terça-feira, 31 de dezembro de 2013

DIA MUNDIAL DA PAZ




1º DE JANEIRO: DIA MUNDIAL DA PAZ

“Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou; não vo-la dou como o mundo a dá. Não se turbe o vosso coração, nem se atemorize.” (Jo 14:27)


Celebrar o início de um novo ano é celebrar a renovação da esperança. Pois Deus, em sua infinita bondade nos oferece um novo tempo para podermos recarregar as energias e ser construtores da Civilização do Amor. Por isso desde 8 de dezembro de 1967, criado pelo Papa Paulo VI, vivemos o Dia Mundial da Paz e temos um tema que nos exorta na caminhada. A Mensagem para este dia busca chamar a atenção para o valor essencial da paz e a necessidade de trabalhar incansavelmente para consegui-la.

Este ano, Papa Francisco nos faz refletir o tema “Fraternidade, fundamento e caminho para a paz”.

De acordo com um comunicado do Pontifício Conselho da Justiça e da Paz, divulgado dias atrás, o Pontífice escolheu a fraternidade como tema já que “desde o início do seu ministério como Bispo de Roma, destacou a importância de superar a ‘cultura do descartável” e de promover a ‘cultura do encontro’, para caminhar rumo à realização de um mundo mais justo e pacífico”.


Ele começa a reflexão a partir da família, onde experimentamos a primeira forma de fraternidade: Abrange um aspecto comum a todos nós: todos nós temos a experiência de fraternidade, no sentido de que todos crescemos em uma família e assim sabemos o que é um irmão ou uma irmã. Isto nos ajuda, então, certamente, a aplicar essa experiência à complexidade de nossas vidas.


Mas como muitas vezes esquecemos disso...podemos dizer que há aspectos que não conseguimos traduzir na realidade de nossas vidas. Às vezes damos por evidente essa fraternidade e então a tornamos algo que exigimos dos outros ao invés de algo que damos aos outros. Certamente tudo isso tem a ver com a paz, porque uma fraternidade que constrói a paz é uma fraternidade que dever ser fundada na experiência da nossa fragilidade, na experiência da riqueza que cada encontro com alguém diferente de nós, irmão ou irmã, pode nos ajudar a viver, e depois certamente deve ser aprofundada e purificada, tentando traduzir em ação a igualdade que a fraternidade nos dá.

Podemos dizer que a cultura do bem-estar faz perder esse sentido de responsabilidade e da relação fraterna, pois possuir bens faz com que nos preocupemos em mantê-los e talvez nos faz sentir uma espécie de antagonismo para com os outros, ou porque eles têm mais ou porque têm coisas diferente de nós, ou ainda porque parece que levam embora os nossos bens. Eu ainda acho que o bem-estar nos coloca em um estado de indiferença para com os outros. Uma pessoa que está bem não vê que também ela é frágil: não percebe, não vê que vive no sofrimento ou na carestia. E depois, em certo sentido, tudo isso se torna também um sentimento, muitas vezes, infelizmente, social, de medo do estrangeiro, de quem é diferente, de quem tem costumes diferentes dos nossos. O possuir as coisas, e não ter necessidade dos outros nos torna incapazes de ver, quem sabe, que o outro que chega no nosso país precisa de algo.
Há a necessidade de globalizar a fraternidade e não a indiferença, como várias vezes disse Papa Francisco. E isso é possível quando nos educamos a pensar que, precisamente porque somos todos irmãos, filhos de Deus, os bens que recebemos nesta terra são de todos. Neste sentido, portanto, a experiência religiosa, em particular a cristã, mas toda experiência religiosa, ajuda a globalizar a fraternidade. Ajuda também, certa maturidade humana, que podemos obter olhando ao nosso redor e olhando também um pouco mais longe – sobretudo nós europeus, nós italianos – do nosso viver social, da nossa realidade. Em terceiro lugar, também buscar e expressar, através de estruturas políticas e sociais, esse tipo de comportamento. Um país é capaz de praticar a fraternidade quando também aqueles que são eleitos pelos cidadãos, são capazes de viver esse tema com decisão.

A fraternidade, segundo destaca ainda o comunicado, é um dom que cada homem e mulher carrega consigo enquanto seres humanos, filhos de um mesmo Pai. E diante de tantos dramas que atingem a família dos povos, como a pobreza, a fome, conflitos e desigualdade, a fraternidade é fundamento e caminho para a paz.

“Papa Francisco, no início de seu ministério, com uma mensagem que se coloca em continuidade com a de seus Predecessores, propõe a todos o caminho da fraternidade, para dar uma face mais humana ao mundo”, destaca o Vaticano.

Diante dos inúmeros dramas que atingem a família humana, como pobreza, conflitos, criminalidade organizada e fundamentalismos, a fraternidade é fundamento e caminho para a paz. Esses mesmos dramas e a cultura do bem-estar fazem perder o sentido da responsabilidade e da relação fraterna. Os outros, ao invés de nossos‘semelhantes’, aparecem como antagonistas ou inimigos e muitas vezes como objetos. Não raramente, os pobres e os necessitados são considerados como um“fardo”, que impede o desenvolvimento. Ou seja, não são mais vistos como irmãos, chamados a compartilhar os dons da criação, os bens do progresso e da cultura.

