se dá amor
MATERIAL:
-três cartolinas (além das cartoliasn que cada um deverás trazer para o jogo da memória)
-lápis de cor
-canetinha
- revistas (usadas) com gravura e fotos bem coloridas
HISTÓRIAS QUE EVANGELIZAM
-“DINAMITE NO CORAÇÃO” (FAIXA 4 DO CD/VOLUME 3)
ROTEIRO DO ENCONTRO
(EXPERIÊNCIA/DIÁLOGO/APROFUNDAMENTO/ATIVIDADES)
-resgatar o tema anterior e verificar como foram vividas as questões propostas para esta semana
-frase para memorizar: conseguiram?
-introduzir uma reflexão sobre a afetividade e sexualidade, abordando a questão de como as pessoas estão confundindo “amor” com “pornografia”; falar da TV e da internet; adolescentes grávidas; doenças sexualmente transmissíveis, etc.
-Partilhar:
*quais são as diferentes expressões de amor que uma pessoa vive: com a mãe  com o pai, com os irmãos, com os colegas de escola, com os vizinhos, com o marido, com a esposa, com o (a) namorado (a), com amigos, com pessoas que não conhecemos...
-Formar três grupos: ler as passagens e refletir como é o amor que Jesus vive e nos ensina a viver:
*Lc 10, 30-37; Mt 20,25-28; Jo 15, 12
*com uma cartolina cada grupo preparará uma apresentação em duas partes: o amor que é apresentado pelos meios de comunicação; o amor demonstrado e ensinado por Deus (usar gravuras das revistas e/ou desenhos pessoais)
-Ler Jo 3,16 (refletindo: que amor é esse, como viver essa palavra?)

VIDA DE SANTIDADE:
-“SÃO VICENTE DE PAULO” (FAIXA 5 DO CD/VOLUME 3)
-ORAÇÃO/CANTO:
-“Nos braços do Pai”- Diante do Trono –(FAIXA 6 DO CD/VOLUME 3)
-“Estou aqui” – Anjos do Resgate – (FAIXA 7 DO CD/VOLUME 3)
REFLEXÃO/RESPOSTA/COMPROMISSO DA SEMANA
-Ler Jo 3,16 e fazer uma oração pessoal de agradecimento a Deus. Registre atrás da folha.
-Observar como Deus o amará nesta semana e como você corresponderá a esse amor; observar como as pessoas estarão amando você nesta semana e como você conseguirá corresponder a esse amor. Registre dentro da cruz no local indicado.
-para memorizar: Colossenses 4,5-6

TEMA  CENTRAL: AMOR (O QUE É AO MOR?)
15. O amor, meus pais e eu.
OBJETIVO: Descobrir que entre meus pais e eu existe o amor.
Perceber como é essa relação com meus pais.
-Por que minha elação é assim? Refletir
-Procurar as suas origens e de sua família
-Como restaurar esse caminho que um dia começou?
MATERIAL:
-uma cartolina
-lápis de cor, canetinha
-Bíblia
 -CD
HISTÓRIAS QUE EVANGELIZAM
“-DESCOBRINDO O VALOR” (FAIXA 8 DO CD/VOLUME 3)
ROTEIRO DO ENCONTRO;
(EXPERIÊNCIA/DIÁLOGO/APROFUNDAMENTO/ATIVIDADES)
-Histórias para refletir:
1) Cristiane
“Eis o que escreve a adolescente Cristiane em seu diário:
“Acordei ao meio-dia, ainda sentindo-me mal. Sentia necessidade de falar com alguém sobre o que acontecera comigo. Sabia que ninguém da turma iria me compreender. Achei que poderia falar sobre isso com minha mãe.
Não sabia como começar. Disse-lhe: “Escute, mãe, ontem à noite fomos ao Sound.”. Minha mãe fez uma expressão de horror. E eu continuei: “Afinal, não é tão ruim. Essa danceteria é enorme, tem até um cinema”. Minha mãe recomeçou com suas broncas de sempre. Eu esperei que ela me interrogasse, mas ela não perguntou nada. Estava cansada como sempre, naquela tarde de domingo: faxina, almoço, problemas com seu companheiro. E não tinha vontade de ficar mais nervosa ainda discutindo comigo. Talvez ela não tivesse mesmo vontade de saber. Penso que ela não me ama.
Bom eu não tive coragem de falar. Aliás, eu nem sei se sentia vontade de falar. Naquela época eu não tinha consciência de nada. Eu vivia controlando meu humor, não pensava no futuro, não tinha projetos. Que projetos eu poderia ter naquela época? Não falávamos nunca do futuro..Aliás, não falávamos quase nada; acho que minha mãe não me ama”
-Vamos organizar um “Júri Simulado” a respeito0 da atitude de Cristiane:
Metade do grupo entra na defesa de Cristiane e metade entra na defesa da mãe. (O catequista organiza o júri, estabelecendo um tempo para cada defesa, tomando cuidado para que não falem ao mesmo tempo, que escutem a defesa apresentada para depois realizarem uma próxima intervenção).
2) Observe um registro no diário de Magali:
“Sou uma menina de 12 anos, mas não me acho criança, penso que já sou adolescente, e de certa forma sou muito infeliz. Meu problema é que meus pais nunca me entendem. Não me deixam ver televisão até tarde, mesmo que seja um filme bom; não saem para passear comigo, mas também não me deixam passear com os amigos; não me deixam viajar, mas também não viajam comigo. Eu adoro viver a vida: passear, viajar, dançar, brincar, mas eles querem ficar em casa, mofando, e eu tenho que ficar em casa com eles. Não consigo me abri com meus pais. Quando tomo coragem e falo, ou reclamo de alguma coisa, eles riem de mim”
-Agora organize outro “júri simulado”, porém quem esteve na defesa da adolescente da história 1, fica na defesa dos pais, e quem esteve na defesa da mãe fica na defesa da Magali. Cuidar para que prestem atenção, escutem o amigo até o fim e respeitem as defesas. Registrar na cartolina: de um lado a defesa dos pais, do outro a defesa das adolescentes.
-Concluir com a passagem de Lc 2 (Jesus aos doze anos)

-Jesus adolescente teve uma dupla atitude diante dos seus pais. De um lado, ele mostrou-se livre; “Não sabiam que eu devo estar na casa de meu Pai?”, e de outro lado ele  era obediente: “Jesus voltou com seus pais para casa para Nazaré, e era obediente a eles”.
-Jesus procurou seguir a vontade de Deus Pai, Quis conhecer o plano de Deus para Ele.mesmo que isso levasse a algumas incompreensões da parte de seus pais.
-Você está procurando seguir a vontade de Deus pai na sua vida? Como tem feito? Seus pais entendem e apóiam você nessa busca de Deus?
-Jesus amava seus pais e sabia que também era muito amado por eles. Era obediente, tentava colaborar com eles, era um filho carinhoso.
-Você ama seus pais? É amado por eles? Tem demonstrado carinho por eles? Pode demonstrar mais um pouco? Tem colaborado de forma com seus pais?
-Escreva uma mensagem de carinho para seus pais e assine seu nome.


