sábado, 24 de agosto de 2013

DIA DO CATEQUISTA 2013



        VOCAÇÃO DO CATEQUISTA: 25 DE AGOSTO DE 2013


            Encerrando o mês vocacional, a Igreja dedica um dia especial para celebrar a vocação leiga, especificamente, o Dia do/a Catequista. Um grande grito de louvor e ação de graças brota do nosso coração, por ocasião desta data. Nela celebramos o ministério bíblico-catequético de todos nós, tão essencial na vida da Igreja! O que seria da Igreja no Brasil, sem a plêiade de catequistas espalhados por todas as “periferias existenciais” do seu imenso território?

            Lembrando também os 30 anos do Documento Catequese Renovada, um marco na catequese, que gerou e impulsionou a nossa caminhada eclesial, que pela ação do Espírito Santo, aconteceu um verdadeiro “vendaval” de dinamismo novo à nossa prática bíblico-catequética.


            Queridos/as catequistas, neste tempo em que estamos vivendo o Ano da Fé, não podemos nos esquecer da realização do JMJ, e do profundo processo bíblico-catequético desencadeado, envolvendo grande número de bispos, presbíteros, diáconos, religiosos (as) e leigos (as) – especialmente jovens -, mas tendo o papa Francisco como catequista principal. Ele apareceu diante de nossos olhos maravilhados de uma maneira muito simples, mas profundamente tocante de evangelizar. Uma catequese, feita por ele, de gestos, de atitudes, de simbologias e de palavras cheias de afeto e unção dirigidas ao coração dos jovens e de todas as pessoas, provocando ânimo, coragem, esperança e intensa alegria. Uma perfeita experiência de catequese “comunitária, vivencial e bíblica”, como o próprio documento “Catequese Renovada” propõe.


Por fim recordamos, agradecidos, o papel de Nossa Senhora Aparecida, grande catequista que sustenta a fé, a esperança e o amor do nosso povo brasileiro. Que ela esteja sempre ao nosso lado e nos alcance a bênção da Trindade Santa!


PARABÉNS, queridos/as catequistas da nossa Igreja no Brasil, em especial da Diocese de Piracicaba


Um grande abraço e minha bênção para que continuem com sua missão com muita garra e animados pela luz do Espirito Divino anunciando Jesus Cristo, para construir o Reino do Pai


Diácono Flori


 

quinta-feira, 22 de agosto de 2013

FORMAÇÃO CATEQUISTAS BATISMO REGIÃO RIO CLARO (18/8/2013)



“Portanto, se alguém está em Cristo é uma nova criatura. O que era antigo já passou, agora tudo é novo” (II Cor 5,1)

 Domingo, dia 18 de agosto, na Capela Santa Terezinha, catequistas do Batismo da Região Rio Claro, realizaram encontro de formação diocesano, das 8h00 às 16h30.

É necessário sempre buscar caminhos novos para anunciar a salvação, cuja resposta vem pelo primeiro sacramento da Igreja: o Batismo. Através dele, começamos a fazer parte do Copro Mistico de Cristo, e nos “revestimos de Cristo” (Gl 3,27), para continuar a missão confiada pelo Mestre em sua ascensão: “ide e fazei discípulos meus todos os povos e batizai-os em Nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo”(Mt 28,20)

Que o Espirito Santo encaminhe e ilumine todos os trabalhos pastorais destes catequistas






terça-feira, 20 de agosto de 2013

CATEQUESE INTEGRAL E PERMANENTE



ANO DA FÉ
A palavra catequese quer dizer fazer ecoar. Nossa missão como catequista é fazer chegar a todos e todas as mensagens contidas no Evangelho de Jesus Cristo, que ao longo da sua vida mostrou na prática, o desejo de Deus que era vida e liberdade para todos. É importante recordar que os primeiros catequistas “Mostravam-se assíduos ao ensinamento dos apóstolos, á comunhão fraterna, á fração do pão e as orações”. At. 2, 42

A catequese, portanto não pode se restringir a um tempo, a uma etapa, pois, ela está presente na vida do ser humano desde a concepção até a morte. Se olharmos com atenção para os sacramentos da iniciação cristã, vamos perceber com clareza que cada um tráz em seu conteúdo preparatório informações importantes que nos tornarão cristãos autênticos, verdadeiros e cumpridores do mandato de Jesus. Portanto, ide e fazei díscipulos meus todos os povos, batizando-os em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo, e ensinando-os a observar tudo o que vos ordenei! Eis que eu estarei convosco todos os dias, até ao fim do mundo”. Mt 28, 19-20

O sacramento do Batismo nos introduz dentro da comunidade eclesial, é e na vida em comunidade que vamos aprendendo os passos do Senhor Jesus. Cada nova criança, adolescente ou adulto que recebe o sacramento, torna-se um sinal da bondade do Pai. Cabe ao catequista ser claro e objetivo quanto à transmissão do conteúdo no momento da preparação para o recebimento do sacramento do Batismo. Ao sacerdote ou diácono compete administrar em nome de Jesus o Sacramento do Batismo, ao catequista compete preparar com dedicação àqueles que pedem este sacramento. Recordemos as palavras de Jesus, quando se refere aos pequenos Eu te louvo, ó Pai, Senhor do céu e da terra, porque escondeste essas coisas aos sábios e entendidos e as revelastes aos pequeninos”. Mt 11, 25.

O Sacramento da Crisma é um fortalecimento que recebemos para viver a prática de Jesus em toda a sua plenitude. A Unção com o óleo do crisma, torna-se uma força motivadora para que diante das dificuldades não percamos o nosso objetivo maior que é ser cristão e estar a serviço do Evangelho. Por ser um sacramento administrado na adolescência exige dos catequistas um amor redobrado, pois a adolescência é um tempo de grandes trasnformaçoes na vida das pessoas. Lembremo-nos de Cristo adolescente catequisando os doutores. Ele não estava perdido no templo, mas encontrando-se com sua missão. “Ele respondeu: Por que me procuráveis? Não sabíeis que eu devo estar naquilo que é de meu Pai. Eles, porém não compreenderama palavra que Ele lhes falou”. Lc 2, 49-50.

Eucaristia quer dizer ação de graça, um cristão que fez uma caminhada com Jesus, prepara-se para recebê-lo, através do Pão e do vinho consagrado no altar pelo Sacerdote, O corpo e sangue do Senhor Jesus inaugura um novo tempo na vida daquele que se preparou para recebê-lo. Quando a preparação encontra eco na vida da criança, adolescente, jovem ou adulto que pela primeira vez recebe Jesus eucaristico, com certeza esta comunhão não se desfaz, é um encontro que se repetirá sempre. Esta continuidade é que permite afirmar que Jesus Cristo se faz comunhão naquele que permanece vivendo em comunidade os ensinamentos que recebeu. “Eu sou o pão vivo descido do céu. Quem comer deste pão viverá eternamente. E o pão que eu darei é a minha carne  dada para a vida do mundo. Jo 6- 51.

A catequese é integral e permanente, pois está presente na vida de quem se prepara para receber um sacramento, mas, que depois perseverá, tornando-se um evangelizador que vive em sua vida cotidiana os mistérios da nossa Fé. Quem nos convida a permanecer firme é Jesus, quando o catequisando e o catequista conseguem compreender a grandiosidade das palavras de Jesus e harmoniosamente vivem esta pratica libertadora, podem olhar para Jesus e dizer: “É bom estar em comunhão, receber a Eucaristia, mas é melhor ainda quando conseguimos fazer com que sua mensagem de amor chega o mais longe possível, mesmo que o mais longe seja apenas uma quadra da nossa casa”. Catequisando e catequista comprometido com o Evangelho têm uma só missão. “Vós sois o sal da terra. Vós sois luz do mundo. Assim também brilhe a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e louvem o vosso Pai que está nos céus”. Mt 5-13, 14, 16.

Quem busca um sacramento da Igreja Católica Apostólica Romana, é um diamante que precisa ser lapidado. Cabe ao catequista com seu testemunho de Fé saber lapidar este diamante. A luz que emana deste irmão que recebeu o sacarmento ( Batismo, Eucaristia ou Crisma)  vai luminar as noites escuras e evangelizar com a Fé amadurecida. “Pai santo, guarda-os em teu nome, o nome que me deste, para que eles sejam assim como nós somos um”. Jo 17,11b.

Domingo Nunes. 
Secretariado Regional de Catequese. Psicopedagogo.

quarta-feira, 14 de agosto de 2013

II RETIRO DIOCESANO DE CATEQUISTAS

 
 

 
“Aquele que não receber o Reino de Deus como uma criança, não entrará nele. E abraçando-as, Jesus impôs as mãos sobre elas e as abençoou-as” (Mc 10,13-16)

            Dias 3 e 4 de agosto, No Seminário Propedêutico Nova Suíça, realizou-se o o II Retiro Diocesano de Catequistas, que teve como pregador Frei Geraldo Luis Boletini, com o tema A Espiritualidade da Infância no Ministério Catequético de Jesus”

            Louvamos e agradecemos a Deus pela graça vivida nestes dias. Pela força do Espirito Santo, foi-nos dado a conhecer e vivenciar momentos da vida de Cristo que nos iluminou e fortaleceu no nosso ministério catequético.