Neste inicio de ano não basta apenas desejar que este seja bom, feliz, como algo mágico, mas cada um deve dar sua colaboração neste sentido, por isso neste dia em também celebramos a Santa Mãe de Deus, peçamos Ela que nos tome pela mão e nos ajude a compreender e a viver todos os dias a fraternidade que jorra do coração do seu Filho, para levar a paz a todo o homem que vive nesta nossa amada terra.

É este meu desejo a você e a toda sua família: no ano de 2014 sermos protagonista, fazendo nossa parte para vivermos a plenitude da verdadeira paz que só vem de Cristo Jesus, para que um outro mundo seja possível. E isto só é possível quando, guiados pelo Espírito Santo renovamos nossa vida tornando-nos homens e mulheres novos. O ano só é novo quando nós também nos renovamos, senão será apenas mudança no calendário!! Lembre-se: Deus caminha conosco e quer contar com nosso SIM!!!

Minha bênção

Diá.c Flori

terça-feira, 24 de dezembro de 2013

NATAL


PRESENTE DE DEUS: O NATAL DE JESUS

“Hoje, na cidade de Davi, nasceu para vós um Salvador que é o Cristo Senhor” (Lc 2, 11)

           Natal, tempo de renovar as esperanças! Confie o Senhor está com você!

          Este é o sentido do Natal, pois Deus quer dar ao ser humano a certeza de que não é um Deus distante, mas em Cristo Jesus é o Deus Conosco, que caminha lado a lado com todos e cada homem e mulher.

Sua presença na história humana inicia-se na forma de uma frágil criança, pois Deus Todo-Poderoso, o Criador de tudo, sempre confunde os orgulhosos deste mundo, dando a certeza de que tudo o que é terreno tem valor relativo, efêmero. Só Ele é Absoluto e só Nele temos os valores eternos.     

Jesus como criança trouxe consigo presentes maravilhosos de Deus, e à medida que crescia ia desembrulhando-os e nos ensinando a amar a Deus e ao próximo, a viver em comunidade, a partilhar nossos dons, a perdoar...

 Só Ele é Luz, mas incumbiu-nos de testemunhar a luz, acendendo-a nas trevas do egoísmo, da ambição, do desespero, da desunião... e levando a todos a quem encontrarmos a mesma boa noticia que os anjos anunciaram quando do seu nascimento, e que é sempre a grande novidade do Natal: a Salvação já é realidade.

          Permitamos que Jesus desperte em nós o olhar puro de uma criança e a sabedoria de encontrar a felicidade nas coisas simples do dia-a-dia.

          Que,assim como o Salvador, possamos humildemente estender a mão ao próximo e compartilhar seus ensinamentos e valores.

Natal é amor em ação: toda vez que amamos que doamos é Natal!

Querido (a) catequista, que você viva plenamente a alegria do Natal em cada encontro com seus catequizandos na sua nobre missão de “fazer ecoar a voz de Deus”.

Um Feliz e abençoado Natal a você e seus familiares

Com carinho, um grande abraço,

Diác. Flori

domingo, 8 de dezembro de 2013

IMACULADA CONCEIÇÃO


História de Imaculada Conceição


Imaculada Conceição refere-se a um dogma através do qual a Igreja declarou que a concepção da Virgem Maria foi sem a mancha (mácula em latim) do pecado original. Desde o primeiro instante de sua existência, a Virgem Maria foi preservada do pecado pela graça de Deus. Ela sempre foi cheia da graça divina. O dogma declara também que a vida da Virgem Maria transcorreu completamente livre de pecado.

Desde os tempos da Igreja primitiva, os fiéis sempre acreditaram que Maria, a Mãe de Jesus, nasceu sem o pecado original. Tanto no Oriente como no Ocidente, há grande devoção à Maria enquanto mãe de Jesus e Virgem sem Pecados. No começo do cristianismo o dogma da Imaculada Conceição já era tida como uma verdade de fé para os fiéis.

Bíblia e tradição

O dogma que declara a Imaculada Conceição da Virgem Maria é fundamentado na Bíblia: Maria recebeu uma saudação celestial do Anjo Gabriel quando este veio anunciar que ela seria a Mãe do Salvador. Nessa ocasião, o Anjo Gabriel saudou como cheia de graça.

Foi o papa Pio IX, o papa que proclamou o dogma da Imaculada Conceição, recorreu principalmente à afirmação de Gênesis (3, 15), onde Deus diz: Eu Porei inimizade entre ti e a mulher, entre sua descendência e a dela, assim, segundo esta profecia, seria necessário uma mulher sem pecado, para dar à luz o Cristo, que reconciliaria o homem com Deus.

O verso Tu és toda formosa, meu amor, não há mancha em ti, no Cântico dos Cânticos (4,7) também é uma referência para defender a Imaculada Conceição. Outras passagens bíblicas referentes são: Também farão uma arca de madeira incorruptível (Êxodo 25, 10-11). Pode o puro (Jesus) vir de um ser impuro? Jamais! (Jó 14, 4). Assim, fiz uma arca de madeira incorruptível... (Deuteronômio 10, 3). Maria é considerada a Arca da Nova Aliança (Apocalipse 11, 19) e, portanto, a Nova Arca seria igualmente incorruptível ou imaculada.