VIDA DE SANTIDADE:
-“SÃO JOSÉ” (FAIXA 9 DO CD/VOLUME 3)
ORAÇÃO/CANTO
“-Adorar-te” – Flavinho (FAIXA 10 DO CD/VOLUME 3)

REFLEXÃO/RESPOSTA/COMPROMISSO DA SEMANA
-Você ama seus pais? É amado por eles? Tem demonstrado carinho por eles? Demonstre um carinho “extra” aos seu pais nesta semana.
Escreva uma mensagem de carinho para seus pais e mostre para eles

-para memorizar: Colossenses 3,20

TEMA CENTRAL: JESUS (DEUS CONOSCO)
16. A promessa do Messias
OBJETIVO: Descobrir por que Deus nos promete a vinda do Messias
-A desobediência de um só homem
-Deus promete a salvação por meio de Seu Único Filho
“E será chamado Emanuel” (Mt 1,22-23)
MATERIAL;
Obs. Pedir para o próximo encontro: bexigas coloridas
-Bíblia
-CD
HISTÓRIAS QUE EVANGELIZAM
-“CONSTRUINDO PONTES” (FAIXA 11 DO CD/VOLUME 3)
ROTEIRO DO ENCONTRO
(EXPEIÊNCIA/DIÁLOGO/APROFUNDAMENTO/ATIVIDADES)
-resgatar o tema anterior e verificar como foram vividas as questões propostas para esta semana;
-passagem para memorizar: conseguiram?
-Deus se revela sempre. Ele se mostra, se deixa encontrar. Basta ficar atento e escutar, compreender. Basta saber ler suas mensagens e sinais. O Deus-Javé se manifesta ao povo de Israel de muitas maneiras. O Povo vai conhecendo-O, aceitando-O, confiando e fazendo Aliança com Ele, o Deus Único, que ama e liberta, que purifica e o salva: “Vocês serão o meu povo e Eu serei o Deus e vocês”.
-Nos seus escritos bíblicos o povo reconhece em Javé, o seu Criador Todo Poderoso, que tem preferência e carinho com o homem, caminhando e lutando a seu lado, perdoando o seu pecado e chamando- o à conversão.
-Quando o povo ainda estava escravo no Egito, Deus deu a Moisés o seu nome: “Javé”. E isso quer dizer: “Eu estou com vocês, meu povo pobre e humilde! Eu estou com vocês para libertá-los. E Eu caminho com vocês para a Terra Prometida. Esta certeza deu muita coragem ao povo de Deus: “Deus mesmo está conosco, nunca nos abandonará!”
   -Na plenitude dos tempos Deus enviou Seu Filho ao mundo para a sua salvação. Com o nascimento de Jesus, o Messias, Filho de Deus, acontece para nós o cumprimento da grande promessa de Deus. Ele mostrou no nascimento desta criança que está realmente junto do Seu povo, solidário até o fim. Participa de toda a nossa existência, das nossas alegrias e tristezas, da nossa força e da nossa fraqueza. Deus se fez homem. Chamamos isso de encarnação, o que significa: Deus se fez carne.
“Eu vim para que todos tenham vida e a tenham em abundância” Esta foi a missão de Jesus. Esta também será a missão dos que se comprometem a segui-Lo

-VIDA DE SANTIDADE:
-“SÃO PEDRO APÓSTOLO” (FAIXA 12 DO CD/VOLUME 3)

ORAÇÃO/CANTO/
-“Jesus Cristo”- Roberto Carlos (FAIXA 13 DO CD/VOLUME 3)
-“Hosana” (FAIXA 14 DO CD/VOLUME 3)
-“Glória ao Rei Jesus”-Anjos do Resgate (FAIXA 15 DO CD/VOLUME 3)
-“Quando os anjos cantam” – Padre Marcelo Rossi (FAIXA 16 DO CD/ VOLUME 3)
REFLEXÃO/RESPOSTA/COMPROMISSO DA SEMANA:
-Colaborar com Jesus na missão de salvar e resgatar a vida em sua dignidade. O que você pode fazer esta semana? Verifique se realmente conseguiu e registre atrás da folha como foi essa experiência.
-para memorizar: Mt 1,22-23.
 
TEMA CENTRAL: JESUS (DEUS CONOSCO)
17. O amor de Jesus
OBJETIVO: Descobrir o amor de Jesus em minha vida
-Amor que me aceita
-Amor que me escuta
-Amor que me perdoa
-Amor que me cura
MATERIAL;
-Bíblia
-CD
-dados
-botões coloridos que sirvam de marcadores para o jogo de hoje
-bexigas coloridas
-uma cartolina com o nome de todos que participarão da “Brincadeira das Bexigas” com espaço para registrar os “pontos” que cada vai fazendo.
Modelo:
NOMES PONTOS DE CADA RODADA TOTAL
Ana
Cecília
Fabiana
Gabriel
Luis Paulo
Manoel
Ricardo
Susi
Vitória
Wesley
1º lugar
2º lugar
3º lugar
-papeizinhos com as passagen bíblicas, dom tamanho que sejam enrolados ou dobrados para que caibam entro de cada bexiga
-Escrever as seguintes passagens:
 Mt 4,19             Mt 4,24         Mt 5,12          Mt 5,16
Mt 5, 37           Mt 5,42         Mt 5,48          Mt 6,1
Mt 6,6              Mt 6,20         Mt 6,24          Mt 6,34
Mt 7,8              Mt 7,12         Mt 8,2             Mt 8,3
Mt 8,7              Mt 8,13         Mt 8,26           Mt 9,2
Mt 9,4              Mt 9,6           Mt 9,9             Mt 9,12
Mt 9,22            Mt 9,28         Mt 9,29           Mt 9,35
Mt 10,1             Mt 10,37        Mt 10,42         Mt 11,20
Mt 11,28           Mt 11,28        Mt 12,22          Mt 12,50 
Mt 13,15           Mt 13,36        Mt 14,13          Mt 14,14
Mt 14,27           Mt 14,31         Mt 15,28         Mt 15,32
Mt 16,17            Mt 16,24        Mt 17,7            Mt 17,20
Mt 18,12            Mt 19,2          Mt 19,14          Mt 19,21
Mt 19,26            Mt 19,29       Mt 20,34          Mt 28,18

Obs.
*É importante que o catequista além de escrever a passagem bíblica, lembre-se de colocar a citação, ou seja, o nome do livro, capítulo r versículo.
*Quanto mais bexigas, mais diversão e mais evangelização! Por isso o catequista deverá começar o preparo desta atividade com antecedência ou pedir ajuda de alguém. É IMPORTANTE QUE TODAS AS PASSAGENS SEJAM LIDAS

