terça-feira, 27 de novembro de 2012

TEMPO DO ADVENTO




 COMO CELEBRAR OS DOMINGOS
 TEMPO DO ADVENTO
 
 
  

O advento é um tempo de espera, de preparação para o nascimento de Jesus, de reflexão para os cristãos.

    Atividade: “O reflorescer da fé”

    Objetivo: Levar a comunidade à consciência da necessidade de renovar a cada dia a sua fé.

    Material utilizado: 1 galho seco/ folhas de papel laminado verde/ folhas de crepon rosa/ frutas naturais ou artificiais/ arame fino.

    Confecção do material: Folhas: Com o papel laminado recorte folhas para a participação de todas as crianças/ Com as folhas prontas, cole um arame fino de aproximadamente 20cm que servira para ser fixadas nos galhos.

   Da mesma forma proceder com as flores.


 

1º DOMINGO: Um galho de árvore, previamente colocado em um vaso é posto no altar. Durante a procissão de entrada as crianças entram e levam, duas a duas, as folhas confeccionadas com papel laminado, que será pressa no galho seco.


REPETIR NO SEGUNDO DOMINGO DO ADVENTO

 

3º DOMINGO DO ADVENTO: Aproveitando a cor rosa, as crianças colocam durante a procissão de entrada, flores de papel crepon (rosa) no galho já coberto pó flores.

     Também é contada para a comunidade a história “A Bruxinha Leiloca”

A BRUXINHA LEILOCA
     Há muitos anos existia uma bruxinha muito má, que se chamava Leiloca. Entre um vôo e outro, adorava fazer malvadeza com as pessoas.
    Vivia no seu castelo todo tenebroso, que fazia questão de conservar bem preto, sujo e cheio  de aranha. No porão ficava o seu laboratório, onde preparava suas poções mágicas e feitiços.
   Num tempo de Natal, observava que mais uma vez as pessoas estavam contentes, preparando-se para a uma grande festa de fraternidade. Mas essa alegria contagiante incomodava a Leiloca, e por isso ela não gostava do Natal.
   Para tentar diminuir a alegria da s crianças, fez murchar todos os pinheirinhos de Natal que seriam enfeitados por elas. A bruxinha achava de muito mau gosto aquelas coisas bonitas e coloridas: não se contentou com isso...
  Trancada em seu laboratório na penumbra do porão, tentava achar uma fórmula que provocasse um tremendo temporal catatrósfico na noite de Natal. Empolgada com suas maldades, tropeçou em sua própria vassourinha voadora, herança de sua bisavó, a bruxa Candoca, que havia ganho de sua mãe, a bruxa Maroca, numa noite de Natal, quando tinha apenas 5 anos de idade.
   Leiloca tentou esquecer esses sentimentos e voltara ao preparo do seu feitiço. Não deu certo. E mais nenhuma de suas magias deram certo. Muito pelo contrário, se queria fazer chover, o sol aparecia sorridente no céu, se queria fazer murchar as plantas, elas cresciam e as flores desabrochavam. Ou seja, todas as suas mágicas só funcionavam para o bem, porque havia um desejo de amor no seu coração, ainda não assumido por ela.
   Leiloca tentou fazer suas maldades, mas resolveu por um fim àquelas tentativas frustradas. Deixou o amor falar mais alto.
   Passou a ser uma bruxa boa e na noite de Natal daquele ano saiu com sua vassourinha distribuindo presentes e doces para as crianças, além de muita alegria e amor!
  Seu castelo já não era mais o mesmo, havia limpado e pintado. No dia de Natal ofereceu um almoço para a vizinhança. De longe ouviam-se os risos de seus convidados, e um arco-íris iluminado surgiu no céu como que selando a felicidade daqueles novos amigos.

  Essa atividade é desenvolvida após a comunhão com a intenção de provocar reflexão, que deve ser  buscada neste tempo litúrgico, para uma mudança de vida: “Devemos deixar que o amor de Cristo floresça em nossas atitudes”!

 

4º DOMINGO DO ADVENTO: Desta vez as crianças levam frutos para serem colocados na frente do vaso, onde agora está a nossa árvore já com folhas e flores.

    Obs.: Pode ser frutos naturais. Se for assim, que seja em quantidade suficiente para partilhar com a comunidade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário