sexta-feira, 17 de maio de 2013

PENTECOSTES, VEM ESPIRITO SANTO, VEM !!!



 

PENTECOSTES (19/5/2013)

 

“De fato, todos nós, judeus ou gregos, escravos ou livres, fomos batizados num único Espírito, para formarmos um só corpo, e todos nós bebemos de um único Espírito” (I Cor 12,13)

 Celebrando hoje a Solenidade de Pentecostes, chegamos ao final do Tempo


Pascal na Liturgia. Consuma-se a missão de Jesus, pois o envio do Paráclito se realiza: “Mas o Defensor, o Espírito Santo que o Pai enviará em meu Nome, ele ensinará tudo e vos recordará tudo o que vos tenho dito” (Jo 14, 26)


. É o TEMPO da Igreja, isto é, a missão HOJE é nossa: testemunhar até os confins da terra o amor e a salvação de Deus em Jesus Cristo (cf.At 1,8)


“O amor de Deus foi derramado em nossos corações pelo Espírito Santo que nos foi dado” (Rm 5,5)



“Ninguém pode dizer que Jesus é o Senhor a não ser sob ação do Espírito Santo” (I Cor 12, 3b)

PENTECOSTES


      Assim como a Páscoa, o Pentecostes tem origem judaica:


      Na área rural, o povo judeu celebrava Pentecostes como a festa da colheita dos frutos da terra.


      Na cidade, passou a celebrar a entrega do Decálogo por Deus a Moisés.


     Deus oferece a base para a organização de um povo livre. O quinto mandamento coloca a vida como centro da Lei: defender e promover a vida


      No Cristianismo, a festa de Pentecostes é a entrega da Lei Nova para o Novo Povo de Deus: a Lei do Amor é o estilo de vida do povo da nova aliança.


      Para os judeus a Festa dava ênfase ao encerramento das sete semanas da festa da colheita.


      Para os cristãos, o fruto que colhemos da Páscoa de Jesus Cristo é o Espírito Santo. É O AMOR.


      Fecha-se o período de festa, com o fruto exclusivo: o Amor do Pai e do Filho derramado sobre nós: o Espírito Santo!


      Toda a nossa vida de cristãos está sob o sinal do Espírito que recebemos no batismo e na crisma, nosso Pentecostes; nela devemos amadurecer os “frutos do Espírito”: amor, paz, alegria, paciência, espírito de serviço, bondade, confiança nos outros, mansidão, autodomínio, etc.


       O Espírito Santo é quem atualiza a mística


      O Espírito Santo se faz oração em nós, reza conosco, envolve-nos no mistério de uma súplica ao Pai.


      Se estamos sob o peso do sofrimento, devemos nos unir ao gemido secreto que no fundo do nosso coração o Espírito Santo eleva ao Pai e repetir a oração de Cristo: “Abbá Pai!”


 

 

“É Ele que age nos corações e suscita mudanças de atitudes e comportamentos. É ainda o Espírito de Cristo que confere sua força à ação da Igreja, quer na pregação, quer na vida sacramentaria; é o Espírito Santo que dá a sabedoria e o discernimento verdadeiro sobre todas as coisas, ajudando-nos a fazer as escolhas acertadas.” (Cardeal Odilo Scherer)


       Afinal de contas, ainda esta pergunta inquieta o nosso coração: que linguagem é esta do Espírito, capaz de fazer com que todos compreendam? A linguagem do Espírito, que vem a fazer com todos compreendam, é a linguagem do amor, aquela linguagem por meio da qual os gestos concretos falam por si só e possuem o poder de ressurreição na vida dos outros.  A grande linguagem que o Espírito quer nos ensinar a falar é a linguagem do amor; só ela tem o poder de transformar tudo aqui que está dividido, fragmentado, caótico, em cada um de nós. O Espírito, com esta nova forma de falar e anunciar o Pai pelo Filho transformará tudo em nós, trazendo a nova ordem, a unidade pelo amor. No entanto, só falarão nesta nova linguagem aqueles/ aquelas que se decidirem pelo amor, frente a uma profunda abertura de suas vidas ao Paráclito.


      Portanto, só o que está uno, inteiro, organizado, curado, liberto, restaurado, pela ação do Espírito, é que terá condições de anunciar Jesus vivo e ressuscitado mediante nova linguagem que penetra todos os ouvidos e corações.


“Sem o Espírito Santo, Deus está distante.


O Cristo permaneceu no passado.


O Evangelho uma letra morta.


A autoridade um poder.


A Igreja uma simples organização.


A missão uma propaganda.


O culto um arcaísmo.


E a ação moral uma ação de escravos.”


      “Mas no Espírito Santo o cosmos é enobrecido pela geração do Reino. 


      O Cristo ressuscitado está presente.


      O Evangelho se faz força do Reino.


      A Igreja realiza a comunhão trinitária.


      A autoridade se transforma em serviço.


      A liturgia é memorial e antecipação.


      A ação humana se deifica.” (Atenágoras)



DOM DA SABEDORIA

A SABEDORIA tem mais a ver com o sabor do que com o saber.