HISTÓRIAS QUE EVANGELIZAM
-“OVERDADEIRO VALOR” (FAIXA 17 DO CD/VOLUME 3)
ROTEIRO DO ENCONTRO:
(EXPERIÊNCIA/DIÁLOGO/APROFUNDAMENTO/ATIVIDADES)
-resgatar o tema anterior e verificar como foram vividas as questões propostas para esta semana;
-Jesus curou muitos doentes: “Dele saia uma força que os curava a todos” (Lc 6,19). As curas operadas por Jesus eram sinais do reino de Deus.
-Nós precisamos ser curados! Não sofremos apenas males físicos, mas também males espirituais. Há diversos tipos de doença:
a) da alma: pecado
b) da mente: tristeza, angústia, medo, depressão, etc.
c) do corpo; doenças físicas.
-Quando sofremos algum mal não deve mos culpar a Deus. Diante do sofrimento devemos enfrentá-los com coragem, com o auxilio da graça de Deus. Portanto, quando passar por alguma dificuldade, lembre o quanto Jesus sofreu e como enfrentou os momentos difíceis da sua vida, não podemos nos deixar abater ou nos acomodarmos., conformando-se com as dificuldades. Você certamente conhece alguém que sofre alguma enfermidade. Ore por essa pessoa, para que ela tenha força em Jesus de enfrentar o seu sofrimento.
-Faremos uma oração. É momento de pedir por aquelas pessoas que estão sofrendo alguma enfermidade:
-“Senhor Jesus, creio que o sofrimento humano pode ser momento de graça que nos aproxima de Ti. Creio que a simplicidade e a bondade do coração valem mais que as riquezas. Creio que a vida na Tua presença vale mais que as honras e os prazeres fáceis do mundo, pois somente Tu és a verdadeira riqueza. Ajuda-me a fazer dos momentos de sofrimento a oportunidade para estar em intima comunhão contigo e um meio para amar mais a vida. Ajuda-me, Senhor Jesus coma  Tua força a superar a tristeza que às vezes quer me abater, a falta de perdão, a insegurança que em alguns momentos vivo, pois creio que o Teu amor me aceita, me fortalece, me cura, me conduz à salvação e à vida eterna. Obrigado, Jesus. Amém.  
Brincadeira das Bexigas:
-Dentro de cada bexiga o catequista coloca um trecho bíblico, e após os adolescentes ajudarão a encher TODAS as bexigas (é importante que eles não leiam as mensagens nesse momento, só ajudem na preparação). A brincadeira começa semelhante à dança da cadeira, onde teremos uma bexiga a menos do que a quantidade de adolescentes; o catequista fala “JÁ “e todos começam a primeira rodada jogando as bexigas ao alto; quando o catequista falar “PAROU”, cada adolescente pega uma bexiga e logicamente um ficará sem. Cuidado para que ninguém fique “segurando” uma bexiga, todas devem ficar ao alto. Quem conseguir pegar uma bexiga pode estourá-la e um de cada vez lerá bem alto a passagem bíblica; na cartolina com os nomes dos participantes coloca-se os “pontos” de cada um, ou seja: verifique o “VERSÍCULO” da passagem lida e considere os “pontos” de cada um. Exemplo: Mateus 4, 19. O adolescente que leu esta passagem ganha 19 pontos e vai somando aos próximos “pontos”, quantas rodadas forem feitas na brincadeira. Ao total são somados os “pontos” e verifica-se quem ganhou a brincadeira.
-joguinho do paralitico
VIDA DE SANTIDADE:
-“SÃO JOÃO MARIA VIANEY” (FAIXA 18 DO CD/VOLUME 3)

ORAÇÃO/CANTO
-“A chave do coração- Adriana (FAIXA 19 DO CD/VOLUME 3)
-“Cura-me, Jesus” – Flavinho- (FAIXA 20 DO CD/VOLUME 3)
“Põe tua mão”- Eros-(FAIXA 21 DO CD/VOLUME 3)

REFLEXÃO/ RESPOSTA/COMPROMISSO DA SEMANA:
-Assim como os amigos do paralitico, que levaram até a presença salvadora de Jesus ”leve” uma pessoa até Jesus, apresente-a, peça força restauradora de Jesus para ela. Vamos partilhar um pouco sobre alguém que já conhecemos e que poderemos fazer isso (ouvir os adolescentes ou o próprio catequista dá um exemplo; cada um que se propõe fazer isso durante esta semana); registre atrás da folha como tudo aconteceu.
-passagem para memorizar: II Tm 3,11b
*ATENÇÃO CATEQUISTA: As próximas folhas não devem ser tiradas do subsidio. Devem ser xerocadas, recortados os textos bíblicos e colocados dentro das bexigas, conforme orientação do tema 17 
“E disse-lhes: ‘Vinde a Mim e vos farei pescadores de homens’” Mt 4,19
“Sua fama espalhou-se por toda Síria: traziam-lhe os doentes r os enfermos, sofrendo de diversas enfermidades e tormentos, epiléticos e paralíticos” Mt 6,24
“Alegrai-vos e exultai, porque será grande a vossa recompensa nos céus, pois assim perseguiram os profetas que vieram antes de vocês”  Mt 5,12
“Assim, brilhe vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem o vosso Pai que está nos céus”  Mt 5,16
“Dizei somente: SIM, se é sim; NÃO se é não. Tudo o que passa além disto
vem do maligno” Mt 5,37
“Dá a quem te pede e não te desvies daquele que te quer pedir emprestado” Mt 5,42
“Portanto sede perfeitos assim como o Pai celeste é perfeito” Mt 5,48
“Guardai-vos de fazer vossas boas obras diante dos homens, para serdes vistos por eles. Do contrário, não tereis recompensa junto de vosso Pai que está no céu” Mt 6,1
“Quando orares entra no teu quarto, fecha a porta e ora a teu Pai em segredo; e teu Pai que vê tudo o que está em segredo, te recompensará” Mt 6, 6 
“Ajuntai para vós tesouros no céu, onde nem as traças, nem a ferrugem corroe, nem os ladrões roubam” Mt 6,20
“Ninguém pode servir a dois senhores, porque ou odiará a um e amará o outro, ou dedicar-se-á a um e desprezará o outro. Não podeis servir a Deus e a riqueza” Mt 6,24
“Não vos preocupeis, pois, com o dia de amanhã, o dia de amanhã terá suas próprias preocupações. A cada dia basta seu cuidado” Mt 6,34
“Porque todo aquele que pede, recebe. Quem busca acha. A quem bate, abrir-se-á”  Mt 7,8
“Tudo o quereis que os homens vos façam, fazei-o também vós a eles” Mt 7,12
“Eis que um leproso aproximou-se e prostrou-se diante Dele, dizendo: Senhor, se queres, tens o poder de curar-me” Mt 8,2
“Jesus estendeu a mão, tocou e disse: ‘Eu quero, sê curado’. No mesmo instante, a lepra desapareceu” M 8,3
“Disse-lhe Jesus: ‘Eu irei e o curarei’” Mt 8, 7
 “Depois, dirigindo-se ao centurião disse: ‘Vai, seja feito conforme a tua fé’. Na mesma hora o servo ficou curado” Mt 8,13
“Jesus perguntou: ‘por que este medo, gente de pouca fé?’ Então levantando-se, deu ordem aos ventos e ao mar e fez-se grande calmaria” Mt 8,26
“Eis que lhe apresentaram um paralitico estendido numa padiola. Jesus vendo a fé daquela gente, disse ao paralitico: ‘Meu filho, coragem! Teus pecados te são perdoados’” Mt 9,2
“Jesus penetrando-lhe os pensamentos, perguntou-lhes: ’Por que pensais mal em vossos corações? “ M 9,4
 “Ora, para que saibais que o Filho do Homem tem na terra o poder de perdoar os pecados: levanta-te, disse Ele ao paralitico, toma tua maca e volta para tua casa” Mt 9,6
“Partindo dali, Jesus viu um homem chamado Mateus, estava sentado no posto do pagamento das taxas. Disse-lhe: ‘Segue-me’. O homem levantou-se e O seguiu” Mt 9,9
“Jesus ouvindo isto, respondeu: ‘Não são os que estão bem os que precisam de médicos, mas sim os que estão doentes’” Mt 9,12
“Jesus virou-se, viu-a e disse-lhe: ’Tem confiança, minha filha, tua fé te salvou’. E a mulher ficou curada instantaneamente” Mt 9,22
“Jesus entrou numa casa e os cegos aproximaram-se Dele. Disse-lhes: ‘Crede que eu posso fazer isso?’- ‘Sim, Senhor!” responderam eles” Mt 9,28
“Então Ele tocou-lhes os olhos, dizendo:’Seja-vos feito segundo a vossa fé’” Mt 9,29
“Jesus percorria todas as cidades e aldeias. Ensinava nas sinagogas, pregando o Evangelho do Reino e curando todo mal e toda enfermidade” Mt 9,35
“Jesus reuniu seus doze apóstolos. Conferiu-lhes o poder de expulsar os espíritos imundos e de curar todo mal e toda enfermidade” Mt 10, 1
“Quem ama seu pai ou sua mãe mais que a Mim, não é digno de Mim. Quem ama seu filho mais que a Mim, não é digno de Mim” Mt 10,37
“Todo aquele que der ainda que seja um copo de água fresca a um destes pequeninos, porque é meu discípulo, em verdade Eu vos digo: não perderá sua recompensa” Mt 10,42
“Depois Jesus começou a censurar as cidades, onde tinha feito grande número de milagres, por terem recusado arrepender-se” Mt 11,20
“Vinde a Mim vós todos que estais aflitos sob o fardo, e Eu vos aliviarei” Mt 11,28
“Tomais sob vós e recebei minha doutrina, porque Eu sou manso e humilde de coração e achareis repouso para as vossas almas” Mt 11, 29
“Apresentaram-lhe, depois um possesso cego e mudo. Jesus o curou de tal modo, que falava e via” Mt 12,22
“Todo aquele que faz a vontade de meu Pai que está nos céus, esse é meu irmãos, minha irmã e minha mãe” Mt 12,50
“Porque o coração deste povo se endureceu, taparam seus ouvidos e fecharam seus olhos, para que seus olhos não vejam e seus ouvidos não ouçam, nem seu coração compreenda, para que não se convertam e EUA os sare” Mt 13,15
“A essa noticia, Jesus partiu dali numa barca para se retirar a um lugar deserto, mas o povo soube e a multidão das cidades O seguiam a pé” Mt 14,13
“Quando desembarcou, vendo Jesus essa numerosa multidão, moveu-se de compaixão para ela e curou seus doentes” Mt 14,14
“Mas Jesus logo lhes disse: ‘Tranqüilizai-vos sou Eu. Não tenhais medo!”’
Mt 14,27
“No mesmo instante, Jesus estendeu-lhe a mão, segurou-lhe e lhe disse: ‘Homem de pouca fé, porque duvidaste’”? Mt 14,31