Também existem os escritos dos Padres da Igreja, como Irineu de Lyon e Ambrósio de Milão. São Tomás de Aquino, por volta de 1252, declarou abertamente que a Virgem foi, pela graça, imunizada contra o pecado original, defendendo claramente o dogma do privilégio mariano, que seria declarado e definido séculos mais tarde.

Definição do dogma de Imaculada Conceição

O dia da festa da Imaculada Conceição foi definido em 1476 pelo Papa Sisto IV. A existência da festa era um forte indício da crença da Igreja na Imaculada Conceição, mesmo antes da definição do dogma no século XIX.

No dia 8 de dezembro de 1854, dia da festa, o Papa Pio IX, com a Bula intitulada Deus Inefável (Ineffabilis Deus), definiu oficialmente o dogma da Santa e Imaculada Concepção de Maria.

Assim está escrito na bula (documento papal) intitulada Ineffabilis Deus que o Papa Pio X proclamou: Em honra da Trindade (...) declaramos a doutrina que afirma que a Virgem Maria, desde a sua concepção, pela graça de Deus todo poderoso, pelos merecimentos de Jesus Cristo, Salvador do homem, foi preservada imune da mancha do pecado original. Essa verdade foi-nos revelada por Deus e, portanto, deve ser solidamente crida pelos fiéis.

Maria confirma o dogma

Santa Bernadete Soubirous (1844-1879), a jovem que viu Nossa Senhora em Lourdes, disse que Nossa Senhora se auto definiu dizendo assim: Eu sou a Imaculada Conceição. Isso aconteceu em 1858, apenas quatro anos após a definição do dogma.

Todos os estudiosos consideram quase impossível que uma adolescente como era Bernadete, vivendo num lugarejo insignificante como era Lourdes, soubesse da proclamação do dogma e muito menos o seu significado. Por isso, as aparições de Nossa Senhora em Lourdes são consideradas como uma confirmação celstial do dogma da Imaculada conceição. Esta é uma das três aparições de Nossa Senhora consideradas verdadeiras pela Igreja Católica.

Imaculada Conceição, Mãe sem manchas

Por isso, nós podemos recorrer a Maria com toda a confiança justamente porque ela é Imaculada, sem mancha, sem pecado, sem impurezas. Ela é cheia, plena, repleta da graça de Deus e, por isso, pode ouvir nossos pedidos e súplicas e apresentá-los ao Pai, diante de quem ela está no céu. Nossa mãe celestial é pura, santa, sem pecado e nos ama com um amor puro, santo e divino. Assim, com esta confiança, recorramos a ela sempre, pois ela intercede por nós.

Oração a Imaculada Conceição

Virgem Santíssima, que fostes concebida sem o pecado original e por isto merecestes o título
de Nossa Senhora da Imaculada Conceição e por terdes evitado todos os outros pecados, o Anjo Gabriel vos saudou com as belas palavras: Ave Maria, cheia de graça; nós vos pedimos que nos alcanceis do vosso divino Filho o auxílio necessário para vencermos as tentações
e evitarmos os pecados e, já que vós chamamos de Mãe, atendei-nos com carinho maternal
e ajudai-nos a viver como dignos filhos vossos. Nossa Senhora da Imaculada Conceição, rogai por nós.

 

segunda-feira, 18 de novembro de 2013

AVALIAÇÃO DA CATEQUESE



 
AMIGOS (AS) CATEQUISTAS!!

               Final de ano... Planejamento para o próximo, buscando acertar mais, crescer mais, anunciar mais, celebrar melhor... Por isso avaliar é importante!! Na sequência 2 modelos de avaliação!!! Espero que possa ajudá-los no processo de fazer uma catequese sempre mais com o rosto de Cristo!!!

AVALIAÇÃO DA CATEQUESE COMO MEIO DE CRESCIMENTO (verificar sequência)

               “Educar na fé é como percorrer um caminho. Partimos de um lugar, ou seja: das condições devida e de fé dos nossos catequizandos e a partir daí, tentamos chegar a um destino, esse é sempre Jesus, “o caminho de Cristo «leva à vida»“, mas precisamos conhecer o itinerário que nos é fornecido pelos objetivos propostos pelos catecismos e guias e ou aqueles que o grupo define de acordo com o Pároco e ou coordenação. Para fazer o caminho, usamos determinadas estradas, que são as atividades e métodos que utilizamos ao longo do ano.Avaliar é uma atividade de catequese (como qualquer outra, ex.: acolhimento) que deveríamos usar com frequência, para saber onde estamos, em relação ao itinerário previsto e se precisamos de fazer correções ou mesmo pedir ajuda. Pois quando reconhecemos que não há progressão,quando as dificuldades do caminho não nos deixam avançar, apesar da oração e dos nossos esforços, é indispensável (obrigatório) colocar o problema à coordenação e ao Pároco. Porque se continuo a avançar deixando os problemas acumulados dificilmente encontro o caminho, perco o rumo, criando uma falsa caminhada que pode deixar marcas graves.Ao avaliarmos, temos de fazer perguntas sobre nós mesmos. Isso ajuda-nos a ver com mais lucidez o que andamos a fazer.Torna-se mais claro o que fazemos, se estamos a fazer bem ou se estamos a fazer menos bem ou mal. Ao avaliarmos damos significado à catequese. Aprendemos a interpretar a realidade e a prever os possíveis efeitos para preparar melhor o futuro.Ao avaliar, estamos a promover a criatividade, evitando repetir os mesmos erros.Ao avaliarmos tentamos melhorar a catequese

