sábado, 21 de janeiro de 2012

Querigma: Primeiro anúncio de Jesus

Q U E R I G M A !
É urgente a necessidade de evangelização não só de quem está fora, mas até mesmo dentro da Igreja. Esta matéria será baseada em alguns trechos do bom livro "Como evangelizar os batizados" (ed.Loyola) de J.H. Prado Flores, que foi escrito justamente para ser usado nos cursos dados pela "Evangelização 2000". A todo aquele que desejar trabalhar como evangelizador e, principalmente, como formador de evangelizadores, eu recomendo fortemente a leitura deste livro. Segue a matéria. No princípio da vida da Igreja, batizavam-se somente os convertidos. Hoje em dia a tarefa é o inverso: converter os batizados. A Igreja precisa ser evangelizada em seu interior para que ela se converta em Boa Nova para o mundo. Por isso, hoje, evangelizar os batizados é imperativo urgente.
         A evangelização se dá em dois momentos sucessivos que são complementares e interdependentes: O Querigma: Primeiro anúncio de Jesus A Catequese: Ensino progressivo da fé São 2 passos consecutivos, onde o querigma sempre deve anteceder à catequese. Se o querigma é a forte badalada do sino, a catequese é o eco da badalada. A catequese prolonga o anúncio querigmático. Não é fria doutrina ou meros ensinamentos teóricos, mas a extensão e a plenitude da nova vida trazida por Jesus. A vida nos é dada pela fé com que respondemos ao anúncio querigmático, mas a vida em abundância chega à sua plenitude, através da catequese vivida na fé.
         O grande erro pedagógico foi sempre o de primeiro catequizar para depois "cristianizar", ou seja, insistem-se, primeiro, em catequizar os fiéis. No entanto, esqueceu-se o princípio fundamental exigido por Jesus a Nicodemos: É necessário nascer de novo.
         Para que a vida de alguém cresça, é necessário ter antes nascido. Não se pode crescer na fé se, antes, não se nasceu para ela. O querigma conduz a este fim: através da apresentação de Jesus, ter uma experiência de vida nova graças à fé e à conversão e experimentar Jesus vivo como Salvador pessoal, como Senhor de toda a vida e como Messias que dá o Espírito Santo, para transformar nosso mundo pelo amor.
         Entretanto, para evangelizar estamos colocando o rico alimento da doutrina e da moral cristã junto a cadáveres que não têm a vida de Jesus. Estamos alimentando os mortos. Quando Jesus ressuscitou a filha de Jairo, primeiro devolveu-lhe a vida, entregando-a depois a seus pais (a comunidade) para que lhes desse o alimento. Não podemos suprir com catequese aquilo que é uma experiência de vida nova. A catequese, para produzir fruto abundante que permaneça, deve estar em seu lugar: sempre depois do anúncio querigmático.
         O querigma é apresentar Jesus, de modo que o indivíduo tenha uma experiência pessoal do Amor de Deus, suscitando nele uma resposta de fé e entusiasmo por Deus e sua Igreja. Somente, então, o indivíduo sentirá desejo e necessidade de se aprofundar na vida nova que experimentou. Então, ele mesmo buscará a catequese para consolidar sua fé em Jesus e na sua Igreja.
         Quando se inverte esta ordem, ou seja, evangelizando-se a partir da catequese, damos alimento sólido a quem não deseja, pois ainda está cego ou espiritualmente morto. É como jogar pérolas aos porcos. Como resultado, não se interessa pelo precioso alimento recebido, pois "morto" não se alimenta. Por isso, antes de dar o alimento sólido da catequese, é necessário, primeiro, que o indivíduo renasça espiritualmente e o deseje com fervor, ou seja, tenha experimentado o amor de Deus e a conversão, mediante o anúncio do querigma. Em resumo, o querigma produz o renascimento da vida espiritual, enquanto a catequese, depois, alimenta esta vida espiritual dando-lhe o crescimento.