“Disse-lhe, então, Jesus: ‘Ó mulher, grande é a tua fé. Seja-te feito como desejas’. E na mesma hora a filha ficou curada” Mt 15,28
“Jesus, porém, reuniu os seus discípulos e disse-lhes: ‘Tenho piedade dessa multidão. Eis que há três dias está perto de Mim e não tem nada para comer. Não quero despedi-la em jejum, para que não desfaleça no caminho’” Mt 15.32
“Jesus então lhe disse: ‘Feliz és, Simão, filho de Jonas, porque não foi a carne, nem o sangue que te revelou isto, mas meu Pai que está nos céus’” Mt16,17
“Em seguida, Jesus disse aos seus discípulos: ‘Se alguém quiser vir comigo, renuncie-se a si mesmo, tome sua cruz e me siga’” Mt 16,24
“Mas Jesus aproximou-se deles e tocou-os dizendo: ‘Levantai-vos e não temais’” Mt17,7
“Jesus respondeu-lhes: ‘Por causa de vossa falta de fé, em verdade vos digo: ‘ se tiverdes fé como um grão de mostarda, direis a esta montanha: transporta-te daqui para lá, e ela irá, nada vos será impossível. Quanto a esta espécie de demônio, só se pode expulsar à força de jejum e oração” Mt 17,20
“Que vos parece? Um homem possui cem ovelhas: uma delas se desgarra. Não deixa ele as noventa e nove na montanha, para ir buscar aquela que se desgarrou?” Mt 18,12
“Uma grande multidão O seguia e Ele curou seus doentes” Mt 19,2
“Disse-lhe Jesus: ‘Deixai vir a Mim estas criancinhas e não as impeçais porque o Reino dos céus é para aqueles que se assemelhar a elas’” Mt 19,14
“Respondeu Jesus: ‘Se queres ser perfeito, vai, vende teus bens, dá aos pobres e terás um tesouro no céu. Depois vem e segue-me’”  Mt 19,21
“Jesus olhou para eles e disse: ‘Aos homens isto é  impossível, MS a Deus tudo é possivel’” Mt 19,26
“E todo aquele que por minha causa deixar irmãos, irmãs, pai e mãe mulher, filhos, terras ou casa, receberá o cêntuplo e possuirá a vida eterna” Mt 19,29
“Jesus cheio de compaixão, tocou-lhes os olhos. Instantaneamente, recobraram a vista e puseram a segui-Lo” Mt 20,34
“Mas Jesus, aproximando-se, lhes disse: ‘Toda a autoridade me foi dada no céu e na terra’” Mt 28,18
    

TEMA CENTRAL: JESUS (DEUS CONOSCO)
18. Jesus é meu Deus
OBJETIVO: Descobrir a divindade de Jesus
-O Verbo se fez carne e habitou entre nós
-Jesus um Deus pessoal
-“Eu estarei com vocês até a plenitude dos tempos” (colocar algo pessoal)
MATERIAL:
-cruzes pequenas de cartolina branca com passagens bíblicas sugeridas (preparar duas cruzes iguais, com a mesma mensagem, de forma que na dinâmica serão formadas duplas com os adolescentes. O catequista deverá cuidar para que não fique ninguém sozinho, e então o catequista deverá participar se necessário).
-“Eu sou o Bom Pastor...”(Jo 10,14-15)
-“Jesus tinha muito amor a Marta, sua irmãs Maria e a Lazaro” (Jo 11,5)
-“Ora, quem me ama...” (Jo 14,21)
-“Ninguém tem amor maior do que aquele que dá a vida por seus amigos” (Jo 15,13)
-“Como meu Pai me ama...” (Jo 15,9)
-“Cristo de rico que era...” (II Cor 8,9)
-“Cristo me amou e se entregou...” (Gl 2,20)
-“A prova de que Deus nos ama é que Cristo morreu por nós” (Rm 5,8)
-Bíblia
-CD