.       Cada avaliação tem como fim último ajudar os catequistas e os catequizandos a ficarem mais próximos do Evangelho.

        O tempo da avaliação é um convite à conversão. É um estímulo a uma maior coerência evangélica. Toda a avaliação de qualidade deve ser integral. Avaliar o ser, saber e o saber fazer.

Avaliar os conhecimentos e as competências é relativamente fácil; mas julgar o saber ser é muito mais delicado.    

               Nunca é demais recordar que não se avaliam atividades (por exemplo: a celebração correu bem – isso não é avaliar o principal) o que se deve avaliar é o crescimento, o caminho percorrido pelos catequizandos (então seria: A maioria dos catequizandos celebrou com entusiasmo...)

               Com esta avaliação não se pretende fazer acusações nem premiar heróis. É apenas uma ajuda para vermos melhor o que fizemos. O que é sempre um bom ponto de partida para melhorar. “O inquérito é anônimo, não escreva o seu nome, mas procura responder dentro da sua realidade”.

                Por vezes não chega avaliar a catequese. Também o nosso desempenho deve ser alvo de reflexão, sem, contudo cairmos no erro de nos julgarmos melhores ou perfeitos. Afinal, cada um tem um ou outro aspecto que pode melhorar, tem um ou outro ponto em que trabalha melhor e pode (e deve) partilhar, ajudar.

               Lembre-se que avaliar é “rever” o caminho feito, celebrar as vitórias, superar os fracassos e reavivar as esperanças, mas acima de tudo, CONVERTER-SE..

               QUE O SANTO ESPIRITO O (A) ILUMINE PARA QUE SUA AVALIAÇÃO SEJA FEITA COM O CORAÇÃO E FORTALEÇA SUA VOCAÇÃO DE CATEQUISTA.

AVALIAÇÃO DA CATEQUESE COMO MEIO DE CRESCIMENTO

 Avaliar-me como catequista e como cristão  (assinala com X) a catequese

1-Quais destas experiências de oração te ajudam a rezar melhor?

Escuta da Palavra de Deus

Meditação

Oração espontânea de agradecimento ou de perdão

Rezar com os salmos

Oração organizada com o grupo de catequistas

Eucaristia

2-Qual delas é mais difícil para você? (escreve o(s) numero(s)) __________ 

3-Qual a mais útil para ajudá-lo(a) a crescer como cristã(o) _____________ 

4-Quais os modos de oração mais úteis para educar os catequizandos à oração? (pode indicar nº ou escrever outras formas) _____________________________________________________  _____________________________________________________________________________ 

 
Eu e os outros catequistas

1-Entre todos os momentos que viveu com os outros catequistas, diga um dos mais fáceis, um dos mais difíceis e um os que mais o (a) enriqueceu? ________________________________________  _____________________________________________________________________________ 

2-O que você mais aprecia nos outros catequistas? (assinala com X sua (as) preferências)

        • A capacidade de atrair os catequizandos

• A simplicidade

· A calma

• A preparação

• A constância

• A alegria constante

• A maturidade espiritual

3-Entre estas atitudes, quais as que mais o (a) desagradam?

• A inveja

• A atitude de superioridade

• A desconfiança

• Estar sempre a lamentar-se de tudo e de todos

• O mau exemplo

 

Como meio de crescimento






1-Você se sente capaz de ir falar com um catequista acerca das suas atitudes que acha incorretas ou prefiro calar-me?

2-Você se sente a necessidade de viver, juntamente com os outros catequistas, experiências de formação espiritual, cultural e catequética? -----------------------sim nãoSugestões: ___________________________________________________________________  _____________________________________________________________________________ 

 Eu e os catequizandos
 



1-Quais as atitudes mais comuns quando estou com os catequizandos?

• Escuta

• Apoio

• Disponibilidade

• Ajuda

• Diálogo

OU

• Impaciência

• Cansaço

• Confronto

• Imposição

• Irritação

 

Eu e eu

Porque optei por fazer catequese?
· Porque os meus amigos também são catequistas
· Porque gosto de crianças
· Porque o pároco me pediu
· Porque tenho muito tempo livre
· Porque me sinto chamado a anunciar o Evangelho
· Para fazer novas amizades
· Para me sentir realizado (a)
· Para me doar de forma gratuita
· Porque sei que deixa a minha família contente
2- Sinto-me apoiado pela comunidade cristã?
3- Qual destas expressões é mais acertada?
· Sou catequista porque os catequizandos precisam de mim
· Preciso de anunciar, testemunhar, dizer que creio em Deus
4- O ser catequista fez amadurecer a minha experiência de fé?
5- Quais as descobertas, positivas e negativas, que fiz na minha personalidade e no meu caráter?