QUADRO COMPARATIVO ENTRE QUERIGMA E CATEQUESE:
  • No querigma o objetivo é nascer de novo, ter vida. Na catequese é crescer em Cristo, ter vida em abundância.
  • No querigma o conteúdo é o anúncio de Jesus, morto, Salvador, Ressuscitado, Senhor, Glorificado e Messias. Na catequese o conteúdo é a explicação da doutrina da fé, moral, dogmas, Bíblia, etc.
  • No querigma o método utilizado é a proclamação de Jesus como a Boa Nova e o testemunho pessoal, visando estimular a vontade do evangelizando (= aquele que está sendo evangelizado). Na catequese o método utilizado é o ensino ordenado e progressivo da Fé de toda Igreja, visando iluminar o entendimento.
  • No querigma o agente é o evangelizador, que é uma testemunha cheia do Espírito Santa. Na catequese, o agente é o catequista, que é um mestre cheio do Espírito Santo.
  • No querigma a meta é o encontro pessoal com Jesus pela fé e conversão e a proclamação de Jesus como Senhor e Salvador. Na catequese a meta é o encontro com o Corpo de Cristo: a comunidade Igreja e, assim, desenvolver a santidade do povo de Deus.
  • No querigma o evangelizando dá uma resposta pessoal: Meu Senhor e meu Salvador. Na catequese, a resposta é comunitária: Nosso Senhor, Nosso Salvador
Anunciar Jesus uma pessoa VIVA, levando o catequizando ao desejo de converter-se e aderir a Jesus.   È o primeiro anúncio da Boa Notícia.
 Esta Boa Notícia tem, no seu conjunto, o nome de QUERIGMA, uma palavra grega que literalmente se traduz por GRITO, PROCLAMAÇÃO, - não é desta forma que fazemos quando temos algo bom para dizer a alguém? Nunca o fazemos silenciosamente ou com apatia, mas com entusiasmo.
Para trazer à memória, guardar no coração e colocar na vida:
O Querigma está no ar:
  • é a revelação da Verdade de Cristo. É evangelizar, converter, realizar uma metanóia (=troca de mentalidade, de direção) em vidas que tanto precisam. É apresentar Jesus a todos que ainda não O viram ou, mesmo, àqueles e àquelas que O conhecem apenas historicamente.
  • É falar das coisas do alto (coisas de Deus). Mais que isso, é utilizar da revelação da Verdade de Cristo para atingir as coisas do alto; a Santidade que você, eu somos chamados por Jesus a alcançar.
  • Acima de qualquer outra coisa é servir a Deus, é viver para Ele, trabalhar em prol do Seu Reino de amor.
  • O querigma não é somente uma etapa, mas o fio condutor de um processo que culmina na maturidade do discípulo de Jesus Cristo. Sem o querigma os demais aspectos desse processo estão condenados à esterilidade: sem corações verdadeiramente convertidos ao Senhor, pois a fé madura consiste no: Encontro pessoal com Jesus Cristo; Conversão, Seguimento, Vida em Comunidade (ninguém vive sozinho, mas em família) e Missão. (Documento de Aparecida 278)
  • Conteúdo, é o amor de Deus, é a declaração de um amor incondicional para cada um! Há duas possibilidades de reação:
    .
    Aceitar esse amor incondicional que é Jesus Cristo
    . A segunda é recusá-lo de modo direto ou indireto.
  • O primeiro anúncio é composto de seis temas fundamentais- não é doutrina- mas verdade de fé. Apresentaremos as idéias de maneira sintética e sistemática:
a) O amor de Deus: Deus te ama:
Deus é um Pai amoroso, que te ama pessoal e incondicionalmente e quer o melhor para ti. Não te ama porque sejas bom, mas sim porque ele é bom.
Motivação: Não te pede que o ames, mas que te deixes amar por ele.
b) O pecado: não te podes salvar por ti mesmo:
O pecado, que consiste em não confiar em Deus e não depender dele impede que sintas o amor divino. És pecador necessitado de Salvação, porque não és capaz de vencer Satanás nem de libertar-te do poder do pecado.
  Você necessita conscientizar-se que está enfermo e que precisa de ajuda. Muito mais importante é sentir a necessidade de Deus do que falar do pecado, que você se conheça pecador, reconheça-se necessitado. “Os sãos não têm necessidade de médico e sim os doentes; não vim chamar os justos, mas os pecadores ao arrependimento” (Lc 5,31)
Motivação: Reconhece o teu pecado diante dele.
c) Jesus, única solução: Jesus já te salvo:
Existe uma boa notícia, o centro do Querigma: Jesus já te salvou e perdoou, pagando a dívida com o preço de seu sangue. Com sua morte por ti e sua ressurreição, partilhou contigo a vida: vida de filho de Deus. Já estamos em paz com Deus e é possível a felicidade. Jesus não nos salva. Já nos salvou.
   d) Fé e conversão: aceita o Dom da Salvação
Jesus ganhou, já, uma Nova Vida para você. Recebe-a, crendo e convertendo-se:
- Crer em Alguém, mais do que algo, confiando que seu caminho é melhor que o teu.
- Confessá-lo como Salvador pessoal e renunciar a qualquer outro meio de Salvação.
    - Converter-te é mudar tua vida pela vida de Jesus. Entregar tua vida de pecado e começar a viver a vida de filho de Deus.
  + Proclamar Jesus como Senhor de todas as áreas da vida.
   Motivação: Abre as portas do teu coração a Jesus que te chama.
e) O Dom do Espírito: a promessa é para você:
Jesus se faz presente com sua Salvação por meio de seu Espírito.
Ele está sedento de presentear-te com a água viva do Espírito de filiação, que clama: “Abba”: papai.
Motivação: Pede e recebe o Dom do Espírito.
f) A comunidade: Jesus está no irmão:
Não basta nascer: é preciso crescer na vida nova. Para isso, é necessário manter-se unido à vida (Jesus), vivendo como parte do Corpo de Cristo, em união com todos os outros membros.
O encontro com Cristo leva, necessariamente, ao encontro do irmão, especialmente do mais necessitado.
Motivação: Persevera com Jesus na comunidade.