HISTÓRIAS QUE EVANGELIZAM
-“NOSSAS ADVERSIDADES” FAIXA 1 DO CD/VOLUME 4)

ROTEIRO DO ENCONTRO:
(EXPERIÊNCIA/DIÁLOGO/APROFUNDAMENTO/ATIVIDADES)
-resgatar o tema anterior e verificar como foram vividas as questões propostas para esta semana;
-passagem para memorizar: conseguiram?
-Com o nascimento de Jesus, acontece a chegada de uma grande alegria, particularmente para todos os pobres e humilhados no mundo. Deus se fez criança, fraca e sem defesa como toda e qualquer criança quando nasce. Deus se fez criança dentro de uma família pobre. Ele se fez pobre como opção e foi fiel a esta opção até a morte.
-Enquanto Jesus quer no salvar, acompanhar-nos em nossa caminhada, muitos não dão lugar em seus corações para Jesus habitar, não se deixam contagiar da alegria de ter um Deus que liberta e que nunca abandona a seu povo.
- Jesus, o Filho de Deus, está vivo e presente em nosso meio. Ele ama você com um coração cheio de amor perfeito e deseja ser seu amigo pessoal em quem você pode confiar e compartilhar toda a sua vida.
-Cada adolescente recebe uma cruz com uma passagem bíblica e refletem silencio por alguns minutos o que diz a passagem. Depois procura a sua “dupla” que tem a mesma passagem bíblica e apresentam juntoa à turma suas conclusões a respeito da Palavra.
-Jesus Cristo por ser Filho de Deus, tornou-se um de nós, para nos revelar o amor de Deus; portanto Ele é nosso irmão que ama e protege a nós seus irmãos menores. Jesus além de proteger você entregou a sua própria vida, pela sua vida, enfrentado a dor, a cruz e a morte, para oferecer a você o dom da libertação e da vida eterna. A fé cristã nos impulsiona a também servir, amar e doar a própria vida, ao longo de nossa história, enfrentando as dificuldades e sofrimentos que surgirem. Jesus enfrentou o sofrimento durante toda a sua vida. Mas com a morte e ressurreição, deu um significado novo a tudo. Ele mesmo dá força parta você vencer suas dificuldades com coragem e buscar um projeto de vida.

-Vamos ler  Lc24, 13-35 e refletir juntos:
-como estava a fé dos amigos de Emaús?
-O companheiro de estrada notou o comportamento dos dois amigos?
-O companheiro de estrada animou os dois amigos?
-Como o companheiro de estrada conseguiu animar os amigos?
-Os dois amigos gostaram da conversa e convidaram o desconhecido para comer com ele. Na hora da ceia houve uma descoberta! Qual essa descoberta?
-O que fizeram os amigos depois que descobriram quem era o desconhecido?

VIDA DE SANTIDADE:
-“SÃO BENEDITO” (FAIXA 2 DO CD/VOLUME 4)

ORAÇÃO/CANTO:
-“O Senhor é Rei” – Pedro Marcelo (FAIXA 3 DO CD/VOLUME 4)
-“Doce Jesus”- Adriana (FAIXA 4 DO CD/VOLUME 4)
 -“Eu queria poder dizer” – (FAIXA 5 DO CD/VOLUME 4)

REFLEXÃO/RESPOSTA/COMPROMISSO DA SEMANA:
-Perceber nesta semana em quais momentos Jesus esteve ao seu lado, acompanhando, protegendo, falando, ensinando e amando você. Regostre atrás da folha

-para memorizar: Gl 2,20
  

TEMA CENTRAL: ADOLESCÊNCIA (ADOLESCÊNCIA)
19. Seu valor
OBJETIVO: Descobrir que o adolescente tem o mesmo valor que o adulto ou criança
 -Você sabe quais são seus direitos?
-As pessoas adultas sempre lhe dão o valor que você merece?
-Você vale muito por ser filho (a) de Deus
-MATERIAL;
-uma cartolina
-lápis
-caneta
-Bíblia
-CD

HISTÓRIAS QUE EVANGELIZAM
“DOZE PRATOS” (FAIXA 6 DO CD/VOLUME 4)

ROTEIRO DO ENCONTRO
(EXPERIÊNCIA/DIÁLOGO/APROFUNDAMENTO/ATIVIDADES)
-resgatar o tema anterior e verificar como foram vividas as questões propostas para esta semana;
-passagem para memoriza: conseguiram?

-História para reflexão:
“As vacas do Seu Juca”
“naquela manhã o curral parecia uma sinfonia de berros e mugidos. Ao chegar para a ordenha, seu Juca se surpreendeu com a discussão das vacas.
  Malhada sustentava sua ascendência de raças nobres, o que era visível na bela combinação de cores e pelo. Carlota tinha uma cor só, o que fazia engrandecer a legitimidade de seu puro sangue. A vaquinha mais jovem, porém, fez as concorrentes lembrarem que já se aproximavam do fim de sua vida útil e não tinham energia como ela, que estava produzindo leite pela primeira vez.. E assim cada uma das vacas esforçava-se para ser reconhecida e nãos e sentir inferior às outras.
   Ouvindo aquilo, se Juca resolveu dar uma lição silenciosa. Ordenhou todas as vacas e recolheu num balde a mesma quantidade de leite de cada uma delas. Depois pegou uma caneca, encheu e saboreou o leite quente e espumante com visível satisfação. Sem perder tempo, deu as costas e foi embora, carregando o leite.
    As vacas observaram o que ele fizera e não entenderam sua atitude. Quem era a melhor se o leite de cada uma foi posto no balde, misturando-se com os demais?
   A partir desse momento, nasceram na fazenda vacas grandes e pequenas, coloridas e de cor única, mas nunca mais houve briga, porque todas se sentiam igualmente maravilhosas e únicas”.
-Qual ensinamento podemos tirar dessa história?  

-Para nós é difícil aceitar as diferenças de cada um, o modo de ser, o jeito que nos tratam. Nem sempre as pessoas com quem convivemos têm os mesmos gostos, costumes e desejos que os nossos. É preciso muita coragem para não nos submetermos ao que a maioria prefere, só por medo que as pessoas não nos aceitem. Somos livres para escolher o que mais nos convém e assumir o nosso jeito de ser. Porém precisamos também nos esforçar para entender o jeito de cada um, respeitando a liberdade das pessoas e evitar constrangimento, críticas, cobranças, humilhações em razão das diferenças.
-Vamos falar um pouco sobre os direitos dos adolescentes cristãos.
-Preparar um painel com que os adolescentes falarão.
-Em seguida ressaltar que quem tem direitos também tem deveres; conversar sobre os deveres dos adolescentes cristãos, preparando outro painel. Fixar na parede lado a lado.