Numa sociedade onde o número do suicídio aumenta de uma forma assustadora; onde cada vez mais se ouve: “A minha vida não tem sentido!” Nós, os cristãos, abrimo-nos ao DOM da SABEDORIA para aprender a saborear a vida, para saber discernir, desfrutar e agradar.

         O DOM da SABEDORIA consiste em reconciliar-se com a vida para assim ser sabor e sal da terra.

 Enviai, Senhor, o Vosso Espírito de SABEDORIA sobre todos nós, principalmente por todos os governantes dos povos, para que procurem a paz e o progresso


DOM DO ENTENDIMENTO ou DA INTELIGÊNCIA

Nós abrimo-nos DOM do ENTENDIMENTO para conhecer a verdade de Jesus Cristo e chegar ao mais profundo da sua mensagem e da sua pessoa. O DOM do ENTENDIMENTO leva-nos a chegar à conclusão que por detrás deste mundo maravilhoso existe um Deus Criador. É o Deus de Abraão, de Jacob e de Moisés que se revelou ao Povo de Israel e encarnou no meio de nós em Jesus Cristo, seu Filho.

Através do DOM da INTELIGÊNCIA reconhecemos a mão de Deus onde outros veêm apenas circunstâncias humanas; descobrimos que Ele é o nosso verdadeiro amigo e n´Ele podemos confiar, mesmo nos dias de angústia.

O Espírito ilumina a nossa mente e o nosso coração. Bem-aventurados os limpos de coração, porque verão a Deus.

 Enviai, Senhor, o Vosso Espírito do ENTENDIMENTO sobre todos os que procuram a verdade e o sentido da vida, para que encontrem a resposta em Ti.


DOM DO CONSELHO

Necessitamos do Espírito que nos ensine a viver nas situações concretas da nossa vida, por isso abraçamo-nos ao DOM do CONSELHO.

A vida está feita de incidentes e cada um deles traz a sua complexidade e dificuldade. O DOM do CONSELHO é a sabedoria em ação, é o habituar-se a escuta a voz do Mestre, nas pequenas coisas da vida. Se estamos em sintonia com Ele, se nos deixamos guiar pelos seus conselhos vemos a luz. É Jesus Cristo que dá sentido à nossa vida, é Ele que, no meio das trevas da nossa vida, nos dá a Luz e nos dá a força suficiente para avançarmos sem medo.

 Enviai, Senhor, o Vosso Espírito do CONSELHO os responsáveis das Igrejas, para que avancem no caminho da renovação e da unidade.


DOM DA FORTALEZA

Já conhecemos o caminho, agora temos que o percorrer. Necessitamos que o Espírito nos dê força, valor, coragem, constância e perseverança.

Ao sentirmos esta força nova, sentimo-nos renovados interiormente e proclamamos ao mundo a nossa fortaleza, O Espírito vem em auxílio da nossa fraqueza, para não desanimarmos sob o peso das dificuldades e para prosseguirmos, com esperança e alegria, o nosso seguimento de Jesus Cristo.

 Enviai, Senhor, o Vosso Espírito da FORTALEZA sobre os que sofrem e lutam pela liberdade e justiça, para que se convertam em semente de libertação.

DOM DA CIÊNCIA

Nós abrimo-nos ao DOM da CIÊNCIA para que nos ensine a julgar retamente as coisas criadas e nos ajude a fazer nosso o dom da Criação.

O DOM da CIÊNCIA revela-nos a ordem da Criação e por contraste a desordem que é o pecado. Toda a Criação fala de Deus, porque foi Ele quem a criou.

Enviai, Senhor, o Vosso Espírito da CIÊNCIA sobre todos os que se dedicam ao estudo e à investigação, para que ponham ao serviço do homem os avanços.


DOM DA PIEDADE

A piedade é a virtude da família.

Abrimo-nos ao DOM da PIEDADE para nos sentirmos Filhos de Deus e tomarmos consciência que temos um mesmo Pai. O DOM da PIEDADE leva-nos a sentir a ternura, a admiração, o afeco e a obediência para com Deus. O Espírito leva-nos a tratá-Lo por: ABBÁ, Paizinho querido.

O DOM da PIEDADE é o dom da família que abre-se ao dom da fraternidade, até chegar a ser o dom da amizade com os que estão ao nosso lado e o dom da hospitalidade, principalmente, para com os que são rejeitados pela nossa sociedade.

Sejamos solidários uns para com os outros!

Enviai, Senhor, o Vosso Espírito da PIEDADE sobre todos os Teus filhos, especialmente pelos que trabalham no mundo da dor e da marginalização, para que sejamos testemunhas da Tua misericórdia.


DOM DO TEMOR DE DEUS

Este Dom não se trata de ter medo de Deus, mas de ter um grande medo de não o amarmos como convém. Somos impelidos a estar sempre insatisfeitos, procurando caminhar para a perfeição do amor.

Sem perder o privilégio da proximidade que recebemos pela Incarnação, temos que recuperar o sentido de respeito e adoração que deve marcar a nossa relação com Deus.

O DOM do TEMOR DE DEUS, bem entendido é o temor que acaba com todos os medos, pois Cristo é o Principio e o Fim e tudo Lhe está submetido

Vinde Espirito Santo e nos inunde com seus dons e que pela Vossa força em nós a face da terra seja renovada!!!


Nenhum comentário:

Postar um comentário