6- O que aprendi este ano ao fazer catequese?
7- Os catequizandos “pedem” muitas coisas ao amigo mais velho (=catequista) que os acolhe, que reza com eles, que canta, que prepara as festas, que os anima… Quais as coisas que me deram mais prazer fazer com eles e quais as que me foram mais custosas?
8
- Estarei disponível para continuar na catequese?



Eu e meu pároco

1-Como é meu relacionamento com meu pároco?

2-Sinto seu apoio?

3-Encontro acolhida no meu apostolado?

4-Ele é presente na caminhada catequética?

5-Existe diálogo?

 Irmãos, eu não julgo já ter alcançado Cristo. Uma coisa, porém faço: esquecendo o que fica para trás, lanço-me para o que está à frente. Lanço-me em direção à meta, para conquistar o prêmio que do alto, Deus me chama a receber no Cristo Jesus” (Fl 3, 13-14)

 
 


terça-feira, 15 de outubro de 2013

FORMAÇÃO DIOCESANA


ATUALIZAÇÃO DIOCESANA COM CATEQUISTAS DE CRISMA-REGIÃO SANTA BÁRBARA (9/3/2014)

Mas recebereis o poder do Espírito para serdes minhas testemunhas em Jerusalém, por toda a Judéia e Samaria, e até os confins da terra”(At 1,8)

             Para que a mensagem de Cristo seja sempre mais anunciada e vivida, é necessário que estejamos em constante formação, pois o catequista deve ser, como que um amplificador, e deixar ressoar o que vai em seu coração.

            E, no domingo, dia 9 de março, das 7h30 às 12h00, na Capela São Francisco, em Santa Bárbara, ocorreu mais uma oportunidade de, convivendo com os irmãos e irmãs, acolher mais algumas sementes, que germinadas em nosso coração, sustentem a outros com o fruto do AMOR DE DEUS.

             A vocês que participaram minha benção, e aos que não puderam estar presente, desejo que possamos estar juntos em outra atualização, pois devemos “alegrar-nos, trabalhar no nosso aperfeiçoamento, encorajando-nos, tendo um mesmo sentir e pensar, viver em paz, e o Deus do amor e da paz estará conosco” (II Cor 12,11)

           Diácono Flori  










                 



FORMAÇÃO DIOCESANA REGIONAL
PARA CATEQUISTAS DO BATISMO
REGIÃO PASTORAL SANTA BARBARA - 23/06/2013
PARTICIPANTES:

PARÓQUIA
PÁROCO
QUANTIA
Imaculada Conceição
Pe. Santo Alves Macedo
10
Nossa Senhora Aparecida
Pe. José Carlos Pizzonia
07
Santa Bárbara
Pe. Jucimar Bitencourt
06
Santo Antônio
Pe. Claudio César de Carvalho
10
São Francisco de Assis
Frei Ismael Stangherlin
09
São João Batista
Pe. Paulo Haenraets
04
São José
Pe. William Martins
0
São Judas Apóstolo
Pe. Eugênio Neto
09
São Paulo Apóstolo
Pe. Agnaldo Moreira da Silva
03
São Sebastião
Pe. João Carlos da Cunha
08
Senhor Bom Jesus
Pe. Alcídio Laurindo Filho
0
Nossa Senhora Auxiliadora
Pe. Jerônimo Colombo
19
TOTAL DA REGIÃO PASTORAL
85






















MAIS FOTOS: VISUALIZAR O NOSSO ÀLBUM DE FOTOS ON-LINE

ATENÇÃO!!! PASTORAL DO BATISMO DA

REGIÃO DE SANTA BARBARA 



A FORMAÇÃO DIOCESANA PARA CATEQUISTA DO BATISMO

 É PARA VOCÊ!!! PARTICIPE!!!


Portanto, caríssimos, vós sabeis disto com antecedência. Precavei-vos, para não suceder que, levados pelo engodo desses ímpios, percais vossa própria firmeza. Antes, procurai crescer na graça e no conhecimento de nosso Senhor Jesus Cristo. A Ele seja dada a glória desde agora até o dia da eternidade. Amém” (II Pd 3,17-18)
Amigo (a) Catequista do Batismo, como anunciadores da Boa Nova de Cristo, a todos que se aproximam de nós, e não somente nos momentos de encontro com a preparação para pais e padrinhos, precisamos estar em constante formação, para que a graça do Evangelho nos toque profundamente e o Espírito Santo nos faça testemunhar a glória e o amor de Deus para com todos os seus filhos e filhas...
A oportunidade que temos para “subir mais um degrau” na nossa fé será dia 23 de Junho (Domingo), das 8h00 às 17h00, na Paróquia Santo Antônio, localizada na Rua Cariris, 395
Bairro São Francisco II, em Santa Barbara – SP, quando acontecerá a Formação com Catequistas do Batismo. (Pastoral do Batismo).
É o Senhor quem nos chama a servi-Lo. Sejamos servos fiéis e capazes para testemunharmos a todos as maravilhas que Deus quer realizar através de nós.
As inscrições devem ser feitas até dia 20 de Junho, na secretaria da Paróquia Santo Antônio,
 A taxa de R$ 15,00 deve ser paga no ato da inscrição.
“Quanto a nós, não nos podemos calar sobre o que vimos e ouvimos” (At 4, 20)

                                                                                                                            









Formação Diocesana para catequistas da Região Pastoral de Santa Bárbara.