            Maria, Mãe Santíssima, acompanhe-nos na nossa missão de anunciar a Boa Nova, assim como a Senhora mesma o foi quando da visita a Isabel, e como acompanhou Jesus em sua peregrinação terrena.

 









 

quinta-feira, 1 de agosto de 2013

PASSOS PARA UMA CATEQUESE FRUTUOSA




 Queridos catequistas é tempo novo! Tempo de reiniciar a catequese com forças renovadas, pois “aquele faz novas todas as coisas” (Ap 21,6), é quem nos anima e impulsiona em nossa árdua, mas maravilhosa vocação. Por isso sempre podemos usar de novos meios para a nossa renovação e, consequentemente de nossa catequese para torná-la mais frutuosa, destacando alguns pontos considerados essenciais, que devem se sempre revistos, lembrando que como pessoa não estamos prontos, somos um processo, e devemos pedir constantemente ao Senhor que “complete me nós a obra começada”(Sl 137):

  1. Acolha, com amor e afeto, os catequizandos e seus pais ou responsáveis desde o momento em que se apresentam para fazer a inscrição, proporcionando-lhes um ambiente agradável e alegre;
  2. Inicie os trabalhos da catequese com uma celebração de acolhida para os catequizandos, pais e catequistas. Pode ser uma Celebração Eucarística ou da Palavra com toda a comunidade paroquial ou um encontro com todas as turmas (ou mesmo em cada turma), no qual o catequista promova o acolhimento e interação entre os participantes e não seja somente uma reunião para “passar recados”. Pode-se também, realizar uma confraternização ao final;
  3. Outras atividades como essa que favoreçam a interação e o convívio entre catequistas, pais e comunidade, podem se repetir durante o ano: gincanas, celebrações do dia das mães, dia dos pais, dia das crianças; envolvimento nas atividades da paróquia, tais como festa do padroeiro, Solenidade do Corpo e Sangue do Senhor (Corpus Christi), e outros momentos em que catequizando e suas famílias sintam que fazem parte de uma comunidade e que são acolhidos por ela;
  4. Realize encontros de formação (e não apenas de informação) para os pais durante o ano, com temas que os faça também viver e reavivar sua fé em Cristo. “Não se pode imaginar uma catequese com jovens, adolescentes e crianças sem um trabalho especifico com os pais” (DNC, 188);
  5. Valorizar as dúvidas e questionamentos que surgirem durante o encontro catequético;
  6. Procura conhecer a realidade (familiar, escolar, social) de cada catequizando, demonstrando interesse em ajudá-lo a superar seus desafios;
  7. Ofereça um acompanhamento pessoal a cada catequizando, orando com ele (ela), para que se descubra através de você, que são amados pessoal e incondicionalmente por Deus. Muitos têm vergonha de expor suas dificuldades diante dos outros ou se expõe exageradamente;
  8. Trate com seriedade a questão da assiduidade dos catequizandos nos encontros catequéticos. Isso faz com que os catequizandos, e até os pais, passem a dar maior valor à catequese;
  9. Priorize as reuniões e formações com os catequistas, as quais devem incluir temáticas relacionadas também à formação pessoal e não apenas à doutrinal;
  10. Promova momentos de confraternização e de espiritualidade em que o catequista sinta-se acolhido e valorizado pela comunidade;

O VALOR DO CATEQUISTA

Para que a catequese possa ser realmente evangelizadora, precisamos destacar ainda o papel dos catequistas: “São milhares de homens e mulheres, jovens e anciãos e até adolescentes que descobrem na experiência de fé e na inserção na comunidade, a vocação de catequista. Exercem essa missão com esmero, doação e amor à Igreja” (DNC, 242). Eles são anunciadores da Palavra de Deus, porta-vozes da experiência transformadora realizada na vida daquele que encontra Jesus Cristo.

Quão bela é a vocação do catequista! Quão importante é a sua missão! Quantas pessoas conhecem Jesus Cristo e a Igreja de forma mais profunda por meio de você, catequista. Sabemos que vocês têm limites, seus problemas familiares, incompreensões e que, às vezes, isso acaba afetando seu ministério catequético. No entanto, continuam firmes, perseverante e dano testemunho de fé na Igreja.

Que vocês tenham ânimo renovado e, com seu pároco, estruturem a caminhada catequética paroquial de forma que Jesus Cristo se torne a cada dia mais conhecido, amado e seguido.

Que o Espírito Santo conduza e que Maria Santíssima cubra cada um de vocês com seu manto materno!   
 
Um forte e caloroso abraço, animados pela visita no nosso querido Papa Francisco, tenhamos a sua alegria e perseverança ao anunciar Jesus aos catequizandos. Boa Missão

Diácono Flori