-Agora vamos dar um passeio rápido pela calçada, sentindo o vento, respirando o ar e recebendo o sol.
-Partilhar: somos todos iguais ou temos diferenças? E apesar das nossas diferenças, o ar, e a luz escolhem alguns de nós e negam seu beneficio aos outros? Por que não houve discriminação ou escolha nesse caso?
-Deus nos ama da mesma forma, com a mesma intensidade a cada um de nós, oferecendo seu amor incondicional, infinito, pois temos muito valor para Ele. E somos seus filhos e filhas preciosos.
-Leitura: Eclesiastes 3,1-8
-Refletir a passagem bíblica e escrever no cartaz o título: “Um tempo para cada coisa”, dividir o cartaz em duas partes. Uma parte os adolescentes  completarão com: “Queremos usar o tempo da nossa adolescência para...”(usando palavras do texto de Eclesiastes 3,1-8) e na outra parte escrever: ”Não queremos usar o tempo da nossa adolescência para...” (registrando palavras encontradas na passagem lida)
-Finalizar com uma oração sobre essa passagem lida, pedindo e agradecendo a força de Deus para conseguirmos tudo isso.
VIDA DE SANTIDADE:
-“SANTA ROSA DE LIMA” (FAIXA 7 DO CD/VOLUME 4)
ORAÇÃO/CANTO
-“Eu espero em Deus” – Pe. Cleidimar Moreira (FAIXA 8 DO CD/VOLUME 4)
REFLEXÃO/RESPOSTA/COMPROMISSO DA SEMANA:
-O que acontece quando um adulto não lhe dá o valor necessário ou só enxerga seus limites ou seus defeitos? Como você se sente? O que você pode se propor a faze diante disso?
-Considerar suas qualidades e usá-las para o bem de um adulto e de uma criança nesta semana. Registre atrás da folha como foi a ezperiencia.

-para memorizar: Eclesiastes 3,1  

TEMA CENTRAL: ADOLESCÊNCIA (ADOLESCÊNCIA)
20-Suas características
OBJETIVO: Descobrir que a adolescência é uma etapa da vida que tem muitas características que a fazem diferente das outras
-Características físicas
-Características psicológicas
- Características emocionais e espirituais
MATERIAL:
-um copo descartável
-um copo plástico firme (resistente) com tampa
-uma jarra com água
-uma pedra grande e pesada que não caiba no copo
-algumas pedras pequenas
-Bíblia
-CD

HISTÓRIAS QUE EVANGELIZAM
-“A PEDRA NO CAMINHO” (FAIXA 9 DO CD/VOLUME 4)

ROTEIRO DO ENCONTRO (EXPERIÊNCIA/DIÁLOGO/APROFUNDAMENTO/ATIVIDADES)
-resgatar o tema anterior e verificar se foram vividas as questões propostas para esta semana;
-passagem para memorizar: conseguiram?
-A adolescência que você vive nesta fase de sua vida é uma etapa muito bonita- com características e significados criados por Deus. É preciso somente cuidado para o bom uso do corpo, da inteligência e das capacidades oferecidas por Deus para você; desta forma você viverá sua adolescência como Deus deseja para você: sendo feliz!
-Leitura de I Co9r 9,24-27
-vamos refletir e partilhar:
*o que significa: “somente um ganha o premio?”
*qual premio São Paulo nos ensina a buscar?
*qual é e disciplina rigorosa na vida de um adolescente consciente? Você já está praticando essa disciplina?
*o que poderia desclassificar um adolescente?

-Refletir e partilhar:
*qual a condição de vida dos adolescentes da história?
*isso acontece com algum adolescente que você conhece?
*você vê essas situações em programas de TV? Qual programa?
*onde Deus está na vida desses adolescentes?