Realizado na Paróquia São Sebastião. Jardim Europa.

Dia 02 de Junho das 08h00min ás 17h00min

Paróquias que participaram:

Nossa Senhora Aparecida  04 catequistas.

Nossa Senhora Auxiliadora 13 catequsitas

Imaculada Conceição 30 catqusitas

Santo Antonio 23 catequistas

Senhor Bom Jesus 13 catequistas

São João Batista 11 catequistas

São Sebastião 27 catequistas

São Judas 37 catequsitas

São Paulo Apóstolo 30 catequistas

São Francisco de Assis 29 catequistas.

Total de participantes 217

Equipe de Apoio 16 pessoas.

Organização: Secretariado Regional de Catequese.

Domingo Nunes

Marcelo Nascimento

Dorival Monteiro











MAIS FOTOS: VISUALIZAR O NOSSO ÀLBUM DE FOTOS ON-LINE









          Atenção!!! Região SANTA BARBARA!!!

A formação com catequistas é para vocês!


Participem!!!

Portanto, caríssimos, vós sabeis disto com antecedência. Precavei-vos, para não suceder que, levados pelo engodo desses ímpios, percais vossa própria firmeza. Antes, procurai crescer na graça e no conhecimento de nosso Senhor Jesus Cristo. A Ele seja dada a glória desde agora até o dia da eternidade. Amém” (II Pd 3,17-18)

            Amigo (a) Catequista, como anunciadores da Boa Nova de Cristo, a todos que se aproximam de nós, e não somente nos momentos de encontro com nossos catequizandos ou famílias, precisamos estar em constante formação, para que a graça do Evangelho nos toque profundamente e o Espírito Santo nos faça testemunhar a glória e o amor de Deus para com todos os seus filhos e filhas...

          A oportunidade que temos para “subir mais um degrau” na nossa fé será dia 02 de Junho de 2013 (Domingo), das 8h00 às 17h00, na Paróquia São Sebastião, localizada na Rua Itália, 467 Jardim Europa em Santa Barbara d’Oeste - SP (região pastoral Santa Barbara), quando acontecerá a Formação com Catequistas da Iniciação Eucarística, Perseverança, Crisma e Catequese com Adulto. É o Senhor quem nos chama a servi-Lo. Sejamos servos fiéis e capazes para testemunharmos a todos as maravilhas que Deus quer realizar através de nós.

          As inscrições devem ser feitas até dia 25 de Maio, na secretaria da Paróquia São Sebastião. A taxa de R$ 15,00 é para alimentação e deve ser paga no ato da inscrição.


          Quão belos são os pés dos que anunciam a Boa Nova” (Rm 10,15b).


Ref. Curso de Capacitação Para Implementação da Escola de Formação na Fé:



T E M Á R I O





1-Ministério de Escola de Formação na Fé


2-Organização do Ministério











3-Conteúdo da catequese


4-Reunião semanal com as crianças

5- Como trabalhar com os pais e catequistas

6-Eventos: espiritual e recreativo

7-Primeira Comunhão

8-Missão de crianças
PROGRAMAÇÃO

Sexta-feira

19h30 – Oração

20h00 – Tema 1

21h00 – Intervalo

21h15 – Tema 2

22h00 – Encerramento
Sábado
08h30 – Oração
09h00 – Tema 3
10h00 – Intervalo
10h20 – Tema 4
11h20 – Diálogo
11h30 – Tema 5
12h30 – Almoço
14h00 - Tema 6
15h00 – Diálogo
15h15 – Intervalo
15h45 – Tema 7
16h45 - Diálogo
17h00 – Tema 8
18h00 - Plenário
18h30 - Encerramento










Ref. Reunião Com Coordenação da Catequese de Iniciação Eucarística e Batismal.


Conforme calendário diocesano será realizado em cada Região Pastoral de nossa Diocese uma reunião com a coordenação da Catequese de Iniciação Eucarística e Batismal onde trataremos da formação que acontecerá nas mesmas, dando assim continuidade na formação oferecida pela Diocese, através do Secretariado Diocesano da Catequese.


Com a definição junto aos párocos, as reuniões serão realizadas nas seguintes datas,


horários e locais abaixo descritos:



Região Pastoral
Paróquia
Dia
Semana
Horário
Capivari
São João Batista
21/01/2013
Segunda-feira
19h30
São Pedro
São Pedro
23/01/2013
Quarta-feira
19h30
Piracicaba I
Santo Antônio - Catedral
24/01/2013
Quinta-feira
19h30
Piracicaba II
Santa Cruz e São Dimas
25/01/2013
Sexta-feira
19h30
Piracicaba III
Imaculada Conceição
28/01/2013
Segunda-feira
19h30
Rio Claro
São João Batista
30/01/2013
Quarta-feira
19h30
Santa Barbara
Santo Antônio
31/01/2013
Quinta-feira
19h30


Espero contar com sua colaboração enviando os seus coordenadores para juntos traçarmos o melhor caminho para á formação em 2013.