PARA NÃO ESQUECER!
AMOR DE DEUS
Jr 31, 3 – Amo-te com amor eterno.
Is 49, 15 – Por acaso uma mulher esquecerá de sua criancinha de peito? Não compadecerá ela do filho do seu ventre? Ainda que as mulheres se esquecessem, eu não me esquecerei de ti.
Is 43, 4 – Porque és precioso a meus olhos, porque eu te aprecio e te amo.
PECADO
Rm 3, 23 – Com efeito, todos pecaram e todos estão privados da glória de Deus.
1 Jo 1, 8-9 – Se dizemos que não temos pecado, enganamo-nos a nós mesmos, e a verdade não está em nós . Se reconhecemos os nosso pecados e para nos purificar de toda iniqüidade.
SALVAÇÃO DE JESUS
Jo 3, 16-17 – Com efeito, de tal modo Deus amou o mundo, que lhe deu seu Filho único, para que todo o que nele crer não perece, mas tenha a vida eterna. Pois Deus não enviou o Filho ao mundo para condená-lo, mas para que o mundo seja salvo por Ele.
Jo 10, 10 – Eu vim para que todos tenham a vida, para que a tenham em abundância.
Cl 2, 13b – 14 – É Ele que nos perdoou todos os pecados, cancelando o documento escrito contra nós, cujas prescrições nos condenavam. Aboliu-o definitivamente, ao encravá-los na cruz.
FÉ E CONVERSÃO
At 3, 19 – Arrependei-vos, portanto, e convertei-vos, para serem apagados os vossos pecados.
Jo 3, 3 – Em verdade, em verdade te digo, quem nascer de novo, não poderá ver o Reino de Deus.
Ap 3, 20 – Eis que estou à porta, e bato: Se alguém ouvir minha voz e me abrir à porta, entrarei em sua casa e cearemos, Eu com ele e ele comigo.
Hb 11, 1 – A fé é o fundamento da esperança, é uma certeza a respeito do que não se vê.
ESPÍRITO SANTO
At 1, 8 – Mas descerá sobre vós o Espírito Santo e vos dará força, e sereis minhas testemunhas.
At 2, 39 – Pois a promessa é para os vossos Filhos e para todos os que ouvirem de longe o apelo do Senhor, nosso Deus.
Ez 36, 26 – Dar-vos-ei um coração novo e em vós porei um espírito novo; tirar-vos-ei do peito o coração de pedra e dar-vos-ei um coração de carne.
Jo 4, 14 – Mas o que beber da água que eu lhe der, jamais terá sede. Mas a água que eu lhe der virá a ser nele fonte de água, que jorrará até à vida eterna.
COMUNIDADE
Rm 12, 5 – Assim nós, embora sejamos muitos, formamos um só corpo em Cristo, e cada um de nós somos membros uns dos outros.
1 Tm 3, 15 – Todavia, se eu tardar, quero que saibais como deves portar-te na casa de Deus, que é a Igreja de Deus vivo, coluna e sustentáculo da verdade.

O EFEITO DO QUERIGMA NO EVANGELIZADO:
-Lc 24, 13 - Os discípulos de Emaús caminharam muito tempo sem compreender as conseqüências do sacrifício de Jesus para suas vidas. Porém, quando Jesus
se apresentou a eles, vivo, ressuscitado, seus corações arderam de felicidade, e eles desejaram estar com Jesus para sempre. E toda a sua vida e acontecimentos foram iluminados pela Ressurreição. Tudo tomou nova luz. E eles então não se contiveram tornaram-se anunciadores de Jesus.
  1. Abrem-se os olhos
    b. Arde-se o coração
    c. Corre-se para anunciar aos outros


“Glória e Majestade ao Deus fiel."

2 comentários:

  1. O anúncio da salvação não estaria adequado ao ambiente do judaísmo (nos primeiros tempos) onde os pecadores e marginalizados eram excluídos pela "Lei" ?
    Hoje, não seria mais adequado usar os argumentos/proposta de Jesus em suas pregações (o "Reino de Deus"), mostrando um novo modelo de vida, melhor, não separando a vida da religiosidade? Conquistar o não crente pela esperança de um mundo novo, melhor e não por uma salvação que ele desconhece (não faz parte de sua cultura).

    ResponderExcluir