-Leitura em grupo ou duplas:
I Cor 6,12-30
-Dinâmica/reflexão:
-Encher os copos com água até transbordar e explicar que assim é a graça de Deus enchendo nossas vidas (somos os copos); Deus quer encher nossas vidas com seu amor de forma transbordante, a inundar nosso coração de alegria, coragem, força e tudo o mais que necessitarmos. O catequista fecha o copo de plástico resistente explicando que esse é um adolescente sensato, que guarda em seu coração somente as coisas de Deus, a graça de Deus; enquanto que o copo descartável é insensato, aceita e recebe tudo o que o mundo oferece de enganoso. É preciso cautela com outras coisas que tomar espaço do nosso coração; (a cada palavra que o catequista for falando, ele deve colocar uma pedrinha dentro do copo descartável); curiosidades de superstição, horóscopos, adivinhações, programas de TV que não defendem os ensinamentos de Cristo, preguiça, modas, consumismo, egoísmo, namorar por prazer sem compromisso de fidelidade...como a água começará a cair do copo, refletir com os adolescentes então o que acontece se entra no coração do adolescente essas coisas: o amor de Deus já não encontra espaço nessa vida; e o que acaba dominado a pessao?
-Explicar então que haverá tentativa ainda maior de afastar o adolescente da presença de Deus. O que seriam essas coisas? Analisar com eles de acordo com a experiência de vida de cada um, ou que percebem em outros adolescentes. O catequista então colocará a pedra sobre o copo descartável, analisando com eles o que aconteceu o copo foi destruído, ficou quebrado, sem função, acabou sua vida útil. Depois coloca por cima do copo resistente a mesma pedra, explicando que todas nós sofremos desafios e tentações, porém aquele que está firme no Senhor, permanece forte, vivendo somente da graça de Deus.
-Concluir que não devemos manter dentro de nós tudo o que nos é oferecido pelo mundo, além de precisarmos de discernimento do que vem de Deus e do que não vem.
-Ler Mt 7,24-27
-Adolescência: é uma das etapas do desenvolvimento humano caracterizado por alterações físicas, psíquicas e sociais, sendo que estas duas últimas dependem da época e da cultura na qual está inserida. Segundo a Organização Mundial da Saúde, adolescente é o individuo que se encontra entre os dez e vinte anos de idade. No Brasil, o Estatuto da Criança e do Adolescente estabelece outra faixa etária: dos doze aos dezoito anos. A adolescência envolve alterações psicobiológicas, sexuais, de valores e crenças, permeadas pela busca da identidade e compreensão das transformações físicas visíveis, como por exemplo, o crescimento de pelo pubianos, auxiliares ou torácico, o aumento da massa corporal, desenvolvimento das mamas, evolução pênis, menstruação, etc. Estas mudanças físicas costumam caracterizar a puberdade, que neste caso seria um ato biológico ou da natureza. A adolescência não é marcada apenas pelas dificuldades, crises, mal estares, angústias. Ao abandonar a atitude infantil e ingressar no mundo adulto, há uma série de acréscimos no rendimento psíquico. O intelecto, por exemplo, apresenta maior eficácia, rapidez e elaborações mais complexas, a atenção pode se apresentar com aumento de concentração e melhor seleção de informações, a memória adquire melhor capacidade de retenção e evocação, a linguagem torna-se mais completa e complexa com aumento de vocabulário e da expressão. Esses acréscimos na performance e global do adolescente produzem uma típica inflação do ego. Com o ego engrandecido vemos sua altivez e independência da experiência e aconselhamento dos mais velhos. Achando que “podem tudo” os adolescentes nessa fase se rebelam e elaboram um conjunto de valores inusitados e, quase propositadamente contrário a valores até então tidos como corretos. Quando o adolescente de ego agigantado s depara com forças contrárias ocorre a inevitável disputa para ver quem pode vencer. Isso é plenamente “NORMAL” ocorrendo, inclusive, na natureza animal. Ocorrendo o confronto de maneira saudável, o adolescente internalizará o valor dessa experiência de forma positiva, o qual passar a fazer parte de sua identidade. Caso o confronto migre para o trauma, perderá seu valor e o processo perde sua função, apenas dando lugar à mágoa e ressentimento que normalmente se descarregam sob forma de agressão, raiva, disputa, etc.
As figuras de autoridade serão os alvos preferidos da contestação do adolescente. Nessa fase se questiona o juiz, o padre, pastor, professor. Além disso espera-se que os conflitos de valores e de poder possam se generalizar para uma questão ideológica. Esse questionamento por parte do jovem é saudável. Demonstra que seu psiquismo está se desenvolvendo.
A noção de autoridade para o adolescente se atualiza continuamente começando com a figura do pai, do amigo, do professor, passando para o ídolo. Portanto, o adolescente não é tão avesso à autoridade como se propaga. Via de regra ele a reconhece em seus ídolos, ou seja, pessoas de destaque nas áreas de seu interesse. A maior dificuldade do adolescente, entretanto, está em aceitar uma autoridade imposta. A autoridade pode adquirir um espaço importante em conjunto de valores do adolescente quando se constrói através da conquista e do respeito e não submetendo o jovem à pressões.
Por causa disso, ao se pretender exercer autoridade sobre a adolescente, deve-se, em primeiro lugar, munir-se de plena responsabilidade sobre usa aceitação ou não. A autoridade vai depende da maneira pela qual ela se fez sentir e compreender. Neste ponto é inevitável que a própria personalidade desta autoridade esteja madura e isenta de conflitos maiores.
A puberdade feminina se inicia, em geral, entre 11 e 14 anos, variando esse período de pessoa para pessoa. Em geral, a puberdade tem inicio com a primeira menstruação (menarca), que coincide com o surgimento de uma série de transformações de corpo que já vinham manifestando na fase conhecida como pré-puberal.
Geralmente a partir dos dez anos a menina cresce vários centímetros em pouco tempo, sua cintura se afina, os quadris se alargam, os seios começam a avolumar-se e surge leve pilosidade no púbis e nas axilas.
Paralelamente, as glândulas sudoríparas se desenvolvem, tornando o odor do corpo mais intenso e provocando sudorese nas axilas. Essa mudanças causam uma certa sensação de insegurança e inquietação na menina, culminam com a primeira menstruação. Durante os dois anos seguintes à primeira menstruação os ciclos podem ser ainda irregulares, mais longos ou mais breves.
As transformações que se verificam no período pré-púbere são resultados da atividade dos ovários, sobre a qual atua a hipófise. Ao nascer, a menina tem no ovário entre duzentos a quatrocentos mil óvulos, dos quais apenas cerca de quatrocentos serão utilizados ao longo de todo período fértil (até os 50-55 anos)
No menino as transformações começam um pouco mais tarde, por volta de 13 anos, e são muito mais demoradas que nas meninas. Os primeiros sinais dessa transformação são, basicamente, o aumento no tamanho dos órgãos genitais, o nascimento da barba e o aparecimento de pelos na região pubiana, nas penas, nos braços e no peito.
Esse crescimento dos pelos depende da genética e varia muito de pessoa para pessoa. Além disso, essas mudanças são acompanhadas de modificação da voz, a qual fica mais grave. O esqueleto se alonga, os músculos se enrijecem, o tronco e os ombros alargam e a pele se torna muito mais gordurosa, o que também favorece o aparecimento da acne. É nessa época que os meninos já podem ter sua primeira ejaculação. Mas a puberdade, tanto no menino quanto na menina, não proporciona apenas mudanças físicas, mas, sobretudo, psicologicamente. As alterações hormonais despertam a sensibilidade sexual. Essas alterações hormonais e as eventuais incapacidades ou relutâncias em adaptar-se às alterações físicas contribuem também para alguns estados de depressão, característicos dos adolescentes. Alternadamente, se observam períodos de intensa energia física, entusiasmo e inquietação sem limites, também pode-se observar, em alguns casos, uma reação de rebeldia, de oposição e irritabilidade. Apesar da maioria dos adolescentes ser dependente economicamente dos pais, normalmente eles sentem grande desejo de exprimir a sua própria personalidade, formar o seu caráter definitivo. Nessa fase os adolescentes costuma ansiar entusiasticamente por sensações novas, chegando a  fumar, tomar bebidas alcoólicas ou usar drogas, tudo isso como forma de auto-afirmar uma certa independência.
Portanto, a puberdade é marcada por significativas mudanças biológicas e psicossociais. É neste momento que ocorre simultaneamente, maior separação do filho em relação aos pais e maior busca de nvoos laços afetivos extra-lar.
No período da adolescência-puberdade as pessoas enfrentam exigências sociais novas e, às vezes drásticas. Fazer tudo que fazem os adultos não pode, nem pode fazer coisas de crianças, pois adolescente não é nenhum e nem outro. Entre meninas e meninas da mesma idade, surgem abismos instransponíveis, pois os ritmos de amadurecimento para os meninos e meninas são diferentes. Isso também pode gerar conseqüências psicossociais importantes.
A revolução bio-psiquica da adolescência pode proporcionar também, um prejuízo em relação ao desempenho escolar. Enquanto no inicio do ensino fundamental as notas estejam altamente relacionadas à inteligência, na sexta e na sétima series, a motivação parece ser o fator mais importante. Na fase inicial da adolescência, o sujeito utiliza a lógica, o raciocínio e o pensamento abstrato, mas não de maneira tão intensa devido à carência de motivação.

VIDA DE SANTIDADE:
-SÃO FRANCISCO DE SALES (FAIXA 10 DO CD/VOLUME 4)


ORAÇÃO/CANTO:
-“Jovem, te olho” –Adriana (FAIXA 11 DO CD/VOLUME 4)
-“Deus existe” – Flavinho-(FAIXA 12 DO CD/VOLUME 4)

“Senhor, 4eu sei que cada adolescente é uma potencia de amor, criado e amado por Ti para realizar muitas coisas. Obrigado, Senhor , poruqe tenho olhos para ver o mundo, mãos para melhorá-lo e no peito trago um coração repleto de amor para alegrar os corações dos seus filhos e filhas. Dá-me a Tua força, Senhor, para conhecer-me mais e aceitar diferentes reações que às vezes sinto conforme os momentos que vivo. Dá-me a Tua graça, Senhor, para testemunhar ânimo, coragem, entusiasmo e alegria em colaborar coma  vida do próximo. Dá-me determinação e ousadia para dizer “não” às propostas do  mundo: drogas, vícios, modismos, egoísmo, e que em meu coração prevaleça a Tua graça.
Dá-me equilíbrio e maturidade para entender até onde ir e como ir, com caráter, personalidade e com meu próprio jeito de ser, amando sempre mais meus pais, meus irmãos, meus familiares, meus amigos, e aqueles que um dia precisarão de mim e dessa forma consigo buscar constantemente a intimidade com Jesus, meu verdadeiro amigo. Amém.