Que Maria, a primeira a anunciar Cristo à sua prima Isabel, nos ajude no anúncio do Senhor Ressuscitado a todos os catequistas, catequizandos e famílias da nossa Diocese.


“Quanto a nós não podemos calar sobre o que vimos e ouvimos” (At 4,20)


Conto com você.




Ref. Curso de Capacitação Para Implementação da Escola de Formação na Fé









Conforme calendário diocesano será realizado no Centro de Formação Diocesano, Seminário Propedêutico Imaculada Conceição -Nova Suíça, o Curso de Capacitação Para Implementação da Escola de Formação na Fé, nos dias 01 e 02 de Fevereiro, sexta-feira, das 20h00 às 22h00 e sábado, das 7h30 as 18h00.











Será a única capacitação em 2013 deste curso, para os que ainda não participaram e desejam implementar este tão frutuoso instrumento de evangelização, para o qual convido-o para conhecer, e assim, incentivar e valorizar seus catequistas.

As informações e ficha de inscrição sobre o referido curso estão no BLOG da Catequese: www.catequesepiracicaba.net

Que Maria, a primeira a anunciar Cristo à sua prima Isabel, nos ajude no anúncio do Senhor Ressuscitado a todos os catequistas, catequizandos e famílias da nossa Diocese.

“Quanto a nós não podemos calar sobre o que vimos e ouvimos” (At 4,20)

Conto com sua presença e dos seus catequistas.

Atenciosamente.

Diácono Florivaldo Bertoletti Animação Biblíco-Catequética



DIOCESE DE PIRACICABA

DIMENSÃO BIBLICO-CATEQUÉTICA

 “... Um só é vosso Mestre” (Mt 23,8)



Amados (as) catequistas, da Região Pastoral de Santa Barbara



            Jesus em sua peregrinação terrena ensinou com autoridade, por isso somente Ele é o ÚNICO Mestre, pois “seu alimento é fazer a vontade do Pai” (Jo 4,34).

         Portanto, olhando para o Mestre o catequista deve aprofundar sempre mais sua intimidade com Deus, para fazer uma catequese cristocêntrica, pois sua missão não é transmitir apenas uma doutrina, mas UMA PESSOA: “JESUS CRISTO, CAMINHO, VERDADE E VIDA” (cf.Jo 14,6)

      Só vivendo essa intimidade com Deus, é possível, por experiência: “anunciar... a insondável riqueza de Cristo” (Ef 3,8), “pois não pode deixar de falar as coisas que viu e ouviu” (cf. At 4,20)

            O Catecismo da Igreja fala da importância da sua missão que é de levar à comunhão com Cristo, ao ”sim” da fé Nele:    

Aquele que é chamado a “ensinar Cristo”, deve assim, primeiro procurar “este ganho excelente que é o conhecimento de Cristo”;  preciso aceitar “perder tudo... afim de ganhar a Cristo e ser achado Nele”,  e de “conhecer o poder de sua Ressurreição e a participação nos seus sofrimentos, conformando-me com Ele na sua Morte, para ver se alcanço a ressurreição entre os mortos”(Fl 3.8-11) (CIC 428)

        O caminho de Cristo «leva à vida»; um caminho contrário «leva à perdição» (Mt 7, 13) (17). A parábola evangélica dos dois caminhos está sempre presente na catequese da Igreja. E significa a importância das decisões morais para a nossa salvação. «Há dois caminhos, um da vida, outro da morte: mas entre os dois existe uma grande diferença» (18) (CIC 1696).

      Na catequese, importa revelar com toda a clareza a alegria e as exigências do caminho de Cristo (19). A catequese da «vida nova» n'Ele (Rm 6, 4), deve ser:

uma catequese do Espírito Santo, mestre interior da vida segundo Cristo, doce hóspede e amigo que inspira, guia, retifica e fortalece essa vida;

uma catequese da graça, pois é pela graça que somos salvos e é também pela graça que as nossas obras podem ser frutuosas para a vida eterna;

 – uma catequese das bem-aventuranças, porque o caminho de Cristo se resume nelas e é o único caminho da felicidade eterna a que o coração do homem aspira;

uma catequese do pecado e do perdão, porque, sem se reconhecer pecador, o homem não pode conhecer a verdade sobre si mesmo, condição dum procedimento justo: e, sem a oferta do perdão, não seria capaz de suportar aquela verdade;

uma catequese das virtudes humanas, que faz apreender a beleza e o atrativo das retas disposições para o bem;

uma catequese das virtudes cristãs da fé, esperança e caridade, que se inspira abundantemente no exemplo dos santos;

uma catequese do duplo mandamento da caridade exposto no decálogo;

uma catequese eclesial, porque é nas múltiplas permutas dos «bens espirituais», na «comunhão dos santos», que a vida cristã pode crescer, desenvolver-se e comunicar-se. (CIC 1697)

     A referência, primeira e última, desta catequese será sempre o próprio Jesus Cristo, que é «o caminho, a verdade e a vida» (Jo 14, 6). De olhos postos n'Ele com fé, os cristãos podem esperar que Ele próprio realize neles as suas promessas e, amando-O com o amor com que Ele os amou, podem fazer as obras correspondentes à sua dignidade. (CIC 1698).