REFLEXÃO/RESPOSTA/COMPROMISSO DA SEMANA:
-Observar quais suas características bonitas enquanto adolescente e escrever ou desenhar atrás da folha. Perceber se tem duvida de alguma característica da fase em que você vive e perguntar à catequista no próximo encontro.
-para memorizar: II Tm 2,1


TEMA CENTRAL: ADOLESCÊNCIA (ADOLESCÊNCIA)
21. Problemática
OBJETIVO: Ver que a adolescência não é uma etapa de problemas, pois é como todas as outras, mas que por nossa falta de valores ela se agrava mais.
-Qual é o problema?
-O que se pode fazer?
-Deus me quer feliz

MATERIAL:
-cruz grande
-pedras
-uma cartolina
-caneta piloto ou canetinha
-Bíblia
-CD
HISTÓRIAS QUE EVANGELIZAM
-“A SABEDORIA DO CAVALO” (FAIXA 13 DO CD/VOLUME 4)

ROTEIRO DO ENCONTRO:
(EXPERIÊNCIA/ DIÁLOGO/APROFUNDAMENTO/ATIVIDADES)

-resgatar o tema anterior e verificar se foram vividas as questões
-passagem para memorizar: conseguiram?
-O adolescente ás vezes pensa que está vivendo uma etapa cheia de problemas em sua vida, mas isso não é verdade, basta apenas que ele analise sobre os valores que dá a cada situação e às pessoas, deixando sempre em primeiro lugar os ensinamentos de amor que o Senhor nos oferece. A adolescência é marcada pela impulsividade, pela pressa, inquietação e pelo desejo de acertar , porém nem sempre os adultos conseguem compreender as atitudes dessa faixa etária, justamente porque em alguns momentos não há acertos, embora os adolescentes tenham um coração cheio de entusiasmo e vontade de ajudar. O importante é descobrir o valor de cada um, as capacidades e dons e colocá-los a serviço do próximo, com amor, respeito, compaixão e tolerância.
-vamos lembrar algumas situações difíceis enfrentadas pelos adolescentes:
(após relacioná-las, escrevê-las em um cartaz para que em seguida< à luz da Palavra de Deus, o catequista vá mostrando as soluções ou caminho que facilita a compreensão do que vivem os adolescentes. Importante valorizar a participação dos próprios adolescentes, com relação às soluções, de forma que sejam cristãs, à luz do Evangelho.
-Leitura: Jo 15, 34
-Nos relacionamentos com as pessoas, é comum ocorrerem esbarrões, pisadelas e outros aborrecimentos involuntários. Não é difícil pedir desculpas e, na maioria das vezes, ninguém se ofende com esses movimentos quando são inconscientes. O ato de desculpar é mais fácil do o de perdoar. O perdão requer amor e capacidade de colocar em primeiro lugar o bem do outro.
-O discípulo Pedro perguntou a Jesus se era suficiente perdoar sete vezes. A resposta o surpreendeu:
-Ler em Mt 18,22 a resposta
-A resposta de Jesus significa que é necessário perdoar sempre. Muitas vezes as ofensas são voluntarias: quem engana, calunia e humilha os outros quase sempre tem intenção de prejudicar e dificilmente pedirá perdão sincero. Neste caso não é fácil perdoar.
-O perdão é dom especial de Deus e engrandece quem o pratica. Quanto mais uma pessoa permite que Deus a transforme com sua graça, mais ela se tornará semelhante a Jesus e terá melhor disposição para perdoar. Isto, porém, não significa deixar-se ridicularizar e manipular ou submeter-se a condições humilhantes perante os amigos.
-Certa vez, Jesus recebeu uma bofetada de um guarda e não revidou, mas perguntou-lhe com dignidade e firmeza: “Se falei mal, mostra em que falei mal; e se falei certo, por que me bates?” (Cf. Jo 18,23). Quem tem maturidade e fé para perdoar pode também ajudar uma pessoa a reconhecer o erro e mudar de atitude.
Jesus elevou o perdão ao mais alto grau. Antes de se entregar na cruz, deu-nos um novo mandamento: “amai-vos uns aos outros. Como Eu vos amei, assim também vós deveis amar-vos uns aos outros” (Jo 13,34). O perdão é a maior prova que podemos dar a alguém.
  O próprio Jesus fez questão de perdoar Pedro, que O havia negado três vezes. Mas o perdão supremo de Jesus foi demonstrado quando Ele estava pregado na cruz.
-É importante que o adolescente comece a se esforçar por compreender a realidade da nova etapa da sua vida- pois já não é criança, - não é adulto ainda. Há algumas dúvidas ou crises de comportamento e identidade que são próprias deste período, caracterizado por mudanças e transformações, porém buscando sempre a referência em Jesus, é possível caminhar feliz, como Deus deseja para os seus adolescentes. Na vida dos adolescentes também deve acontecer o perdão nas várias circunstâncias em que ele enfrenta, pois aquele desejo de aprender com Jesus seus ensinamentos e amor encontrará forças para superar todas as dificuldades e problemas.
-Refletir r partilhar:
*um fato no qual você sentiu o amor e alguém que lhe perdoou;
*o dia em você perdoou alguém sinceramente;
*ao som de uma música instrumental em volume baixo que cada um pegue um das pedras que está no chão e reflita Oe que ela simboliza em sua vida com relação às dificuldades enfrentadas na adolescência; pedir em seguida que a pedra seja colocada aos pés da cruz e o adolescente dirá o que ela representa (uma dificuldade atual); enquanto isso outro adolescente da turma se prontifica a fazer uma oração a Jesus (intercessão) pedindo transformação daquel situação, libertação, restauração, etc.

VIDA DE SANTIDADE:
-“SANTA CATARINA DE SENA” (FAIXA 14 DO CD/ VOLUME 4)
OARÇAÕ/CANTO:
-“Abraço de Pai”- Adriana- (FAIXA 15 DO CD/VOLUME 4)
-“Noites traiçoeiras” – (FAAIXA 16 DO CD/VOLUME 4)
-“O céu está rezando por ti” (FAIXA 17 DO CD/VOLUME 4)

REFLEXÃO/RESPOSTA/COMPROMISSO DA SEMANA:
-Perceba nesta semana um fato no qual você sentiu o amor de alguém que lhe perdoou e registre como isso aconteceu atrás da folha; em seguida escreva uma oração sua, agradecendo a Deus por ter vivido essa experiência.
-Perceba nesta semana o dia em que você perdoou alguém sinceramente e também registre atrás da folha como isso aconteceu, escrevendo em seguida uma oração de agradecimento a Deus.
-para memorizar: Jo 13, 34 

    



Nenhum comentário:

Postar um comentário