            Por tudo isso e muito mais, louvo e agradeço a Deus pela sua vocação, e sua disponibilidade na participação neste curso, e desejo que tudo o que aqui você experienciou seja, primeiramente para seu crescimento pessoal, e fortalecido (a) na sua missão profética possa levar adiante “fazendo muitos discípulos de Cristo,” obedecendo ao seu mandato.

            Com muito carinho, rogo ao Deus Pai em Jesus Cristo, na ação do Espírito Santo as mais copiosas bênçãos e proteção de Maria Santíssima a você, seus familiares e suas atividades pastorais e profissionais.

Abraços,                         

Diác. Flori e Secretariado Diocesano de Catequese


Nossa ferramenta de comunicação: www.catequesepiracicaba.net    









MAIS FOTOS: VISUALIZAR O NOSSO ÀLBUM DE FOTOS ON-LINE


Secretariado Regional de Catequese









Região Pastoral de Santa Bárbara, realizou-se no dia 07 de Julho as 14h00min, no salão de festa da Paróquia do Senhor Bom Jesus, em Santa Barbara d’Oeste o terceiro encontro do Secretariado Regional de Catequese.  Estes encontros têm como objetivo oferecer ferramentas para que os catequistas que representam suas paróquias possam depois conversar sobre os temas que partilham no encontro. O tema que norteou nossa caminhada foi a importância de prepararmos com amor os encontros.  Sempre valorizando a pessoa do nosso catequizando e mostrando o amor com que Jesus soube transmitir o Projeto de Deus.
No primeiro encontro tivemos como tema a importância de conhecer o desenvolvimento psicopedagogico da criança, para que melhor possamos caminhar com elas nos encontros de catequese. Nosso  objetivo era perceber que hoje temos que nos adequar as modernidades sem perder nosso foco maior que é conhecer e viver conforme os ensinamentos de Jesus Cristo.  Sempre respeitando cada catequizando conforme a sua idade. O primeiro encontro foi realizado na Paróquia Santa Barbara.
A Paróquia Santo Antonio acolheu aos catequistas para o segundo encontro que teve como metodologia a Dinâmica de Grupo, apresentada pela Coordenadora da Perseverança da Paróquia Santa Bárbara.
O ponto alto dos encontros são as Dinâmicas de Grupo por segmento, que permite uma troca de experiências entre as Pastorais do Batismo, Crisma, Adolescente, Eucaristia e Crisma e Eucaristia para adultos.
Conforme a avaliação dos participantes estes eventos tem contribuído para o crescimento espiritual e cultural dos catequistas. Marcaremos nosso próximo encontro para setembro, quando refletiremos sobre a Importância da Leitura da Bíblia para os catequistas e as catequistas.
Domingo Nunes
Coordenador do secretariado regional

Domingo.nunes@gmail.com



Curso de Capacitação Para Implementação da Escola de Formação na Fé - REGIONAL



Atenção!!! Região Santa Barbara!!! O Curso de Capacitação é para vocês!  Participem!!!

Antes declarai santo em vossos corações o Senhor Jesus Cristo, e estai sempre prontos a dar a razão da vossa esperança a todo aquele que pedir” (I Pd 3, 15)

            Amigo (a) Catequista, como anunciadores da Boa Nova de Cristo, devemos ser solícitos para “dar razão de nossa esperança” a todos que se aproximam de nós, e não somente nos momentos de encontro com nossos catequizandos. Por isso precisamos estar em constante formação, para que a graça do Evangelho nos toque profundamente e o Espírito Santo nos faça testemunhar a glória e o amor de Deus para com todos os seus filhos e filhas.

            A oportunidade que temos para “subir mais um degrau” na nossa fé, será nos dias 13 a 16 de Agosto (segunda a quinta-feira), das 19h30 as 22h00, na Paróquia São Sebastião, localizada na rua Itália, 467 – Jardim Europa, quando acontecerá o Curso de Capacitação da Implementação da Escola de Formação na Fé, ministrado pelos Missionários da Cruz.

            É o Senhor quem nos chama a servi-Lo. Sejamos servos fiéis e capazes para testemunharmos a todos as maravilhas que Deus quer realizar através de nós.

            As inscrições devem ser feitas até dia 31 de Julho na Secretaria da Paróquia São Sebastião com a secretária.



A taxa de 26,00 (vinte e seis reais), é para os 4 dias,

deve ser paga no ato da inscrição.



            Quão belos são os pés dos que anunciam a Boa Nova” (Rm10,15b).

             OBS. Lembramos que este curso é para todos os catequistas, copie a ficha e faça quantas copias for necessário para sua paróquia.